quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Elixir



Que unidade de medida
teria a felicidade,
se não o quanto de vida
que se traz em si?


25 comentários:

Lathife Cordeiro {..aquela} disse...

Que se multiplique!!

bjs :*

Marcelo Mayer disse...

a embriaguez, talvez

Marcelo Novaes disse...

Renata,




Bons versos e boa forma de medir.


A medida se assemelha a "pujança".







Beijos, amiga.






Marcelo.

A Moni. disse...

Eu diria que a imagem traz tanta resposta quanto o poema: SORRISOS!!!

Tem garantia maior de felicidade?
Com a boca,
Com os olhos,
Com o corpo,
Com a alma.

Só a felicidade faz isso...

E que eles venham, inteiros!

Beijos, Rê!

Felipe A. Carriço disse...

Fico feliz de não caberem nos dedos tantos momentos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Lathife Cordeiro, amém!

Marcelo Mayer e seu bom humor! (risos) A embriaguez traz, quando muito, uma falsa e efêmera felicidade...

Marcelo Novaes, como sempre, você captou a essência do poemeto e o fez enorme!

Moni, é fundamental sorrir com a alma... : )

Felipe Carriço, que bonito comentário!

Incontáveis momentos de felicidade a todos vocês!

Tiago Moralles disse...

Os melhores momentos estão quase sempre no nada.

Nydia Bonetti disse...

Incomensuráveis, a vida, a felicidade... E um sorriso assim, não tem preço. :)

Beijo!

Adriana Godoy disse...

Não se pode medir. A intensidade sim. Lindo! Beijos.

marjoriebier disse...

Pequenasgrandes felicidades que só podem ser sentidas por dentro e geram toda sorte de reflexão.

Um beijo.

marcia szajnbok disse...

que pergunta difícil... que medida para a felicidade?
como medir o instante, o fugidio, o inefável?
talvez apenas pelos seus rastros: as pontes... as pontes de afeto que construímos ao longo da vida...

beijão, renata, vc que é tão boa construtora de pontes...

meus instantes e momentos disse...

felicidade não se mede...
se vive...
Lindo teu blog.
Maurizio

* muito bom o post ai embaixo..

Lara Amaral disse...

Hum, gostei da sua escala de medição.

E essa mocinha da foto é a sua cara, que fofa.

Beijos!

J.F. de Souza disse...

Doga... Fiquei sem saber o que dizer... =P

=)

=*

J.F. de Souza disse...

Ah! Aprovechando... Vim te convidar pro Amigo Poético do B7C! Tá afim?

http://blogdesete.blogspot.com/2009/12/amigo-poetico-ano-2.html

Participa! =)

=*

guru martins disse...

...muito
boa!!!

bj

manuel marques disse...

Um quintal do tamanho do mundo...

Beijo.

Paulo Rogério disse...

Contagiante!

Gerana Damulakis disse...

Renata: simplesmente adorei. Vou guardar esses versos.

Carol Mioni disse...

Não existem unidades de medida pra sentimentos puros =]

Daiana Costa disse...

Só sei que a felicidade é por demais subjetiva.

Graça Pires disse...

O amor, sem dúvida.
Beijos

Renata de Aragão Lopes disse...

Tiago Moralles, "os melhores momentos estão quase sempre" no mínimo.

Sim, Nydia: a felicidade é, de fato, incomensurável...

Dri Godoy, você citou a palavra que eu aguardava: "intensidade". Foi a ela que me referi, ao utilizar a expressão "quanto de vida". : )

Querida Marjorie, tudo que é essencialmente verdadeiro só pode ser sentido por dentro...

Márcia Szajnbok, que comentário fabuloso! Mediríamos a felicidade "pelos seus rastros: as pontes de afeto que construímos ao longo da vida." Obrigada pela linda leitura e pelo carinhoso elogio! : )

Maurizio, felicidade "se vive"! Muito grata pela visita! Espero que retorne!

Larinha, nosso desafio diário é manter esta "escala" elevada! : )

J.F. de Souza, o silêncio muito nos revela... Obrigada pelo convite! Ando muitíssimo atarefada com a elaboração de uma monografia. Assim que puder, verei do que se trata.

Guru Martins, que bom que gostou de "Elixir"! Quase sem tempo para a poesia, tenho recorrido, com frequência, a pequenos versos.

Manuel Marques, que poética a felicidade como "um quintal do tamanho do mundo"...

Paulo Rogério, tomara que, realmente, seja "contagiante"! : )

Gerana Damulakis, guarde-os com o mesmo carinho com que lhe cedo...

Carol Mioni, você está absolutamente certa! : )

Daiana Costa, é exatamente por isso que as pessoas reagem de forma tão distinta aos acontecimentos da vida...

Graça Pires, felicidade e amor de mãos dadas! : )

Um beijo a todos vocês!

Ribeiro Pedreira disse...

Creio q a medida é vc. Vc tem a cara da felicidade. Bjs

Lisa Alves disse...

Dezembro chove branco, dezembro é uma fantasia de senhores que sobrevoam o céu. Dezembro o homem reflete. Dezembro é permitido pensar no outro. Dezembro é caridade. Deveriamos ter 12 dezembros. Inpiração no teu verso. :)