sábado, 15 de dezembro de 2012

Em episódios


nada
nessa vida
é tão repentino,
nem mesmo a morte
dita súbita que de súbita
não tem nada, pois aguardada
desde que se nasce como destino

sim

nada
nessa vida
é tão inesperado,
nem mesmo um tornado,
que se faz tornado por ventos
de tempestade de nuvens estranhas,
o céu a dizer que também tem entranhas

assim

por que
nosso mundo
haveria de ter fim
agendado pra uma data,
tal qual compromisso ou festa
a exigir do homem terno e gravata?
todo fim caminho lento e sem passeata


11 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Pois que amanheça 22.12.12!

CARESTRANHO disse...

Uou! Lindo!

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Renata, rs...rs! Claro que vai amanhecer. Se Deus tomou conhecimento dessa sua (Renata) linda obra literária e tivesse a intençao de encerrar as atividades do mundo, com certeza ficaria maravilhado com seu talento e desistiria disso tudo. Com uma pessoa com esse talento e valor não dá para fechar as portas do mundo. Essa menina tem capacidade para ajudar e melhorar muita gente. Preciso contar com os préstimos dela.
Beijo na amiga carioca do brejo.
Manoel

Renata de Aragão Lopes disse...

Generosidade sua, Manoel...

Mas não é que a poesia
pode, de fato, ser alento?

Amarildo Ferreira disse...

Tua sensibilidade me assusta de tão linda que é!

Não sei por que, mas lembrei de Renato Russo "alguém falou em fim do mundo/o fim do mundo já passou/vaos construir um novo mundo/um por todos, todos por um"

Shiloh, Liricista!!!!!!

walerie disse...

não sei nem o que comentar.

Mauro Lúcio de Paula disse...

Renata,
O mundo não pode acabar enquanto houver uma poeta que encanta e torna a existência com tanto sentido e razão que Deus o criador há de pensar várias e várias vezes antes de acabar com o mundo que quando Ele criou disse que era bom. Os astecas/maias não pensaram em você quando fizeram o calendário do sol. Eles esqueceram que você é uma lua cheia de versos e lindas poesias.

Dalva M. Ferreira disse...

Mas e se...

Rafaela Gambarra disse...

Que lindo, Renata! E adorei o formato do texto.. ;) E é um daqueles textos que, como luzes de uma árvore de Natal, faz a gente atentar pra alguma coisa, quando liga na tomada (lê o texto)! Nada na vida é tão inesperado, mesmo, e sempre há sinais. Que seriam os sinais do fim dos tempos, então, né?
Bjo! E prazer!

Anônimo disse...


Re, bem pensada essa poesia
mas todos os comentarios estão certos

(vou comentar o que?)


beijos tesoura

ValdirZ disse...

belíssimas palavras que não perderam, em momento algum, a beleza da poesia, apesar do assunto pouco poético. Mérito só da autora!