domingo, 31 de julho de 2011

Quadratura



aquela que crê
aquele que vê
aquela que voa
aquele que pisa

- lagoa e brisa -

o menino dos olhos
a menina das asas
o menino baliza
a menina lama

- chão e chama -

a mulher borboleta
o homem soleira
a mulher labareda
o homem aquarela

- alameda e capela -

ele a postos
ela rendida
ele sereno
ela à altura

- terreno e quadratura -

[e num simples aceno
fez-se a Luz]



Àqueles que comigo presenciaram um milagre.
26 de julho de 2011

8 comentários:

Anônimo disse...

Como uma baliza estarei sempre aa frente, como um escudo de nossa amizade!
Aos demais vértices do quadrado, muita Luz!
Um abraço,
Terra...

JasonJr. disse...

... :D ...

Talita Prates disse...

Fiquei curiosa quanto ao milagre... rs.
Para inspirar poema, deve ter sido arrebatador...

Um beijo, querida!

Bom agosto pra vc.

Talita
História da minha alma

Adriana Godoy disse...

Beleza, Renata. Milagres são uma bênção.
Um beijo

Analuz disse...

Desperta a curiosidade!

Beijinho encantado!

Jão disse...

Essa dualidade, essa entrega. Coisa mais linda.


Beijos!

Priscila Lopes disse...

Nossa, muito bom!
Um poema desses que eu não lia há muito tempo.

MIRZE disse...

LINDO, Renata!

Construção, rimas e temas. Adorei a mulher - labareda!

Beijos

Mirze

Que muitos milagres ainda aconteçam,

Beijos