sexta-feira, 7 de março de 2014

Rapunzel

In the Bleak Midwinter by Loreena McKennitt on Grooveshark
Inicie a música antes da leitura.



eu sou
essa mulher
no alto da torre.
que o escolheu e lhe
ofereceu as longas tranças
pra que subisse e a encontrasse.
caminhar distraído, você foi laçado.
sem saber o que o esperava. sem sequer
desconfiar do que lhe viria depois dos cabelos. 
não lhe dei escolha. você teve de subir e escorregar,
subir e escorregar. subir e escorregar tantas vezes quantos
fossem os seus medos. de altura, de tontura, de devaneio. hoje,
eu o vejo da torre à metade do caminho. ainda perdido, desajeitado,
quase aflito. as tranças retas, você insiste em sabê-las curvas. eu espero.
eu esperei a vida inteira. sei que, um dia, terei a cabeça leve e a nuca livre.
e desceremos da torre juntos, finalmente de mãos dadas. degrau por degrau.


11 comentários:

Paulo Rogério disse...

Coisa
mais linda!
Por hoje, por isto,
não terei(quase mais)
medo de devaneio!Feliz dia!

Ana Paula disse...

Maravilha de torre e tranças que você nos mostrou em versos delicadamente fortes!
Beijo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Abandone o medo, Paulo Rogério. Creio que lhe fará muito bem. =)

Que bom que gostou da torre, Ana Paula!

Obrigada a ambos pela leitura e pela gentileza do comentário. Beijos!

Isa Lisboa disse...

Dá sempre medo, tanto de subir à torre, como de descer dela... Mas essa torre ficou muito boa, não dá medo algum de a ler!
Abraço

Brunno Lopez disse...

Construção e ritmo soberbos.

Fabrício César Franco disse...

Poetisa,

Se antes, ficava entretido com o conteúdo, agora é a forma que me seduz (também). Gostei deveras!

Abraço!

Anônimo disse...

Excellent write-up. I certainly love this site. Keep it
up!

Feel free to surf to my web blog best baby monitor

Mauro Lúcio de Paula disse...

Renata, tudo que você escreve tem conteúdo, sentido, ritmo e, agora, tem também forma, parabéns!

Anônimo disse...

Maravilhosa,
sem comentários, linda linda linda.
tesoura

Ana Vidigal disse...

Trazer a cabeça leve
e a nuca livre
é também o que cabe à Rapunzel.

Um abraço e parabéns pelo belo texto, Renata : )
Ana Rosa Vidigal

Lila Alvarenga Nitzsche disse...

Caramba! Vc é boa...