quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Poluição eleitoral



Como posso

crer no candidato,
se antes do mandato

ele já suja a cidade inteira,
a cara lavada em óleo pra madeira
pisoteada por cada pessoa que passa?

Campanha limpa honra o asseio pelo passeio.

Respeita o chão que é público e alheio.
Prioriza o discurso e não o panfleto:
a sua fala em branco e preto.

Aquele lá é predador
a só ver o eleitor

como caça.


48 comentários:

tonhOliveira disse...



Uma pergunta:

Na ilustração do poema, o que está no lixo
é o "santinho" ou nosso VOTO?


Ah! ah! ah! ah!

"Continuo achando que quem
não sabe jogar é o eleitor."

Façamos um trato com o candidato.

Ele não muda,
mudemos nós.
Não o elegemos
ficará sem voz.


Vou te mandar uma imagem de URNA.

Até!

:)

Renata de Aragão Lopes disse...

Indagação perfeita
a inaugurar os comentários!

Obrigada, Tonho!

MOISÉS POETA disse...

lixo tambem são as mensagens eleitorais televisivas.
infelizmente nossas opções de voto são candidatos como tiririca, maguila, entre outros...

gostei da sua postagem , renata!

um beijo!

Pérola Anjos disse...

Santinhos do pau oco
espalhados pelo chão,
com olhos bem gordos
e promessas nas mãos,
desrespeitam a cidade,
desrespeitam o cidadão.

Triste!


Beijos!

lis disse...

Damos o troco Renata
pena que nem todos pensam como o Tonho, que pena!

Tiago Moralles disse...

Doce Lira?
Doce forma,
doce escrita.

Alex disse...

O que está no cesto de lixo, na ilustração, é o nosso dinheiro. E realmente, alguns candidatos sujam mais e mais as ruas das nossas cidades, com papeis e com mentiras. Bela reflexão, Renata.

Abraços.

guru martins disse...

...o sorriso
dos políticos...

bj

Mirze Souza disse...

Renata!

Estou em campanha para que o voto não seja obrigatório. O medo que esses políticos teriam de não angariar muitos votos, impediria isto.

Pena que não sou política e não entendo das artimanhas. Como ave, só canto e dentro de uma gaiola.

Adorei sua postagem!

Brilhante!

Beijos, doce amiga!

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

Adorei! das desonestidades da politicagem

Beijos!

Edu disse...

Totalmente de acordo.

Lara Amaral disse...

Muito bem lembrado e poetizado, amiga!

Beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

Eles já começam a queimar o filme mesmo antes de serem eleitos.
Bjux

Gerana Damulakis disse...

Muito bom.

Márcio Ahimsa disse...

Taí, muito bem lembrado.

Uma ode aos candidatos
à uma cadeira pública,
que insultam as nossas ruas,
os nossos ouvidos
com tamanha sujeira.

Ah, está lá na constituição sobre o exercício da cidadania, direitos e deveres do cidadão: não zelar pela conservação do patrimônio público e ainda promover a irresponsabilidade em prol do benefício próprio, são crimes.

Tatá R. da S. disse...

É, de fato, é uma poluição geral.
Visual, ambiental e etc...
É vergonhoso em todos os aspectos. x.x
Gostei do protesto. ^^
=*

contagotas disse...

Renata
Você faz poema dos temas mais inusitados!
E que bem que o faz!

Poesia é isso mesmo, palavra não serve só para rimar, palavra tem intenção, mensagem, chamamento, abrir de olho, cerrar sobrolho, intervenção...

Beijos,
MariaIvone

Albuq disse...

Renata, esse foi o verso mais sensato e ideal para se refletir sobre o tipo de política e campanha que está sendo apresentada. Adorei!

Daniel Moraes disse...

É por essa e por outras que estou sujerindo a criação de um novo partido, o PQP. Tem post no Sub Mundo falando disso. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Adriana Godoy disse...

Bem apropriado...gostei. beijo.

' Romario Regis disse...

MUUUUUUUITO BOM o texto, gostei bastante e reflete exatamente uma publicação minha na revista perseu abramo.
Sempre falo que eleição tem que ser democrática inclusive com a cidade, mas de qualquer forma gostei demais do blog e vou continuar acompanhando. muito legal mesmo.

www.romarioregis.blogspot.com

Lunna Guedes disse...

Ando tão cheia de políticos que qualquer papel que eu vejo deles me incomoda. rs
Bacio

Liège disse...

Renata, concordo plenamente com você!
Tenho nojo de panfletos, de montes de bandeiras que atrapalham a passagem, etc.
Candidato que suja a rua não merece meu voto.
Parabéns pelos versos!
Beijos.

Solange disse...

maga das palavras.... até com "isso" consegue fazer bonitezas....

você é demais !

beijo enorme

[Ananda] disse...

infelizmente,ainda tentam nos enganar,espero que as pessoas tentem se ligar um pouco mais.
Sabe,desiludida quanto a isto,tento ver da melhor forma pra escolher,mas não consegui,por isso nao vou votar esse ano.

Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

Chegou o dia.

Novo blog no ar.

Nome de batismo: NÃO É CÉU.

Endereço: http://www.naoeceu.blogspot.com/.

O INSUFILME permanecerá no ar. Mas sem promessa de novas postagens.

Agradeço pela companhia até então!

Vanessa Souza Moraes disse...

Ruim de acreditar.

sidnei olivio disse...

Plenamente de acordo. Beijos.

Caio Rudá de Oliveira disse...

Excelente, Renata. Realmente, como crer? É bem verdade que, a rigor, a culpa não é necessariamente deles; mais nossa inclusive.

De todo modo, essa produção desenfreada de folhetos, que nos são praticamente enfiados garganta para baixo é um saco!

Beijos.

RICARDO disse...

Disse tudo Renata.
Candidato predador não merece voto do eleitor.

Beijo
Ricardo

V. disse...

Boa!

Blavinos também estão na campanha eleitoral!

A propósito, vou fazer campanha? segue o meu blog novo, o Balcão das Artes Impuras: http://dasartesimpuras.blogspot.com

Beijo!

Bruno Resende Ramos disse...

Oi Renata,

Seu texto para mim foi uma grande descoberta. Parabéns pela criticidade e capacidade de alinhavar nas palavras o sentimento do povo (boa parte ao menos)que se indigna com a situação de nossa política brasileira.
Gostaria de convidá-la a participar com sua poesia de nossa coletânea ( inscrição gratuita). Se permitir ao Projeto Coletânea, publicaremos no livro "Brasil que te quero outro".

Se houver de sua parte interesse, favor comunicar-me pelo e-mail brunoteenager@gmail.com.

A página do projeto na WEB é http://novacoletanea.blogspot.com

Atenciosamente,

Bruno Resende Ramos

Clara Gontijo disse...

Seu blog, suas palavras, são realmente especiais! Poéticas, verdadeiras, conscientes, sempre sacodem a alma de quem lê. Adorei o post eleitoral, compartilho totalmente deste pensamento! Só é uma pena que a maior parte da população ainda não receba destes governantes porcalhões a educação suficiente para saber votar, e o resultado disso é que votam no folhetinho que mais chegar voando em suas mãos... a estratégia é infalível. Esses dias eu estava andando de taxi por uma região movimentada de BH, nas ruas enfestadas de papeis e bandeiras do candidato mais forte ao governo de minas, quando o motorista me perguntou: Vai votar na Dilma, Serra, ou Anastasia?

Parabéns pelo post!
beijos!

Dri Andrade disse...

Amiga,
sem comentarios, eu não suporto essa época do ano, me dá nauseas, sem exagero.

beijosss e boa semana

Lucão disse...

veja, que construçao!
:)
impressionante, minha querida

L. disse...

E sobra pra quem pegar o lixo do chão?

Nadine Granad disse...

Excelente lembrança... [d]escrita singularmente ;)

Beijos =)

Vanessa Souza Moraes disse...

Meu blog mudou de endereço, o novo é:
http://vemcaluisa.blogspot.com/
:)

C Jorge F disse...

(à direita rumam as palavras - nada é o que parece...)

Flor de Lys disse...

Vim aqui pelo teatro da Laramaral...
E não é que até da sujeirada da politiquice a poeta faz suas rimas?

Maestria!

Beijo.

Álly.

Malu disse...

Oi , Renata !

Obrigada pela visita carinhosa .

Te Sigo. :)

Bjo de Finalzinho de Domingo ...

Rob Novak disse...

Bem oportunos esse versos.
"A cara lavada em óleo pra madeira" por si só já deixa a ficha suja.
Abraço!

Anny disse...

Renata:
Parabéns pelos poesias.
Este é uum tem a que me interessa.



#Obrigada pleo commentário no Sonho da Linha.

Anny

Talita Prates disse...

A varanda e a garagem da minha casa que o digam! Ficam imundas todo-santo-dia, com os pretensos (longe disso!) "santinhos".

Muito bom, Re!

Meu beijo,

Talita.

Dalva Maria Ferreira disse...

Dos malas, o melhor.

Enquanto isso, um escritor rala o bucho tentando publicar os seus escritos. Não há verba, não há editor, não há público leitor. Viva o analfabetismo votante! Abaixo a educação! Às urnas.

Anônimo disse...

Aqui em Porto Alegre, a Limpeza Urbana recolheu quase 100 toneladas de lixo. No entanto, o serviço, ainda, não terminou.
Vi pessoas passarem de carro, abrirem os vidros e derramar santinhos pela calçada.
Minha felicidade é que os que mais sujaram não se elejeram...
Eles merecem este poemeu, meio antigo:

"Senhor deputado
seu discurso caducou
por decurso de prazo..."

Beijão e obrigado pelas visitas.

Ricardo Mainieri

Barbara C disse...

Disse tudo Rê!

Cidade Limpa neles.

Zé urbano disse...

Uma singela homenagem aos nosssos políticos que não prestam!

POEMA POLÍTICO
Ah! Caro senhor...
Deixa de opulência
pois tua carne gorda
verte indecência.
Teu cargo distinto
não passa em exame.
Teu mau caráter disfarçado
já tem destino certo.
Em tua esmerada aparência
nada é definitivo.
Enganas mais a ti
do que a mim mesmo
Não gostaria de ficar a sós
contigo no deserto,
eu morreria de sede,decerto.
E, se Deus topasse contigo
providenciaria teu decesso.
És pária, filho da culpa!
Distrais os inocentes
e trais teus pares.
Rezo para queimares
na tua única casa
que é o inferno!