quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Livre arbítrio



Havia planos, Deus!

(...)

Mas eu não sabia
serem todos meus.


24 comentários:

Domingos Barroso disse...

Perfeição.
O fogo do silêncio.

Carinhoso beijo.

Lily disse...

Corre, Deus, chega a tempo.

Quero que sejam todos meus, novamente meus.

Gostei! Sucinto, mas cheio de verdades.

Um abraço!

nydia bonetti disse...

São todos nossos. Infelizmente, nem sempre compartilhados. Incrível - num poema tão pequeno, várias leituras possíveis - e prováveis. :) Muito bom. Beijos.

Thaíla disse...

Livre arbítrio ferra comigo.

Sentimental ♥ disse...

muitos planos...

Anna Flávia disse...

E são.

Assis Freitas disse...

eis o mister,


beijo

Moni. disse...

Rê, esses versos ligeiros são de uma perfeição que me deixaram, por um tempo, engasgada..

Encaixam-se em tantas possibilidades... Enquadrei-me numa delas, parece casar com o último post lá do blog...

Que lindeza, querida...

A mesma palavra que faz punir, em teu poema, absolve.

Um beijo, minha amiga-dona-das-palavras!

Mário Liz disse...

em primeiro lugar, perdão pelo sumiço. Problemas pelo tempo e pela falta dele ...

eu simplesmente sinto falta de trafegar na tua poesia. Textos como este último batem aquela invejinha santa na gente.

fabuloso. não vejo outra palavras.

o nosso umbigo é sempre o maior dos pecados ...

Mirze Souza disse...

Renata!

Nunca sabemos! Deus a premia com certeza!

Beijos

Mirze

Felipe Marques disse...

"Duvidas da dúvida
no desatino destino.
Enxadrismo de xadrez."



seu poemeto me lembrou tb:

todos os caminhos levam ao final, será?

Até a volta.
bjo e abraço

Eder Asa disse...

E eram planos em 3D;
É sempre assim, nunca-se sabe...

Beijo, Renata!

MariaIvone disse...

Excelente!!!

Te admiro, beijos

Albuq disse...

Os planos de Deus surpreendem.

Dalva Maria Ferreira disse...

Sem grandes blá blá blás: um direto no estômago. Há deus?

sidnei olivio disse...

Um poema mínimo, que abarca toda uma existência. Belo. Beijo.

Márcio Vandré disse...

Quisera eu que meus planos vingassem sempre.
Mas o mundo é algo demais para um ser conquistar sozinho.
Um beijo, moça!

Solfejando poesia disse...

Renata...

Divinamente humano!
Suspenso no ar... cabendo direitinho na vida de cada um.

Estou no Repouso das Letras!
Venha me ver!

http://repousodasletras.blogspot.com/2010/11/ao-final-do-dia.html

Beijos!

mural do ajosan disse...

clap! clap! clap!

Felicidade Clandestina disse...

são. mas nem sempre sabemos.

Talita Prates disse...

estou arrepiada!

sim!, são todos teus/meus/nossos
: solidão ontológica.

adorei, querida.
(ainda mais nessa fase existencialista que estou... rs. tudo a ver!)

um beijo,

Tatá.

Barbara C disse...

Nossa Rê estava com saudade de passar por aqui.

Disse tudo é assim mesmo que funciona a lei da vida, pelo menos alguns acreditam ser assim,não é?

Tipo eu rs.


Beijos querida!

frô disse...

falei isso há pouco...

André Arruda de Bem disse...

E quem sabe?