terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Memórias



Somos filhos de nossos pais,
netos de nossos avós.
Por tantas vezes,
são ainda eles
que falam por nós.


Poemeto inserido na monografia
de minha Pós-graduação em Direito Público
cujo tema foi o conflito
entre homossexualidade e liberdade de crença.

44 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Primeira versão
de minha monografia
entregue!

Agora, sim,
poderei pensar
no Natal...

: )

Felipe A. Carriço disse...

Poemeto é o termo que se usa para poeminhas? Não sabia. Rs!

Me lembrei de uma música da Elis Regina.

marjoriebier disse...

"Minha dor é perceber
que apesar de termos feito
tudo o que fizemos
ainda somos os mesmos
e vivemos como os nossos pais"

Beijo, lindona!

No meio do tumulto, respiro para desejar um natal lindo pra você!

Lara Amaral disse...

Que bom que está mais livre =).

Imagem e poema ficaram uma graça juntos.

Realmente, a influência de nossa família é grande. Às vezes a gente se pega repetindo coisas que condenávamos em nossos pais.

Beijos.

Concha disse...

E já agora também desejo um Bom Natal em família.
Beijos

Marcelo Novaes disse...

Renata,


Tem uma galera toda falando nas nossas cabeças. O negócio (o grande negócio) é pinçar das vozes todas a voz precisa.
[A voz de que se precisa?!].




Beijos, e seja bem vinda ao próprio lar.








Marcelo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Felipe Carriço, o poemeto é, sim, um pequeno poema! : )

Querida Marjorie, o Felipe se lembrou da música de Elis Regina e você a cantarolou... Que lindo!

Finalmente livre, Lara! Escrever essa monografia me consumiu por dias e dias! : )

Concha, um Natal muito feliz também para você e seus familiares!

Marcelo Novaes, é exatamente como estou me sentindo: de volta ao lar! (risos) Obrigada por poetizar, ao comentar meus versos!

Um abraço a todos!

Tiago Moralles disse...

A liberdade é subjetiva então?

manuel marques disse...

Os filhos são educados como se fossem ficar toda a vida filhos, sem nunca se pensar que eles se tornarão em pais ...

Beijo.

Bom Natal e que o ano novo ,lhe traga tudo de bom.

Ianê Mello disse...

Lindo poemeto!

É verdade, temos que encontrar nossa própria voz em meio a tantas vozes.

Tem mensagem lá no blog, dá uma passadinha.

Beijos.

daufen bach. disse...

Olá minha cara amiga
depois de um tempo afastado passando para reler e desejar um lindo final de ano, com muita paz, muitas festas e que 2010 seja um ano primoroso e cheio de venturas para ti!!

Grande e forte abraço!

daufen bach.

Tiago Medina disse...

Textinho simples, mas que faz pensar... Tua monografia foi toda em poemas? hehehe
Se sim, quero lê-la!

beijos

Marcelo Mayer disse...

aos poucos a arvore fica mais evidente

Renata de Aragão Lopes disse...

Tiago Moralles, a de pensamento é altamente influenciável...

Manuel Marques, mesmo já na condição de pais, como é difícil nos desvencilharmos, certas vezes, da educação que recebemos! Será que é possível uma revisão de nossos valores mais enraizados? Um bom Natal pra você também!

Ianê Mello, que estejamos, portanto, em busca de nossa voz! : )

Daufen Bach, realmente andava sumido! Desejo-lhe, igualmente, um Ano Novo repleto de alegrias e realizações!

Tiago Medina, que nada! Cinquenta laudas e apenas dois poemetos! (risos)

Marcelo Mayer, a árvore reside em nós...

Beijos.

Cris França disse...

Re, que seu 2010 seja repleto de alegrias e realizações, um beijo, feliz natal e muita inspiração no seu coração querida!

Talita Prates disse...

"Ainda somos os mesmos
e vivemos
como nossos pais..."?

Talvez seja isso mesmo!

Muito bom, Re?!

E a monografia, como está?

Um bjo!

Talita Prates disse...

Ops... li agora teu primeiro comentário. :S
Desculpe-me... rs

Gerana Damulakis disse...

Eis uma grande verdade, Renata.
Feliz Natal!

marinaCavalcante disse...

Lindo poeminha, Renata!

Exato... a árvore reside em nós. :)

Feliz Natal pra você e toda
sua família!

Abraços e espero sua visita!!!

A.S. disse...

Que teu Natal seja repleto de luz... daquela que acendemos por dentro e que a tudo irradia em forma de sentimentos.


Beijos...
AL

Fatima Cristina disse...

Oi Renata!

Lindo poemeto!
Adoro lembrar de todos eles: pais, avós e também do tempo que tinhamos todos eles entre nós!

Beijos e um ótimo Natal!

f@ disse...

Desejo-te
B
O
A
S

F
E
S
T
A
S
e um Ano Novo cheio de Alegrias Amor e Paz… e coisas doces

!nfinito
Beijinho

'Ariane .( lla Belle )' disse...

Imagem combina com o texto *-*

Beijos

FELIZ NATAL

Paulo Rogério disse...

Já tenho uma teoria própria: até nos trejeitos passamos a imitar nossos pais... O tempo passa e ficamos mais parecidos de alguma forma...
Boas festas para você e família.

Lai Paiva disse...

Minha querida, um feliz natal pra vc e sua família. Felicidades sempre!!!

NDORETTO disse...

Nossa,como você foi completa nesse poema. Mais nada. Muito bom!!!!

Beijos!

NDORETTO disse...

Você segue o blog que eu administro, o CURTA-METRAGEM. Vim te visitar e te dar um Feliz Natal,tá?E dizer ; que poema completo. Perfeito. Uma lavada literária, tiro certo.

Beijos

Neusa Doretto

Renata de Aragão Lopes disse...

Cris França, Gerana Damulakis, Marina Cavalcante, A.S., f@, Ariane e Lai Paiva, muito obrigada pelo carinho! Desejo-lhes, igualmente, um Natal iluminado e um feliz Ano Novo!

Talita, entreguei, por enquanto, apenas a primeira versão da minha monografia. Ainda terei bastante trabalho em 2010! : )

Fatima Cristina, é como se jamais tivessem partido...

Paulo Rogério, a minha teoria diz que esses trejeitos sempre estiveram conosco. Nós é que demoramos a perceber os fatos! : )

Querida Neusa Doretto, que bom que aprecia os meus "curtas"! Muitas felicidades pra você também!

Um grande abraço a todos!

Juliana. disse...

Memórias nos fazem..
Sábias palavras, adorei sua visita ao meu espaço, está convidada a ir sempre lá, e já estou te seguindo, suas palavras são especiais..
Bjos
Uma linda noite!!

Elio Milay disse...

Olá, amiga Mineira:

Junto a direção de nosso recém-inaugurado Museu da lua. Este é um projeto da comunidade a longo prazo, cujo objetivo é reunir uma centena de artistas e amigos colaboram direta-se por publicar as suos próprios trabalhos. Contra a arte macho, no Museu da espaço exclusivo para as mulheres pintoras e fotógrafos.

Através das artes visuais (pintura, desenho e fotografia) a intenção de transmitir um humanista e ambientalista de respeito pela vida, com o papel central das mulheres, crianças, animais e árvores. Paz e amor, 365 dias por ano, não apenas no Natal.

Na esperança de que você goste do que estamos expondo o nosso museu virtual, agradeço a visita com antecedência e desejo-lhe um muito feliz e criativa 2010 cheio de paz e amor para a vida.

Salud!

MUSEU DA LUA

http://moon-museum.blogspot.com

Eu encerro o seu blog de poesia na minha lista de blogs literários e espero aprender sua língua, muito melhor.

Isabel disse...

Desejo-lhe BOAS FESTAS e que 2010 continue a ser pleno de inspiração e lhe traga realizações pessoais e profissionais.

Cumprimentos poéticos,
Isabel Montes

Elio Milay disse...

Olá, Renata, ontem eu confundi o seu nome (eu disse "Mineira"), me perdoe. Minha língua nativa é espanhol e eu não posso escrever em brasileiro, Eu uso o tradutor, mas entiendo algo, por isso vai ser um prazer de ver o seu blog e ler o que você compartilha. Você é uma pessoa com muita simpatia e talento.
Cuide de si mesmo e você está bem, amigo.

Rafaela Figueiredo disse...

ah, quanto tempo...

pois é, questão interessante!
transformada em poeminha... melhor! =)

besos
novo ano venha cheio de reflexões, luz e boas energias, Re!

paula barros disse...

Temos muitas vozes dentro da gente, que falam por nós, e até nos calam muitas vezes.

bjs

Carmen Martinez disse...

Feliz-ótimo ano novo!

Marcos Satoru Kawanami disse...

é a tradição.

Renata de Aragão Lopes disse...

Juliana, muito obrigada pelo carinho de suas palavras!

Elio Milay, esteja certo de que visitarei, com imenso prazer, este museu virtual! Grata pela visita e pelo uso do tradutor! : )

Isabel Montes, Rafaela Figueiredo e Carmen Martinez, um 2010 muito especial para vocês também!

Paula Barros, seja bem-vinda ao doce de lira! Disse uma verdade: por tantas vezes, são ainda eles que nos calam! : )

Grande arremate, Marcos Satoru: "é a tradição"!

Beijos.

Daninha disse...

Oie valeu or ter passado no meu blog!
Felia Ano Novo pra ti!

Beijos

Renato Baptista disse...

Oi Renata...

Agradeço sua visita no Blog da Casa da Poesia. Fica um convite para que vc dê uma espiada na nossa rede social poética: www.casadapoesia.ning.com e se tiver interesse, cadastre-se lá, será um prazer recebê-la.

Abraços* e parabéns pelos seus poemas...quero que você conheça os Poeminis que lancei e o pessoal está adorando fazer...lá no meu blog, o http://academiadapoesia.blogspot.com tem vários.

Esteja com Deus e um lindo 2010 pra você e todos aí em casa.

Renato Baptista

Fabio Rocha disse...

Conciso e perfeito.

BAR DO BARDO disse...

Corrente contínua...

Nydia Bonetti disse...

Acredito sinceramente nisto, Renata. Dentro de nós - séculos de inquietações e incertezas - talvez milênios. Hábitos herdados, memória ancestral... E assim por diante. :) Beleza de poema.

Beijos.

J.F. de Souza disse...

nasci
cresci
e ainda não sei pra onde ir

mas
ao menos,
quando me perder,
sei pra onde voltar

Renata de Aragão Lopes disse...

Daninha, seja bem-vinda ao doce de lira! Espero que retorne!

Renato Baptista, muito obrigada pelos convites! Pode aguardar, desde já, a minha visita! : )

Fábio Rocha, muito grata pelo elogio!

Caro Bardo, "corrente contínua" e ininterrupta! : )

Nydia Bonetti, suas palavras são a perfeita síntese do que eu disse: "hábitos herdados, memória ancestral"...

J.F. de Souza, que bonito acréscimo aos meus versos! : )

Um abraço a todos vocês!