sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Caminho das pedras



Já me indagaram
sobre a água do meu banho,
imitaram meu perfume
e se benzeram com arruda.

Já me pediram
que criasse algum rebanho,
pra seguirem em cardume
meu livro de autoajuda.

Como se casar em três meses
e ainda se casar por três vezes
antes de chegar aos trinta e três?

Não há feitiço, nem mistério.
Isso tudo é muito sério
para a minha lucidez.


Escrito ao som de Raul Seixas, na estrada Tiradentes/Juiz de Fora, no dia 1º de novembro.

37 comentários:

fouad talal disse...

ficou chique demais doceira!
um beijo.

Jessy Rodrigues disse...

Ficou lindo!
E que baita canção para se ouvir enquanto se escreve *-*
Mais que pertinência de três hasuiha adorei

BeijosEstalado

Lara Amaral disse...

Ah, que máximo! Eu pude sentir a levada do Raul aqui, como grande fã dele, tenho que perceber, né? rs...

Adorei, Rê, ficou muito bacana!

Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Fouad Talal e Jessy Rodrigues, que bom que gostaram do poema!

Larinha, os versos me vieram em poucos minutos no carro escuro! Eu os registrei como nota de celular. Quero muito cantá-los ao violão! Claro: ao estilo Raul!

Beijos aos três!

Mirze Souza disse...

Fantástico Renata!

Criar rebanho para seguir em cardume!

Que imagem poética! Ouvir o Raul Seixas, inspira, mas o poema está traçado por você, com seu perfume!

Beijos, doce poetisa!


Mirze

contagotas disse...

1º de Novembro, em caminho das pedras, no escuro, musiquinha de Raul Seixas, soneto brilhante de Renata de Aragão Lopes.....
Pura magia!

Beijos e bom fim de semana
MariaIvone

Adriana Karnal disse...

pois parecia ouvir Raul...adoro o 33,rsrsr...q poema lindinho.Gosto muito do teu jeito de escrever

Sentimental ♥ disse...

perdi minha lucidez faz tempo...

Renata de Aragão Lopes disse...

Mirze, obrigada pelo carinho!

Maria Ivone, foi uma noite realmente mágica...

Adriana, fico feliz por saber de sua admiração!

Sentimental, você está mais pra "Maluco beleza"? : )

Beijos.

Sentimental ♥ disse...

taí, acho q sim. rs
bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Renata! Belo soneto. Adorei o estilo de rimar dos primeiro e segundo quartetos. Parabéns!

Beijos,

Furtado.

IVANCEZAR disse...

Gostei . Inteligente e instigante. Parabéns !

Dalva Maria Ferreira disse...

Parabéns, poeta, pelo belíssimo poema "muderno", com lances de gravação no celular e coisas mais dos dias atuais... e o tema, ora direis o tema, vem lá do fundo do baú. O mistéééério! Pois há muito mais coisas entre o céu e a terra do que a nossa filosofiazinha pode sequer sonhar, né não?

Renata de Aragão Lopes disse...

Rosemildo Sales Furtado, talvez pelo fato de haver escrito livremente, sem compromisso algum com a forma, é que eu nem tenha percebido tratar-se de um soneto. Maria Ivone foi a primeira a identificá-lo! Você, em seguida, ao me elogiar a rima dos quartetos! Muito obrigada pela leitura atenta e pelo comentário tão gentil!

Ivan Cezar, igualmente agradeço pela sua participação!

Querida Dalva, o instante da criação é sempre tão curioso! Desta vez, eu o deixei às claras: nota de celular, redigida no escuro, durante uma viagem deliciosa ao som de Raul Seixas. Sim, há mistérios insondáveis entre o céu e a terra! : )

Beijos.

Sam disse...

Renata,

Vi que pisou em meu chão e conheceu também o meu quintal e fez das suas palavras, sementes férteis por onde eu passo.

Coração agradece e aguarda feliz a sua volta por lá.

Vim aqui (re)conhecer a sua "tela" onde pintas as mais bonitas artes, de improviso, de poesia, de dia a dia.

"reconhecer" pq eu já "salpiquei" por aqui muitas vezes, mas nunca comentei... vim muito por meio do "Tecer Palavras" e acredito que já estava na hora de cantar contigo essa canção! rs

Quem sabe uma mistura de Raul e Beatles não nasce uma batida legal, com embalo dos dias e noites, estradas e alamedas assim... germinando poesia de todas as formas, a partir de todas as belezas que alcançam muito além da íris do olhar?

Bonita a sua casa. Me cativou e aqui, retornarei.

Abraços, flores e estrelas...

Primeira Pessoa disse...

renata,
vivi em juiz de fora nos anos de 81 e 82.
fui muito feliz em juiz de fora, cidade onde deixei amigos e impressões digitais.

muito bonito o seu blog.
voltarei muito.

abraço grande do

roberto.

Mimo Chic disse...

Renata, suas palavras seguem como o caminho das pedras, é lindo.
se fechar os olhos e alguém ler, vc se ve no soneto.
parabens,um presente!
bjs
lulu & Sol

Í.ta** disse...

tem poemas que pedem data e lugar. este é um. ficou brilhante!

renata, tem concurso de poema rolando lá no um-sentir. confere e participa! =D

beijos!

Tatiana disse...

O importante é viver... É dar a vida as cores reais dos nossos sonhos e poder realizá-los!
Tenha uma semana maravilhosa!
Beijos com meu carinho

O Profeta disse...

Sonhei com Querunbins zombeteiros
Com um Arcanjo em eterna luta com o mal
Sonhei que a chuva era o pranto dos deuses
Sonhei que o amor tem um caminho fatal

Descobri que as nuvens são carruagem de água
Que os anjos afinam as harpas de madrugada
Que as gaivotas em terra são pronuncio de borrasca
Que a razão de um justo não vale quase nada



Doce beijo

Maria Rita disse...

Uau adorei esse ar de espontaneidade que tuas letras transmitem.

Por certo voltarei!

Beijos pra Ti

Renata de Aragão Lopes disse...

Sam, de visitante a interlocutora! Muito obrigada pelo contato!

Roberto, seja bem-vindo! Que você retorne incontáveis vezes ao Doce de Lira!

Mimo Chic, que bom que as levei a Tiradentes!

Í.ta**, há datas e lugares que pedem um poema...

Tatiana, concordo com você: "o importante é viver". Cada qual com sua consciência.

Profeta, grata pela exposição de seus versos!

Maria Rita, os que convivem comigo, curiosamente, sempre falam de minha espontaneidade. Que bom se, de fato, consigo repassá-la à minha escrita! : )

Um grande abraço a todos vocês!

Aline Patrícia disse...

Ouvindo Raul? Não poderias estar em melhor companhia! Interessante jogo de números, casar-se por 3 vezes, em menos de 3 meses, antes dos 33...
O caminho é mesmo de pedra, a vida deve ser encarada com seriedade sim, mas às vezes é preciso aventurar-se no arriscado, no desconhecido...
Cheiros :)

Lucão disse...

ah sim, é nessa aparente falta de sentido que tu dá o melhor norte em cada verso seu, Rê.
É sempre surpreendente passar por aqui!

toca Raul!
rs

beijo doce!

Lisa Alves disse...

Renata o caminho das pedras é cheio de universos interligados. Poema perfeito, existencial e cheio de sombras arquitetadas pelo passado. Abraços

Thaíla disse...

Eu gostei daqui =D
Mais doce e leve, nunca vi.
Beijos muitos.

guru martins disse...

...divagações barrocas
na pós-modernidade...

bj

Edu disse...

A lucidez é relativa! hahaha

Já reparou como loucos se entendem?

Bejo!

Marcelo Novaes disse...

Renata,



A sensatez também se mostra nas recusas. Não só nos "feitos".







Um beijo.

Vinícius Paes disse...

Re-nata;

Agradeço pela visita. Passeio por sua passada. Seu blog é doce, além do nome, sobremesa do meu almoço. Gostei daqui, desde a política até a pura e plena poesia. Lindo.

Neste, imaginei Raulzito cantando. Lindo.

beijos. Vinícius;

tonhOliveira disse...



Ca'um c'as suas...

Eu c'aminha nas costas,
curvo-me diante da tua luci.dez!

:)

Poemas do Jorge Jacinto disse...

Muito bom! Adorei! Abraços, Jorge.

Nadine Granad disse...

Belo-belo!
Linda e profunda tríade!

Beijos =)

Márcio Ahimsa disse...

cego,
sem medo
acordando
cedo
para
construir
castelo
com
os blocos
frios
das horas.

Aos trinta e três me encontrei,
já perdi-me de novo
aos trinta e quatro.

Kamomylla disse...

Deu saudade...
vontade de sair abraçando o mundo sabe? Vontade de caminhar descalça pelas ruas de pedra de Ouro Preto...

Doce... linda!!

Talita Prates disse...

das estradas de Minas brotam poemas (falo por experiência própria!)

da tua lucidez séria, doces guloseimas com os quais me lambuzo!

preciso falar com você! rs

um beijo, amiga!

Tatá.

Andrea de Godoy Neto disse...

Inspiradíssimo esse caminho!

adorei tua lucidez poética :)

beijos