quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O poeta e a ciranda



Palavra é grão e palha.
Poesia é o que passa
ou o que falha?


58 comentários:

Liene disse...

Olá Renata!

Escrever é a arte da seleção, separando o grão da palha.
Este poemeto me fez lembrar de João Cabral de Melo Neto com o "Catar feijão":

"Certo,toda palavra boiará no papel
água congelada, por chumbo seu verbo
pois para catar esse feijão, soprar nele,
e jogar fora o leve e oco, palha e eco."

Um grande abraço!

Lara Amaral disse...

De todo modo
é o que d'estaca
no peito

Profundo, Rê, interessante a gente parar um bom tempinho em três versos.

Gostei muito!

Beijos, boa noite!

The Blues Is Alright disse...

É o que faz a falha passar.

Vanessa Souza Moraes disse...

Passar, falhar. Quem sabe? :)

Nathi disse...

lindo lindo! *-*

Parabéns, moça!

BAR DO BARDO disse...

gr/alha
p/ão

Fabio Rocha disse...

Per-fei-to!

Ariane Rodrigues disse...

Acho que os dois...mas também é o que fica e acerta...bjos

Renata de Aragão Lopes disse...

Liene, muito obrigada pela visita e pelos pertinentes versos de João Cabral!

"De todo modo, é o que d'estaca no peito". Adorei, Larinha! : )

The Blues is Alright, o que disse foi bem intrigante...

Vanessa Souza Moraes, "quem sabe", afinal? : )

Nathi e Fábio Rocha, que bom que apreciaram o poemeto!

Bardo: grão-palha, gralha-pão! Que percepção mais curiosa!

Ariane Rodrigues, eu também não consegui chegar a um termo...

Um abração a todos vocês!

Marcos Satoru Kawanami disse...

poesia é o que fica.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Adoro versos assim...

Poesia é isso e também um pouco mais.

Abraços

Luciane Slomka disse...

Depende do poeta. E do leitor... acho que a poesia é o que passa mais do que o que fica, desde que o leitor consigo perceber isso tudo, tudo o que não se pode ver...
Saudades de vir aqui te visitar!
Beijo!

Ribeiro Pedreira disse...

A poesia é a palavra que fica. E passa pra ficar novamente.

Tania Girl disse...

não sei nem o que dizer....
gostei muito.
bjos

Caio Rudá disse...

lindo! eu digo que é o que fica, o ouro do garimpeiro.

Marcelo Novaes disse...

Renata,




Poesia passa, falha, fica e vai.






Beijos,







Marcelo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Marcos Satoru, Ribeiro Pedreira e Caio Rudá, vocês foram incisivos na resposta! Obrigada!

Mais um imundo no mundo impuro, poesia é sempre muito mais! : )

Que saudade, Lu Slomka! Gostei das ponderações que fez!

Tânia Girl, que bom que gostou do poemeto!

Marcelo Novaes, talvez a poesia esteja no manejo da ciranda... : )

Beijos!

marjoriebier disse...

Clariceando...

"Terei toda a aparência de quem falhou, e só eu saberei se foi a falha necessária."

beijokisses

Tiago Moralles disse...

É o que passa, é isso aí hehe.

Jacque disse...

Oi, Renata! Nossa, quanta honra tê-la no Poética! Aqui em teu blog respiramos poesia! Ê Minas Gerais, terra onde o lirismo desmedido mora nas montanhas azuis! Terra de Glauber Militani, Davi Drummond, Renata de Aragão... Minha doce poeta, isso aqui tudo me encanta! Sigo-te e daqui não irei mais sair!

Irei voltar mais vezes para me deliciar com os seus confeitos feitos das fatias dos sentimentos.

Um beijo!

entremares disse...

As palvras são como o vento.
Acariciam-nos o rosto e provocam-nos arrepios na pele.

Umas, emoções.
Outras, desalentos.

Tudo de bom para ti,
Rolando

Talita Prates disse...

poesia
é a peneira!

adorei, amiga!

bjo grande!

PS: recebi o email! Responderei em breve. :)

Flávio Machado disse...

Oi, Renata, belo poema, muito bem colocado e centrado numa questão importante demais para todos nós, belo, belo poema

bjs

Mário Liz disse...

a poesia é a uma falha (uma fenda) na alma ...

eu amo demais esses versos leminskianos com o toque doce de sua lira ...

breve e intenso ... ou como dizemos aqui no Sul de Minas Gerais: curto e grosso ...rs!

aplausos sem pausas ...

manuel marques disse...

"Palavra é grão e palha.
Poesia é o que passa
ou o que falha?"


As palavras são os trocos do pensamento...

Beijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Marjorie e Clarice: uau!!!

Tiago Moralles, o primeiro a afirmar que a poesia "é o que passa"...

Jacque, seja muitíssimo bem-vinda ao doce de lira! Aguardarei seu retorno! : )

Rolando Palma, muito obrigada pela visita e pelo gentil comentário!

Talita Prates, foi exatamente o que eu disse ao nosso amigo Marcelo Novaes: "talvez a poesia esteja no manejo da ciranda"... Ficarei à espera de seu e-mail! : )

Flávio Machado, colega de Poema Dia, fiquei muito feliz ao encontrá-lo por aqui!

"A poesia é a uma falha (uma fenda) na alma". Adorei, Mário Liz, meu amigo do sul de Minas! : )

Manuel Marques, muito grata pelo registro de suas palavras!

Um abração a todos!

Pelos caminhos da vida. disse...

Perfeito.

Obrigada pela sua visita.

Gostei daqui.

beijooo.

Natália Corrêa disse...

Só falha quando passa
bom é quando fica.

Juliana Lira disse...

Renata

Que dom é esse de em três versos criar filosófia? Menina parabéns!

Quanto a poesia... A poesia eu diria que é capaz de juntar grão e palha e formar arte!

Ela torna o real suportável. Já dizia o Pessoa que "O poeta é um fingidor"...

Acredito então que a poesia conserte as falhas...

E a poesia é o nosso bálsamo, ela eterniza o sentimento e mesmo que o sentimento passe, a arte é imortal!

Milhões de beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Se é para escolher, vou de "Falha"...rs

bjo.

Maria Clara disse...

Adorei o miúdo, Renata.
Excelente o seu questionamento (in)definição poética!

Beijos,
Hercília.

Menina da Imprensa disse...

Nossa... nas suas mãos poesia é o que você quiser! Lindo hein... vou voltar aqui pra fuxicar mais rsrs
Smacks

Eraldo Paulino disse...

É mesmo... as palavras são ou não aproveitadas dependendo do gosto do animal, mas o que não é comida, pode virar enfeite... e quem decide? quem?
rsrs


Gostei! Muito!

Bjs!

Nydia Bonetti disse...

A poesia quando passa por nós, fica, brota, frutifica. Mas como tudo na vida, algumas falham... :) Beijooo

Vanessa Souza Moraes disse...

http://meudivaenacozinha.blogspot.com/2010/01/meninas-mulheres.html

Usei-a! ;)

Í.ta** disse...

as duas coisas,
creio.
e um pouco mais.

um abraço.

Robson Ribeiro disse...

Belos versos, Renata.

Parabéns.

Iara na Janela disse...

torta poesia. portanto, bela belíssima.

e doce, porque é de lira.

beijão!

J.R. Lima disse...

muito legal!

Camilla para os menos íntimos... disse...

prazer!
Camilla, moro em São Paulo.
se quiser fazer-me uma visita sinta-se a vontade...
adorei o blog... adoro poesia, poemas e afins... já sou seguidora.

beijos no coração.

http://camillapreta.blogspot.com/

Concha disse...

Lindo!
Bjs

A.S. disse...

Renata... a poesia existe no grão que alimenta ou na palha que o vento leva sem destino...


Um beijo

AL

NDORETTO disse...

Muito bom! Adoro seus curtas! Aceita entrar pro curta-metragem?

Será uma honra,pode crer!

bjs
neusa

Renata de Aragão Lopes disse...

Pelos caminhos da vida, Rafael Castellar das Neves e Camilla, sejam muito bem-vindos à minha confeitaria! Espero que retornem!

Natália Corrêa, obrigada pela visita e pelo posicionamento: prefere o que fica!

Juliana Lira, sem nos darmos conta, filosofamos a todo tempo na vida... : )

Querida Hercília, amiga de Poema Dia, que prazer encontrá-la aqui no doce de lira! Muito obrigada pela visita e pelo convite para integrar o projeto Maria Clara!

"Nas suas mãos poesia é o que você quiser!" Envaideceu-me, Menina da Imprensa! : )

Eraldo Paulino, que considerações mais interessantes!

Nydia Bonetti, fico muito feliz por você acompanhar a minha produção poética!

Vanessa Souza Moraes, obrigada pelo prestígio! Já localizei os meus versos no divã que há em sua cozinha! : )

Í.ta, Robson Ribeiro, Iara na Janela, J.R. Lima e Concha, que bom que apreciaram este poemeto!

A.S., a poesia em ambos...

Neusa Doretto, expert em curtas! Muito grata pelo convite! Seria que eu daria conta de mais um compromisso literário? : )

Um abraço a todos vocês!

Vanessa Souza Moraes disse...

Poesia persiste.

Fernanda disse...

poesia é o que fica.é o que deixa a alma cheia de coisa boa,alimento pra vida=)

lindo aqui obrigada pela visita=)
linkado seu blog,passarei aqui mais vezes=)

Thalita Souza disse...

Tuas palavras sempre descrevem o que os outros não conseguem decifrar.
Poesia é uma algo inexplicável que floresce dentro de nós.

Desabafando disse...

Lindo, lindo, lindo...adorei!

Obrigada pela sua visita e comentário, volte sempre que desejar, tentarei passar aqui mais vezes pra te conhecer mais. :-)

Martinha disse...

Poesia... é vida em palavras! ;)
Obrigada pela visita!
Beijo *

Jackie Kauffman Florianopolis-SC disse...

Palavra...Poesia...passa...falha, diz... Demais!

Crista disse...

Feliz em te ver no meu blog...
Visitei o teu e GOSTEI...por isso já estou te seguindo!
Carinhosamente...

Lai Paiva disse...

Poesia é isso o que faz tão impecavelmente. Bjs

Lua disse...

Adorei aqui, você escreve muito bem.

Obrigada pela visita, volte sempre.
Beijos!

rogerio santos disse...

lindíssimo poema Renatinha...
Adorável !
Beijos e bom 2010
(já que não nos falamos ainda...rs)

Rafaela Figueiredo disse...

pra dialogar:

a palavra aprimora
o que o pensamento joga fora [?]
ou somente demora
o que já foi embora [?]

=)

beijo, Rê
obrigada pela visita, sempre bem vinda

J.F. de Souza disse...

qualquer coisa que a pena valha

Renata de Aragão Lopes disse...

Vanessa Souza Moraes, Fernanda, Thalita Souza, Martinha, Jackie e J.F. de Souza, muito obrigada pela manifestação!

Desabafando, Crista e Lua, que bom que apreciam o doce de lira!

Querida Lai Paiva, que elogio bem-vindo! : )

Rogério Santos, muito grata pela visita! Um lindo 2010 pra você também!

Rafa Figueiredo, obrigada por dialogar comigo! : )

Beijos.

Anônimo disse...

é a forma de cada um manifestar sua angústia..seja ela um prazer ou simples lamúria, algo que pode ser subjetivo, interativo ou simplesmente ser... Eu acho que as vezes, o poeta pensa e escreve mas depois nem ele se lembra exatamente o sentimento que o fez escrever aquilo. Pelo menos comigo as vezes é assim... Uma boa noite, espero ter dito algo coerente :)