quinta-feira, 6 de junho de 2013

Angu


Se todo passado é poço,
a infância é mina
da água mais fresca e cristalina,
eternamente potável
e quase doce.
Quase.
Não fosse o caroço,
a fruta seria só polpa.
Mas sem alma,
o corpo só teria roupa.
Ainda bem que toda fase,
principalmente a infância,
tem caroço e alma.
A gente cresce,
primeiro em osso,
depois em calma,
com a lição
de que a vida inteira é metade:
colo e família,
sonho e vigília,
dor e felicidade.
Uma lenta descoberta:
o amor só existe por dentro.
Por isso, toda relação é incerta.
Raramente, a gente se sente amado.
Seria o amor um caroço guardado?
Por que, então,
a gente não sai de boca aberta
e cheio de vontade
até alcançar o caroço do outro?
É que o medo dá azia.
Perde-se a fome,
altera-se o paladar.
Ninguém come.
Cada caroço em seu lugar.
E, aos poucos, a gente entende:
a alma é que escolhe a quem amar.
Assim,
alguma solidão sempre será companhia.
O fim, ao começo.
A noite, ao dia.
E todo sorriso terá gosto
de lágrima caída.
A vida é isso:
uma panela de mingau quente,
feito de fubá, água e melancolia
quase sem pressa.
Quase.
O tempo é esse fogo que não cessa.



Escrito após a leitura de Por parte de pai,

9 comentários:

Fabrício César Franco disse...

Poetisa,

Tem um quê fortíssimo de mineiridade nas linhas de seu poema, que me seguraram da primeira à última linha, numa leitura que misturou o ineditismo do que escreveu com as memórias do que vivi, em família, dentro das Alterosas. Gostei demais!

Beijo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Leia Bartolomeu, Fabrício. Ficará encantado!

Obrigada pela costumeira presença em minha confeitaria. Um abraço!

Ives disse...

Que fogo saudosos e suave, com lembranças coloridas e saborosas! Divina poesia! abraços

Aline Barra disse...

Renata,

sempre me delicio com seus doces mas, desta vez, meu paladar não foi capaz de saber se era feitio seu ou de Bartolomeu. Achei bonito demais esse cruzamento de mineiridades!

Lindo!
Beijos!

RICARDO disse...

Maravilha Renata!

Magda disse...

Lindo...

brêda disse...

Que maravilha o seu poema. Estou encantada! Parabéns!

abbsinto disse...

Chegando e ficando. Você escreve muito bem. Emociona.

andie ✡ disse...

Ai, fico encantada a cada palavra.