domingo, 10 de setembro de 2017

Sentir falta nem sempre é saudade


pela loucura de me descobrir
em seus olhos é que sinto falta
do seu rosto

não era o que me dizia

era o que eu lia
na pauta da sua íris
que dava gosto

eu fora de mim
e diante de mim
estando em outro

não era o que me fazia

era o que eu via
no muro da sua pupila
pichado em ouro

                x

pela loucura de me esconder
em seus olhos é que sinto falta
do seu rosto

não era o que me calava

era o que eu amava
no baú da sua íris
que dava gosto

eu dentro de mim
e diante de mim
estando em outro

não era o que me negava

era o que eu guardava
no fundo da sua pupila
como tesouro


4 comentários:

Marcelo Espindola disse...

Uau!!! Que Lindo poema Renata!

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada, Marcelo! Escrito hoje.

Anônimo disse...

Maravilhoso. Parabéns.

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada!