sexta-feira, 12 de março de 2010

Soluço



Desci ao porão
pra rever
monstros antigos
- mas fui em vão.

Descobri
que se tornaram
meus amigos
- logo, somem na escuridão.

De companhia,
restaram-me
vinhos
- a uns poucos degraus do chão.

Embriaguei-me
de apatia
aos golinhos
- subsolo da solidão.


50 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Poema escrito para esta imagem.

Fabio Rocha disse...

Sou contra qualquer droga. :P

Ricardo Mainieri disse...

Parece que estamos nos defrontado com nossos amigos subterrâneos...
Mas, os fantasmas somem na Luz.
Elevemos nossa vibração e eles vão procurar outros recantos.

Beijão.

Ricardo Mainieri

quandoeumechamarsaudade disse...

"Subsolo da Solidão"
Que triste isso!:(

Beijo Rê!

Estefani

Marcelo Novaes disse...

Renata,





A domesticação dos antigos monstros [transformados como que em amigos, ou "animaizinhos de estimação" - mesmo que ausentes, no momento...] não me parece tão mau assim...



Ou vc carrega o vinho consigo, tal qual uma contumaz apreciadora, ou ali jaz, no subsolo, uma adega. Chame os amigos para frequentarem. Não te sentirás tão sozinha.








Beijo.

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Olá, Renata!

Belas rimas... por mais que sejam "negativas". Espero que seja apenas a descrição de uma imagem.! (:

Fique com Deus!

mais amor, por favor. disse...

Me identifiquei com o teu perfil. Também estudo direito e escrevo desde muito pequena :)

"Embriaguei-me
de apatia
aos golinhos"
ADOREI! Parabéns!

Lara Amaral disse...

Nossa, Rê. O poema que escrevi ontem e ainda não publiquei fala da apatia de se engolir certas coisas. Estamos em sintonia =).

Adorei seu texto, passa muita emoção, e a imagem é muito legal mesmo.

Beijo!

Maldito disse...

Que sinuca de bico...

ErikaH Azzevedo disse...

Renata,

Certas imagens nos inspiram tanto né, acontece comigo tantas vezes isso tb. Escrever nnem sempre o q estou já sentindo e sim o q a imagem me faz sentir.

Embora eu não beba, o alcool é um dos que sempre oferecem companhia à solidão.

bjinho

Erikah

José Viana Filho disse...

Renata,

belo jogo entre a imagem e seu belo poema!!!

Tenho lido muitas poetas por blogs ai, e tenho lido muito poemas legais , como o seu!!!

Parabens pelo talento!!

Renata de Aragão Lopes disse...

Fábio Rocha, melhor assim! : )

Ricardo Mainieri, amém!

Estefani, falar de tristeza também faz parte da vida...

Marcelo Novaes, obrigada pelo comentário tão pertinente! Domesticar alguns monstros nos é imprescindível, não?

Wilian Bincoleto Wenzel, seja bem-vindo ao doce de lira! Espero revê-lo por aqui! E não se preocupe, pois estou muito bem! : )

"Mais amor, por favor", seja igualmente bem-vinda! Nossos perfis realmente são similares! Que bacana!

Larinha, sintonia total!

Maldito, que situação maldita! (risos)

Erikah Azzevedo, é delicioso escrever diante de uma imagem... Não mais que um bom vinho, apreciado com moderação! : )

José Viana Filho, muito grata pela visita e pelo elogio! Servem-me de estímulo!

Um beijo a todos vocês!

Fátima disse...

Olá Renata.
Agradecendo por ter ido provar do nosso pudim, volte quando puder será sempre bem vinda.

Todos temos dentro de nós fantasmas adormecidos...damos vida a eles galgados na coragem de acender ou apagar as luzes das nossas recordações.

E olha que uma tacinha de bom vinho vez ou outra é muito bom .

Beijo.

A.S. disse...

Renata...

Poema e imagem... simbiose perfeita!

Um beijo Poeta...

AL

Fê Colcerniani Justo disse...

Monstros amigos? queria q os meus fossem mais amigáveis...

Solange disse...

gostei do jeito que vc foi de encontro à solidão..
bjs.

guru martins disse...

...decadência
com elegância
pelo menos isso...

bj

Crista disse...

Que belezura!!!!!!!!!!!!!!!!
Babei no teu blog...de tão linda que achei essa poesia!!!!

Laís D'Ponte disse...

Olá Renata!!!!!!!!
Agradeço muitíssimo seu gentil comentário em meu blog!!!!!
Fico grata!!!!!
Espero rever-te mais vezes por lá!!!

Aproveitei a visita e li seus posts: meus sinceros parabéns. Vejo que tens muito talento para a poesia!!
Muito bonito seu cantinho virtual!!!

Seguirei.

Beijão e bom fim de semana!!!

PS: Vi que é formada em Direito! Sou estudante e a caminho da profissão! (rs)
Abraços

Pedro disse...

De que safra era esse vinho? rs... Aposto q depois ter aberto a garrafa, alguns monstros ficaram tentados a aparecer para brindar com você. Eu ficaria. bj. Dá uma passadinha no meu blog, estou com um texto q acabou de sair do forno, +-, diria q já está esfriando na janela esperando por algum guloso.

Mile Corrêa disse...

Que bom quando os monstros viram
amigos, hein? rs
Você é ótima, adorei o texto!
beijos

Rosa Carioca disse...

Vim agradecer a sua visita e aproveitei para passear pelo seu "cantinho" e adorei. Vou continuar a visitá-lo.
Beijinhos.

Assis Freitas disse...

soluços rimam com solução ou não. abraço

Renata de Aragão Lopes disse...

Fátima e Rosa Carioca, muito obrigada pela visita! Voltem sempre! : )

A.S., Solange, Crista e Mile Corrêa, que bom que gostaram de "Soluço"!

Fê Colcerniani Justo, é provável que, um dia, por saberem tanto um do outro, vocês se tornem amigos íntimos...

Guru Martins, muito grata por suas palavras: "decadência com elegância"! : )

Laís D'Ponte, perseverança e muita sorte em sua trajetória no Direito! Também espero reencontrá-la por aqui!

Pedro, em "Soluço" jamais caberia um brinde. (risos) Recomendo-lhe a leitura de "Meias verdades".

Assis Freitas, desta vez, eu creio que não. : )

Um abraço a todos vocês!

Pedro disse...

A gente sempre arruma novos medos para substituir os velhos.

Lai Paiva disse...

Renata, querida, perfeito. Impecável poema. Adorei demais e confesso que me identifiquei bastante com esses versos. = )

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do blog Fabrício Carpinejar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Eu sei que é um abuso da minha parte te mandar essa propagando control c control v, mas sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas no blog do meu xará, inclusive é seguidor do meu blog, claro que ela faz isso mais por gentileza do que pela qualidade do meu texto, mas estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Dalva M. Ferreira disse...

Esse é dos bons! Muito bonito, bem original.

Pérola disse...

Boa noite minha linda.
Poema curtinho mas cheio de entrelinhas amigas!!!
Tá tudo bem amada.
Uma linda noite.
Beijokas.

Lilá(s) disse...

Que lindo poema, tão suave!
E a imagem deliciosa.
Bjs

Anônimo disse...

re,essa é meio tristinha mas linda,linda.
solidão embriagues porão não é a nossa praia.bjs
tesoura

Tiago Medina disse...

Triste e belo, uma combinação bem difícil de elaborar...

Felipe A. Carriço disse...

Escrevi algo parecido estes dias, onde os antigos monstros voltavam à tona.

"Antes, o monstro que me amedrontava morava debaixo da minha cama. Hoje, dividimos o mesmo travesseiro."

Paulo Rogério disse...

Vc. sutilmente no verso coloca os monstros onde deveriam estar... Ali no porão têm até um certo charme... Bem sabe que estão aí soltos, em todo o canto, decantados pela mídia, contaminando os lares, minando a esperança... Vc., tratando de coisas sérias, sorrindo, sorrindo... Bom revê-la! Bjos.

Barbara C disse...

Monstros ,bebidas e solidão ,nos leva realmente a amizade com os monstros.

Rui da Bica disse...

Foram-se os medos dos monstros e do escuro.
Chegou a desilusão, a tristeza e a solidão,... e à falta de melhor,... a companhia possível ...

Muito bem a dizer com a imagem, Renata !

Beijo
.

Geraldo de Barros disse...

Renata, que bacana sua leitura desta imagem ficou muito bom, realçou sentimentos que estavam em baixo das cores, parabéns!

Grande abraço,
Geraldo.

ErikaH Azzevedo disse...

Ainda bebe a menina né!

cuidado com o figado viu! rsrsrs


Passei pra ver se tinha post novo linda.

bjinho

Erikah

Tata disse...

Oi,

Vim retribuir sua visita lá meu blog.
Adoro seu blog e seu post!
voltarei + vezes!
bjinhos

Camila Sato disse...

belas rimas de solidão :)

adorei aqui, beijos *-*

J.F. de Souza disse...

Vinho e poesia... Pra quê virtude?

Enivrez vous!

marjoriebier disse...

Ui!!! Arrepiei... Teu porão-taberna fez companhia ao meu porão-diversão.

beijo, querida!!!

Moni disse...

Ola menina, vim retribuir a visita, e adorei seu lugar.
Estou ti seguindo e voltarei sempre.
Adorei tuas palavras de doce.

bjos

Renata de Aragão Lopes disse...

Pedro, os medos seriam, assim, renováveis... Gostei!

Fabrício Santiago, a "invasão" é muitíssimo bem-vinda! Espero que se repita! : )

Tesoura, o porão, realmente, não é a "nossa praia", mas nos parece, às vezes, tão convidativo...

Felipe Carriço, amei os seus versos!

Paulo Rogério, muito grata por sua visita: sempre tão gentil!

ErikaH Azzevedo, a garota da imagem não sou eu! (risos)

J.F. de Souza, costumeiramente espirituoso! : )

Marjorie Bier, visitarei o seu porão-diversão!

Lai Paiva, Dalva M. Ferreira, Pérola, Lilá(s), Tiago Medina, Barbara C, Rui da Bica, Geraldo de Barros, Tata, Camila Sato e Moni, que bom gostaram de "Soluço"!

Um bejo pra cada um!

Allyne Araújo disse...

obrigada pela visita!!! esse texto e muito bonito e seu blog mais ainda, gostei daqui, to seguindo.. beijao!!!!!

Os brejos ao redor de minha alma agreste... disse...

OLÁ QUERIDA! MTO OBGADA PELA DOCE VISITA LÁ NO ÊXTASE,AMAMOS! SEJA SEMPRE MTO BEM-VINDA,AMEI SEU POEMA E O BLOG É D+!
BJOS, SUCESSO SEMPRE.
TBM TÔ SEGUINDO VIU?
FIQUE C DEUS!

Marcia Carneiro disse...

Adorei o espelho da imagem, o poema... o bom é quando nenhum monstro e nenhum medo, conseguem ser maiores que nós. Pra renovar a vida, eles são precisos sim... depois do porão, com um bom vinho tinto seco, eles acham o caminho do meio.Qdo medito, tb vou lá. Beijão!!

Marcia Carneiro disse...

Adorei o espelho da imagem, o poema... o bom é quando nenhum monstro e nenhum medo, conseguem ser maiores que nós. Pra renovar a vida, eles são precisos sim... depois do porão, com um bom vinho tinto seco, eles acham o caminho do meio.Qdo medito, tb vou lá. Beijão!!

Marga Dambrowski disse...

Pirlimpimpim! O velho sai e o novo entra.
Parabéns pela doçura.

Moska de Bar disse...

A saudade pra mim vem sempre engarrafada. Você sabe servir o vinho na temperatura exata. Bebo!
Beijo