sábado, 21 de março de 2015

Gramatical


um verbo se despe
porque a ação se insinua.
o infinitivo a surgir
do infinito feito lua.
o sujeito oculto
quase vulto
apenas murmura:
varamos a tarde
sem alarde
com a língua crua.
despiu-se o verbo
sem nenhum pudor
ou censura.
a palavra
pra ser amor
se faz nua.



Fotografia de Felipe Saleme.

5 comentários:

Bella Mendes disse...

Lindo! Como sempre.

Simone Lima disse...

Muita cumplicidade com as palavras!

Arte & Emoções disse...

Olá Renata! Belo poema! Pequeno na estrutura, porém gigante na profundidade.

Beijos e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado.

Fabrício César Franco disse...

Poetisa,

... O final é arrebatador!!!

Beijo!

Jason Jr. disse...

Levando suas palavrinhas para passear no meu cantinho Renata! :)

http://jasonjrcajazeir.blogspot.com.br/2015/04/passeandando-por-ai-c.html