domingo, 23 de outubro de 2011

O Grande Mandamento



diga:

quando foi
sua última prece,

consolo a quem adoece,
pedaço de bolo ao faminto,
abraço verdadeiro por instinto

- amar ao próximo como a si mesmo -

é tão mais difícil do que parece
ninguém se ama por inteiro
e se dá o quanto merece

amor é de dentro
e floresce:

doe-se

22 comentários:

Ana Carolina disse...

que lindo... amei o texto. Parabéns.

Gisa disse...

Mandamento irrefutável.
Um grande bj querida amiga

Erica Matos disse...

Lindo, lindo!
Que possamos cada dia mais descobrir o verdadeiro amor, doando-se!
Me faz bem passar por aqui!

Beijão

Patrícia Gonçalves disse...

Renata, tão lindo e tão verdadeiro, esse amor acaba com nome de doce, amor em pedaços, e não por inteiro.

bjs

Aline Barra disse...

Que verdade mais bela de ver e ler, Renata!

Grande mandamento! Adorei!!

Abraços!

Ju Blasina disse...

Que lindo!!! E que orgulho ver meu filho Blavino tão bem representado! Meus parabéns! Beijinhus

MIRZE disse...

RENATA!

Tão bonito, que quando mudar a postagem vou colocar no PAZ E BEM.

É difícil pensar assim e fazer. Que eu conheça, só você e eu. Claro que deve ter muito mais, os que nem dizem.

Excelente!

Beijos

Mirze

Patrícia disse...

A lição mais difícil de se aprender!
Beijo

Nadine Granad disse...

Que doce!...
...Poesia e poetisa!!!


Beijos =)

Tania regina Contreiras disse...

Renata, o poema deveria estampar-te nos céus como oração diária: lindo!
beijos,

Luna Sanchez disse...

Belíssimo!

E eu, por sorte (minha) fiz algo de que posso me orgulhar ainda agora de manhã.

Um beijo.

Domingos Sávio disse...

Lindo.

[e o mais belo -
sem desejo
de recompensa]



Beijo carinhoso.

Adriana Karnal disse...

eu e meu marido vinhamos falando disso agorinha, as pessoas estao tao egoistas,nao conseguem se colocar no lugar do outro.

Mauro Lúcio de Paula disse...

Renata,
Lindas palavras. Já nascemos para amar, "amor é de dentro e floresce" é nisso que eu acredito. Parabéns!

Aline P. Silva disse...

Depois de um longo tempo de hibernação, recuperei o ânimo para navegar pela blogosfera, na primeira visita, me deparo logo com esse poema tão singelo, falando de uma carência tão evidente nos dias atuais. Sem entrega não há amor, são tantas faltas, tantas dificuldades e tantos desperdícios... Recordo-me que certa vez comentei com um amigo: ''doar-se é doer-se, e muitas vezes não pode ser de outra forma''.

Abraços :)

Dalva Maria Ferreira disse...

Que lindo!

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

tantas vezes, mesmo, estar presente para alguém é dar, não é?!

lindo, Rê!

beijo

Romeu disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sabryna Gonçalves disse...

Amor, difícil descrever, apenas sabemos que o sentimos...e somos o próprio amor.
Beijos querida te sigo
visite-me:http://sabryna-liberdade.blogspot.com/

Cris de Souza disse...

que lindeza!!!

Elisa T. Campos disse...

Prece linda
num V invertido
mas que floresce dentro

bjs

Ricardo Mainieri disse...

Gostei da estética e da mensagem do poema.
Eu tenho, entre meus planos para a aposentadoria, a caridade a meus irmãos via o desempenho de atividades junto á Sociedade Espírita.
E, também, a meus irmãos irracionais, através de entidades de bem-estar animal e de ecologia. A grandeza do homem se dá quando ele abandona sua fase oral, como uma eterna "boca aberta" para o consumo e pensa no que pode ceder para alguém.

Beijão.

Ricardo Mainieri