terça-feira, 13 de abril de 2010

O erro



Talvez a expectativa
seja o erro.
Vive-se à deriva,
na ânsia
de um ineditismo ilusório.
Sabe-se tão só
que ao enterro
antecede o velório.
Daí a irrelevância
e o cinismo
de todo o resto.
Há algo, enfim, mais funesto
que o aguardo
do amor verdadeiro?
Crê-se que tem sabor de primeiro.
Pra mim, terá gosto de último.


45 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

por eu ser otimista, o povo acha que sou retardado; mas sou um retardado feliz.

Daniel disse...

Todo amor verdadeira será o primeiro e último...A expectativa o erro, o ineditimos a repetição das coisas boas com outra roupa...beijos

Mile Corrêa disse...

"Há algo, enfim, mais funesto
que o aguardo
do amor verdadeiro?"

PRECISO concordar contigo! haha
Você sempre escreve muito bem,
incrivel! Beijos

Lara Amaral disse...

Sempre achei o mesmo de expectativas...

Ainda bem que seu poema já vem arrebatando para quebrar todas elas! =)

Beijo.

Ribeiro Pedreira disse...

Sabor de único... esse é o que se espera, de fato. Porém um esperar sem ansiar, que é pra fugir da vulnerabilidade.

Sylvia Araujo disse...

Lindo, lindo!

A vida é mesmo pra ser vivida a dentadas, sentindo o sabor no momento em que ele se faz tocar pela língua. A expectativa, na maioria das vezes, torna o evento frustrante, né? Que o amor sempre tenha gosto de último, de presente, de agora. O amanhã a gente deixa pra depois...

Beijoca, Renata!

Mirse Maria disse...

Fantástico, Renata!

Bingo! Penso igual a você. E ainda vou além.... Será que existe mesmo esse amor único e verdadeiro?

Reflexivo e lindo poema!

Beijos amiga querida.

Mirse

Henrique Pimenta disse...

Ineditismo é uma palavra édita.

jefhcardoso disse...

Olá Renata! Hoje é quarta-feira, uma correria. Não repare em minha visita relâmpago, mas venho lhe convidar para ler o novo capítulo de “O Diário de Bronson (O Chamado)” e deixar o seu comentário.

Retornarei com melhores modos e mais tempo. Tenha uma ótima semana. Abraço do Jefhcardoso!

ValériaC disse...

Lindo... criar expectativas nunca é bom...especialmente quando o assunto é amor...mas...é tão difícil não criá-las...para mim sempre terá o gosto de último e maior...
Beijos...

Batom e poesias disse...

Nada mais angustiante que a esperança...
Lindo.
bjs

Rossana

Tiago Moralles disse...

Esperar é um sintoma da doença imediatista da sociedade moderna.

Maria Tereza disse...

Não será último, mas único! =)

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Melhor a vida que a espera... remorso [por haver feito] é melhor que arrependimento [pelo não-feito]... ;)

Daniel Moraes disse...

Acredito que exista apenas um grande amor, o resto são sentimentos paralelos que nos moldam e preparam para o verdadeiro amor. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Marcelo Novaes disse...

Renata,



O repertório humano costuma ser restrito e, na média, costumamos ser muito repetitivos.



Entonces...





;)





Gostei do texto.







Beijo.

C@urosa disse...

Olá minha querida Renata de Aragão, belo e reflexivo, talvez a expectativa seja o acerto, que vem depois do erro, resultado do aprendizado. O perdão, também alivia a alma, do erros cometidos.

Paz e harmonia,

forte abraço

C@urosa

Rosemildo Sales Furtado disse...

Concordo plenamente com o Daniel. O verdadeiro amor será o primeiro e último, tem que ser único, pois, se houver o segundo, o primeiro não era verdadeiro.

Beijos e obrigado pela visita e o comentário.

Furtado.

A.S. disse...

Renata,

Belo poema!

O último sabor, tem sempre mais requinte!

BeijOOO
AL

manuel marques disse...

Magnífico.

Beijo.

Dalva Maria Ferreira disse...

Todos já falaram tudo. Eu carimbo e assino.

Marcia Carneiro disse...

O sabor a gente acaba dando... mas é importante o gosto de ser último. A expectativa deve ser o tal erro chamado "mal necessário"... Adoro relaxar nesse canto maravilhoso

J. disse...

Também acho que a expectativa é o erro (ando meio pessimista...).

Beijos.

Lai Paiva disse...

Ah, o amor... Quão bom vivê-lo, escrevê-lo, descrevê-lo... Lindo Rê. Bjs

Felipe A. Carriço disse...

Um amor verdadeiro tem gosto de último. Perfeito!

Mile Corrêa disse...

Renata, tem uma coisinha pra você
no final do post "Thanks God for all!". Dá uma passadinha lá pra conferir! Um beijo

J.F. de Souza disse...

expectativa
é sempre um erro
pra coisa tão subjetiva

Marcello disse...

Renata de Aragão Lopes, nome de princesa da corte espanhola,não??

O que nos fere é a espera...

Beijos

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente...gostei!

Acho que expectativa é um veneno que estraga tudo que chega perto...mas é complicado viver sem tê-las plenamente, mas é uma luta válida, pq expectativa é crueldade para quem é esperado...

Beijo...e parabéns ao blog!!! Tem mesmo que comemorar!

Djabal disse...

"A vida e que nos tem: nada mais
temos."

Orides Fontela.

O último com sabor de primeiro, ou vice-versa. Lindo. Beijos.

Nathi disse...

Essa sua fórmula faz com que suas palavras fiquem mais gostosas que doce de lira! hahaha! :)

Caio Rudá disse...

ah, l'amour. inspirada como sempre, renata.
beijos.

Mário Liz disse...

até os maiores doces de lira têm um Quê de ácido e amargo. Essa mistura é linda e complementa as suas nuvens literárias ...

é instigante e apaixonante. ah ... que saudade que eu "tava" daqui ...

Clara disse...

Opa! Você é de JF... Pertim daqui (Muriaé). Prazer!

Bem, me indentifiquei com seu poema sobre as expectativas. É engraçado como inventamos expectativas, mesmo sabendo que são perigosas. Não digo por mim no aspecto amoroso, mas a vida mesmo às vezes me dá umas rasteiras dolorosas...

^^

Talita Prates disse...

Talvez? Não! Certeza!

Pensei nisso ainda hoje, amiga!

Um bjo, querida,
e ótimo fim de semana.

Tatá.

Rodrigo Gonzatto disse...

A expectativa dá sabor ao que se faz.

Í.ta** disse...

e essa contradição é o que nos impele a não deixar de procurá-lo.

bom domingo!

Juliana Carla disse...

Boa tarde Renata!

Quantas vezes morri com a tal da expectativa... Sociedade... Preciso do todo para viver.

Amor... Ainda o sinto nesta tentativa.

Bjuxxx e xerooo

Wilson Torres Nanini disse...

Realmente, não se deve por espelho na penumbra.

Abraços!

Renato Hemesath disse...

Que interessante este post! eu acho que este aguardo pode tirar o encanto da vida de alguns, assim a expectativa deixa de ser algo suficientemente bom.

Abraços

guru martins disse...

...claro,
pode ser...

bj

Nydia Bonetti disse...

Brilhante, Renata. Pior que seguimos errando... ou não. beijo, querida.

Flá Perez (BláBlá) disse...

é isso mesmo!
bjbjbj

Le Vautour disse...

Hm... é mais a boca do que o sabor que virá.

Daniela disse...

Uma delícia de poema! Uma delícia de blog :D amei