terça-feira, 10 de maio de 2011

Pontual



que vontade de ficar
quando a pressa é de seguir

não importa em que lugar
sem roteiro ou souvenir

o agora não tem preço
faço dele um endereço

- estendo a rede na varanda do tempo -


não me venha perguntar
que eu nem quero responder

já tirei até colar
para nada me prender

o agora não tem ponteiro
é seu próprio paradeiro

- entendo a sede na garganta do tempo -


Escrito a partir de:

vou ficar mais um pouquinho
para ver se eu aprendo alguma coisa
nessa parte do caminho
Tulipa Ruiz, em Efêmera

Onde é que eu atrelo o burro, e que eu desço da sela,
e entrego a rédea a alguém...?
Dalva Maria Ferreira, em Poesias Soltas

28 comentários:

MIRZE disse...

Lindo, Renata!

É verdade, mas a gente não para para fazer, só para pensar. Quando quero me sentir livre, tiro o relógio, porque é um vício que tenho.

Adorei a Tulipa! Que voz doce.

Beijos, poetisa"

Mirze

J.F. de Souza disse...

o Agora é a parte que o Tempo nos deixa tocar.

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, sede na garganta do tempo... Linda imagem poética como tantas outras, em teus ritmados e bonitos versos.

João Luis Calliari Poesias disse...

Oi, Renata! Grato. Bom ter você como colega no poemadia.Abraços

João Luis Calliari Poesias disse...

Oi, Renata! Grato pela visita no meu espaço. Muito bom ter você como colega no Poema Dia.Passei por aqui ontem e postei comentário. Não sei se sabes, os blogs ficaram mais de 24 horas fora de serviço e, no meu, foram excluídos comentários de uma semana atrás, inclusive o seu. A postagem de ontem 12-03-11, também foi perdida, por sorte tenho o costume de escrever os poemas à caneta na agenda. Enfim, fica o registro. Abraços. João Luis

Jão disse...

Tempo que é senhor de tudo
vezes castiga
outrora acalenta
mais sempre tem o dedo do tempo
no tempo da vida



beijos moça!

João Luís Calliari Poesias disse...

Oi, Renata!

Grato. Bom ter você como colega no poemadia

Abraços

Machado de Carlos disse...

Escreve com a alma de uma grande poetisa! Muito bem!

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, sede na garganta do tempo...

Linda imagem poética como tantas outras, em teus ritmados e bonitos versos.

Brunno Lopez disse...

Métrica, bom gosto, sutileza.

Você escreve com trilha sonora inata.

Um brasileiro disse...

Oi. Estive por aqui a dar uma olhadela. Lindas poesias. Gostei. Apareça por lá. Abraços.

Mais um imundo no mundo impuro disse...

Parece que a cada dia aceleram mais o relógio do tempo, que insiste em nos consumir, é tão bom parar sem se preocupar com partir ou chegar.

Abraços Imundos!

Fabrício Franco disse...

Renata,

Muito bom! Gostei deveras!

Beijo!

Mário Liz disse...

o segundo é a demora que nos devora aos poucos ...

Renata de Aragão Lopes disse...

Como disse João Luís, os blogs ficaram inativos por mais de 24 horas.

Por sorte, recuperei os comentários acima.

Beijos a todos!

A.S. disse...

Renata,

Um belo trabalho de composição poética, sobretudo a sua musicalidade!


Beijos,
AL

Pablo Rocha disse...

Você da significado prático ao dom da poesia. Adorooo o que escreve!

Aplausos!

Jessiely Soares disse...

Tão lindo, tão lindo, tão bom ler você...

Tem um peso leve nas suas poesias, alguma coisa de brisa.

Talita Prates disse...

Lindo, Re, lindo!

Eu sempre penso/digo que se tivéssemos a noção da "gravidade" e da urgência do "agora", nossa existência seria infinitamente diferente...

E estou contigo:
"o agora não tem preço
faço dele um endereço"

beijo, tão-querida!

Tatá
História da minha alma

Valéria Sorohan disse...

Pra que a pressa, não é mesmo?!
Parabéns Renata, ficou perfeito.

BeijooO*

Sandra disse...

Vim deixar meu abraço super gostoso a você..
Um abraço transmite emoções na trocas de carinhos e afetos.Compartilhamos alegrias, sentimentos, amenizamos as tristezas, demonstramos carinhos e amizades, damos amor.. Expremos sentimenso que somente nossos coração conhece.
Feliz dia do Abraço para Você.
Muito obrigada por ser meu amigo virtual tão especial. Carinhosamente,
Sandra

rogerio santos disse...

balançar na rede do tempo
trocar o tic-tac pelo vai e vem
parece um bom acordo
quem sabe o tempo para
e o poema se eterniza?

Giu Gragnani disse...

lindo, lindo.

Ana C. disse...

beijos flor..
passando pra visitinhas..

Desengavetados disse...

Boa Noite, Doce de Lira! Vim matar a saudade, até por devia desde o dia do aniversário do blog, e pq fazia tempo que não te lia Renatinha!
"que vontade de ficar
quando a pressa é de seguir"

Tenho vontade de ficar aqui lendo sempre... mas a minha pressa com a vida tem me impedido.
SAUDADES IMENSAS!
Saudades de te ler, saudades de seus comentários lá no meu Desengavetados, que anda parado.
Mas hoje, escrevi lá uma poesia Nota. Aparece!
beijo enorme!
Andréa de Azevedo.

MOISÉS POETA disse...

Que maravilha , Renata !

Gosto de poemas inspirados em outros
é como se fosse um sequência.

adorei !

um beijo !

Moni. disse...

Eu ADORO a Tulipa Ruiz...

Mais ainda, o que escreves... e esses versos, presos ao tempo, rebelados, invertendo os papeis de refén, são lindo demais, Rê!

Beijo gigante!!!

Moni

Rafaela G. Figueiredo disse...

o tema do Tempo é inesgotável - como ele.
sua criatividade acompanha bem! =)

beijo, Rê