sábado, 14 de janeiro de 2017

Cristalino


ainda procuro você
em meus olhos

vasculho à lupa
o vão da retina

e ali encontro
só luz e névoa

você me vendo
e vindo neblina

as mãos côncavas
o coração convexo
a vontade convicta
o cérebro perplexo

até que dos olhos
ele inverte a poesia

e o vislumbre da volúpia
se esvazia



Fotografia: eu, por Felipe Saleme.

7 comentários:

Alerion disse...

Belo retorno! Seja bem vinda.

Little Crazy Cat disse...

Lindo, amiga, como sempre!

Dalva M. Ferreira disse...

A lente da poesia transforma, transmuta, entorna.

Joana lourenço disse...

Belo começo. Que as inspirações venham!!!

Joana lourenço disse...

Belo começo. Que as inspirações venham!!!

Debora Piacesi disse...

Lindo, Renata!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Cada vez melhor Renata! Adorei o poema!