segunda-feira, 4 de abril de 2011

Vale-tudo



Eu amo você não é clichê.
Te quero pra sempre não é demodê.
Amor tem linguagem e etiqueta:
nenhuma bobagem parece careta.


27 comentários:

Guilherme disse...

Retribuindo a gentileza em teu cantinho bonito pra repousar os olhos. :)

Sentimental ♥ disse...

no amor pode tudo, sem medo de fazer feio...

RosaMaria disse...

Adoro Clichês!
Bom dia :))

Thaíla disse...

Que liiiindo! Inevitavelmente, nesse vale-tudo, o que resta é sempre a entrega. E tmbm não é brega nos olhos de quem se atropela numa confusão de sentimentos.

Beeeijos Renata =*

Tania regina Contreiras disse...

E clichê de amor é sempre novinho, a gente diz tudo de novo, mas pela primeira vez! rs
Beijinhos,

Sam disse...

E eu, adoro essa "brincadeira".

Meu carinho, moça.

Raíz disse...

AH! Que poesia mais linda!

Nada é dejà-vu no amor. Vale tudo mesmo! (em palavras, claro)

Parabéns ,fada da poesia!

Beijos

Mirze

Fabrício Franco disse...

Que bom que você voltou a escrever. Já estava sentindo falta.

;)

Moni. disse...

Acho que quem trata o amor sim, tá precisando de uma boa dose dele...e se deixar vivê-lo!!!

Saudades, querida!
Vida corrida por aí também?
Espero que esteja tudo muito bem!

Beijo, beijo!

Anônimo disse...

aleluia, ate que enfim.
Todos os dias venho aqui e não vejo nada.
O que que é isso?
acho bom escrever sempre pois a gente sente falta.
Lindo como sempre tá?
bjs tesoura

Carol Daimond disse...

Gosto d+ do seu blog, suas poesias são lindas..
Da uma passadinha no meu tbm.
beijinhos Carol

http://www.ovelhanegrabrasil.blogspot.com

guru martins disse...

...o amor em si não
mas a condução
que se dá a ele sim...

bj

Adriana Godoy disse...

Vale tudo mesmo...amor tem dessas coisas. Bj

Walerie disse...

quer clichê mais bendito que "É o amor" do Zezé?

Ricardo Mainieri disse...

Vale tudo, menina, já dizia o mestre Tim Maia.
Tenho sentido falta de tuas doces palavras no blog.
Fica o convite.

Beijão.

Ricardo Mainieri

maria clara de melo costa disse...

quando se trata de amor, nada é cliché!
belo poema, estou te seguindo, beijos!

Celso Mendes disse...

...
não há clichê no amor, na lua, nas estrelas;
apenas sonhos coletivos
desses eternos lenitivos
da alma.

(Celso Mendes)

Gostei muito de seu espaço. Belos poemas (como este) e muito bom gosto nas imagens. Deixei-me aqui...

beijo.

Renato Torres disse...

olá Renata,

um prazer conhece seu trabalho nesta visita em retribuição ao seu comentário lá na Página Branca! aqui, em ecos leminskianos, defines muito bem uma natureza livre de temporalidades do amor.

um beijo,

r

Lígia Saavedra disse...

Passei para agradecer e retribuir sua visita e logo me encantei com esse sítio poético.

Muito obrigada, Renata!

Um terno abraço amazônico parauara

antes blog do que nunca! disse...

Olá Renata,

concordo...no amor vale tudo, pois é o sentimento mais súbtil do mundo.

1 Bj*
Luísa

Julliany kotona disse...

Gostei do blog,e estou a te seguir eu sempre estarei por aqui a te lêr e comentar bjos de bom domingo.

NãoSouEuéaOutra disse...

saudações renata. você é bonita. poucos poemas que li agora, agradou-me. linguagem clara e limpa. bom ter-me visitado.

um beijo

Rafaela G. Figueiredo disse...

oooo... amei!
tô bem nessa fase mesmo.
mas nem ligo se seria mesmo clichê-demodê ou não. - je suis. rs

=*

Wilden Barreiro disse...

descobri há poucos meses que nada mais é demodê (exceto, talvez, a palavra demodê).

parabéns pelos dois anos do blog.
é um menino muito saudável.
e, pelos olhos, parece ser também muito esperto e sapeca.

abraço

Flora disse...

... e ter o romance no olhar e me abrir a porta ao passar e me prometer flores, mundos, um lar. nao esta fora de moda, é só saber como amar.

obrigada pelas palavras de carinho ;)
um beijo!

Bell Souza disse...

simples como eu gosto!

Patrícia disse...

Curti! :)