sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Significâncias



nem toda flor é rosa
nem todo azul é céu
nem todo texto é prosa
nem todo doce é mel

nem todo espelho é mágico
nem toda prece é fé
nem todo amor é trágico
nem toda meia é pé

nem todo pão é trigo
nem todo pó é sal
nem todo anjo é amigo
nem todo lobo é mau

mas toda brisa é saudade
todo lençol é divã
todo soluço é verdade
toda esperança é manhã


Escrito em 11 de julho de 2011.
Fotografia minha: nem todo mar é bravo.

31 comentários:

*** Cris *** disse...

Belo jogo de palavras, adorei!
Bjs!

Ana Carolina disse...

Que lindo o poema.. e a foto também... que água cristalina, borbulhante... adoro o mar! especialmente as ondinhas que quebram, a areia molhada o horizonte lá longe... num dia de céu azul. Bjinho!

Dalmo Nogueira disse...

"Nem todo amor é trágico..."
Este tipo eu ainda não encontrei.
Parabéns pelo poema.
Um abraço.
Dalmo.

Ariane Rodrigues disse...

Que doçura!

MIRZE disse...

Nem todos escrevem tão bem como você, Renata!

Lindo!

Beijos

Mirze

Thaíla disse...

Nem tudo é, como vc quer... nem tudo pode ser perfeito! Pode ser fácil se vc vê o mundo de outro jeito (8)

Nem tudo é o que parece ser, né?

Artes e escritas disse...

Um poema barcarolla, muito agradável de se ler. Um abraço, Yayá.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Difícil escrever depois de te ler, a sua poesia é de uma beleza e de uma significância enorme que é preciso escolher bem as palavras, mas te confesso que ao terminar de ler seus versos fiquei com aquele gosto bom, aquele gosto de quero mais. Fiquei com aquela sensação gostosa que você reza pro tempo parar e aproveitar mais um bucadinho do momento e foi por isso mesmo que eu li de novo e de novo e de novo.

"Mas toda brisa é saudade
todo leçol é divã
todo soluço é verdade
toda esperança é manhã"

Amei tudo isso.

Abraços Imundos...

Walerie Gondim disse...

"algodão às vezes é doce, mas às vezes é doce não."

Walerie Gondim disse...

"algodão às vezes é doce, mas às vezes é doce não"

Ser em construção disse...

Que em 2012 toda palavra
continue sã.
E que todos os poemas
explicitem toda a insanidade da nossa alma.
beijos um 2012 iluminado.
inté...

Rafaela Gomes Figueiredo disse...

não sei se nem toda palavra salva.
mas esta, neste domingo modorrento-melancólico-fim-de-mundo-fdp... salvou, Rê.

sou grata.

Aline Barra disse...

Renata,

o que posso dizer? ... Um doce! De lira.

Abraços!

Leandro Jardim disse...

Lindo, como sempre :)

RICARDO disse...

Belo, suave e adocicado...

Abraço!

Renata de Aragão Lopes disse...

Cris,
Ana Carolina,
Ariane,
Yayá,
Walerie Gondim,
Ser em construção,
Aline Barra,
Leandro Jardim
e Ricardo,
que bom que gostaram do poema!
Obrigada pela leitura e comentário!

Dalmo Nogueira,
que você o encontre logo, logo!

Mirze querida,
você já é suspeita! : )
Muito grata pelo carinho!

Thaíla,
as ilusões são muitas...

Mais um imundo no mundo,
até hoje me surpreendo
com o alcance do blog.
É delicioso saber
que minhas palavras
vão tão longe...
Obrigada por me proporcionar
tamanha alegria!

Rafinha Figueiredo,
que a salvação perdure, ao menos,
até o próximo domingo! : )

Um beijo carinhoso a todos vocês!

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Renata
"Nem todo o lobo é mau"...
Cada um verso mais lindo do que o outro... parabéns!!!
Bjm de paz e alegria

Fabrício Franco disse...

Renata,

Impressiona-me, muito, quem consegue manter o sentido com a filigrana frágil da rima. Ainda mais quando as palavras dispostas têm vários níveis de entendimento. Gostei muito!

Magda disse...

Soluçar no divã, olhando o céu cinza, enquanto o lobo toma conta para o anjo não puxar meu tapete...
Perfeita expressão de que nem td na vida é o que parece ser.
A brisa? I-ne-vi-tá-vel!
Você é ótima!

Barbara C disse...

''Significou''muito, adorei!


beijos

Albuq disse...

Nem tudo é como a gente imagina!

Tania regina Contreiras disse...

E todo verso teu traz luz!

Beijos,

Tiago Medina disse...

Que doce =)

Talita Prates disse...

todo poema teu é lindo.

todo, Rê.

Beijo, minha amiga.
MUITA saudades de você. =(

Giu Gragnani disse...

ah, fazia tempo que eu não passava aqui... ainda gosto do gosto desse doce.

JP. disse...

... e tudo é realmente isso E aquilo... é E não é... tudo pode ser tudo! adorei Renata... e concordo!

MOISÉS POETA disse...

Bacana , Renata!
gosto da suavidade da sua escrita.

Um beijo !

Nayara Lopes disse...

(...)nem todo mar é bravo,
nem toda pedra é um tropeço,
nem toda escrita é um traço
mas toda poesia é um começo!

(rs)


Os meus mais sinceros parabéns à uma grande e talentosa escritora!

Pra quê faculdade, afinal?! Rs...

Beijos,
Nayara Lopes.

Rafael M. disse...

"Todo lençol é divã" - é bem verdade. Sempre ficamos pensativos quando estamos deitados, nem que seja por cinco minutos. É quando a gente pára pra refletir e fazer um balanço de tudo o que tem acontecido ultimamente.

Seu blog é bacana, vou voltar mais vezes.

Abraços!

Mário Liz disse...

adorei !!!!

Liana disse...

Pela primeira vez ando em suas palavras e, simplesmente, adorei...