quinta-feira, 10 de maio de 2012

Original


quando se bebe da palavra
bebe-se da Fonte

a palavra é luz
disponível no horizonte

claridade cujo trago
esclarece ou inebria

não é dessa luz viciante
que é feita a poesia?


Escrito a partir de:

Poesia: aluzcinógeno verbal.

No princípio era o Verbo

25 comentários:

Gisa disse...

E que vício! Lindo.
Um grande bj

Fabrício Franco disse...

Renata,

... E como todos os seres vivos, necessitamos de luz (ainda mais, dessa!) para (sobre)viver.

Como de sempre, magistral!

Abraço!

Dalva M. Ferreira disse...

Um trago dessa Fonte e pronto: teremos a sede eterna.

Mário Liz disse...

e é essa luz que nos cega feito a paixão ...

Magda disse...

Assim, seja, Dalva M. Ferreira!

Pablo Rocha disse...

Muito bom passar aqui e beber da tua poesia!

Gostei demais!

Bjs

Pablo Rocha disse...

Muito bom passar aqui e beber da tua poesia!

Gostei demais!

Bjs

Mauro Lúcio de Paula disse...

nós necessitamos sempre de luz para enxergar e poesia para sentir. Claridade inebria os olhos e vicia a alma. E você poeta é fonte incessante de novidades e sensibilidade.

Márcio disse...

E esta Fonte é inesgotável!!!!
Beijos.
Márcio

Maíra K. disse...

Não sei bem de onde a poesia vem. Só sei que as palavras, simplesmente, surgem! =D

Ira Buscacio disse...

Morro de vício!
bj

Arco-Íris de Frida disse...

Poesia...que nos faz suportar as durezas da vida...

mfc disse...

Enquanto houver poesia... ainda há esperança!

Fred Caju disse...

Dispenso a interrogação e pego o poema como uma certeza.

marlene edir severino disse...

"Com minucioso cuidado o poeta recomeça a escrever
sob a sombra que nunca mais o deixará como uma aranha negra."
(António Ramos Rosa em As Palavras)

Depois que se experimenta,
não se vive mais sem ela!

Abraço, poeta!

Angela disse...

grata pela visita e por me ofertar sua poesia.

Arnoldo Pimentel disse...

Lindo seu poema e seu espaço, já te sigo.Beijos.

http://ventosnaprimavera.blogspot.com.br/

Michele Pupo disse...

Aprecio Affonso Romano e me deliciei com seu poema.

Um abraço poético

Pedacinhos de mim disse...

Fiquei encantado com a clareza das palavras, com esta forma mágica de escrita que me prende o olhar. Soube mesmo bem hoje ler estas palavras. Irei aqui passar muito mais vezes. Um Beijo :)

Jéssica do Vale disse...

Inigualável;
De tão original deixa
extremamente claro
o que a poesia faz!

Estou a segui-la,
quero sempre saciar
a vontade da doçura,
por aqui.

O COELHO DE DÉBORAH disse...

Fez-se luz!

Parabéns...!
Beijinho.

Vais disse...

Saudações, Renata
muito bonito:
"a palavra é luz
disponível no horizonte"
pra quem quiser fazer uso

grata pela visita
beijo pra você

Vais disse...

Saudações, Renata
muito bonito:
"a palavra é luz
disponível no horizonte"
pra quem quiser fazer uso

grata pela visita
beijo pra você

Ives disse...

Olá, que linda e divina poesia! Amor é fonta de tais inspirações! abraços

Diego Zanotti disse...

Dar palavra à claridade é dar passagem à luz do verbo. Produzimos luz própria!

Lindo poema e significativos entendimentos, querida amiga!