domingo, 13 de junho de 2010

[...]



noite
de estrelas
sem letras

tudo
como gostaria

um romance
mudo
com a poesia


43 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Renata,


Faz-se poesia para desembocar no silêncio que prescinda de qualquer palavra.







beijo.

Kenia Cris disse...

ahhhh que coisa linda. Acho que de certa forma falamos do mesmo sentimento hoje. E esse abraço, ai ai... me lembrou dos meus 'abraços eternos' com o meu melhor amigo.

Beijo sempre grande!

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, bonito significado poético e existencial do poema que também traz uma referência simbólica ás questões de gênero... Manter um romance mudo com a poesia- deleitar-se nela até a fusão completa, até que as palavras não sejam mais necessárias... Bj,

Úrsula

Ribeiro Pedreira disse...

estrela: da letra que és, poesia muda que brilha.

Adriana Godoy disse...

Eta, paixão! muito lindo! beijo.

Lucão disse...

Noite inspiradora, Renata!

lindos versos!
Lindos, mesmo!

Lara Amaral disse...

Como é bonita essa poesia puramente visual que não precisa de palavras. =)

Beijo!

Mahria disse...

Uma noite de estrelas, um romance, o silêncio e está tudo dito.


Beijos
Mah

Marcantonio disse...

É. Desconfio que há duas poesias: a primeira é muda e se comunica através de sinais inventados na hora e efêmeros. A outra, que não se basta, sai por aí colando cartazes nos postes das ruas. A primeira é mais intensa e bela.

Abraço.

Í.ta** disse...

porque o silêncio também diz muito, e muito.

grande beijo!

Talita Prates disse...

pra que títulos?
pra que nomes?
pra que palavras,
se todo o sentimento cabe no abraço?

[...]

lindo, querida amiga.

Um bjo,
e ótima semana.

Tatá.

Raven disse...

Aaah, eu quero!! ^^

Fred Matos disse...

Muito bom, Renata.
Beijos

Adriana Karnal disse...

a poética do silêncio...lindo, Renata.

Mirze Souza disse...

Renata!

Esse romance mudo com a poesia, grita mais alto do que se imagina!

belíssimo!

Beijos

Mirze

Solange disse...

que lindinho...
bjs.

Desengavetados disse...

Que sorte!
Quando não dizemos nada, é porque não precisa. O dito entreolhares... nos gestos, no sentir e no tocar.
Hum. Sinto falta disto...

Andréa.

Bjos!

Marcello disse...

Se temos a poesia,não há necessidade de mais nada.
Adoro seus poemas.
Bj

calvinfurtado disse...

Obrigado pela visita flor, volte sempre. Gostei da tua poesia, bem particular, parabéns.

nas entrelínguas disse...

...torticências...falam ao ouvido do silêncio!
Belo poema!

abraço!

Elaine Barnes disse...

Obrigada pela visita.
Poesianuma noite romantica e estrelada dispensa qualquer palavra rs... Montão de bjs e abraços

Sil.. disse...

Renata, que lindoooooooo seu espaço!!!!
A gente vem retribuir o carinho, e se depara sempre com coisas tão lindas, tão divinas!!!
Vim pra ficar rs!

Um abraço grande minha querida, voce escreve lindamenteeeee!!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Renata
Obrigado pela visita ao meu blog e por estar me seguindo. Gostei do que vi, vou voltar.
Bjs

Rute disse...

Parabéns, pelo poema,e ao blog também! Obrigada pela sua visita ao literatura. Seja sempre bem vinda ao Literatura Infantil
Beijinhos a vc

Livinha disse...

Renata sois a propria poesia em conivência com as estrelas...

Lindo. Romantismo profundo
na doce Lira dos teus versos..

bjs

Livinha

Márcio Vandré disse...

O amor mesmo verdadeiro não precisa ser falado.
Um olhar já basta.
Um beijo!

Moni. disse...

É quando o silêncio ganha o melhor dos textos...
Não é preciso mais nada!

Lindo, lindo, Rê!

Desculpa a demora em aparecer...
Obrigada pelo carinho, pelos votos de aniversário, pela presença constante. É verdade: nem nos conhecemos, mas o bem-querer transcende!

Beijo grandão!

[ rod ] ® disse...

O poeta pede pelo carinho alheio e pelo som do silêncio que só a iluminação celeste oferece. Bjs moça!

Bruno Dias disse...

Mas que bom descobrir tua poesia!
Mais um espaço a ser visitado frequentemente!

Beijos

Cristiane Melo disse...

seu blog é uma delícia de ler e ver! adorei! :*

Nydia Bonetti disse...

eu troquei a poesia por um dia de sol... beijo, renata.

marcos saad disse...

a poesia está em tudo, ou tudo está na poesia?

beijo

Fernando Segredo disse...

Intenso

♥ Vitória de Melo Bispo ♥ disse...

Que lindo, Renata! Você faz a gente querer ser poeta também!
Até me arrisco nuns versos, inspirada em você:

Na falta do que falar
calou-se

sentiu
beijou
amou

isso basta

Obrigada pela visita lá no meu blog, me senti muito honrada com um comentário seu!

Beijos,
Vitória.

Djabal disse...

É um doce de lira, mais que um romance mudo, é um mundo de doce poesia.

Lunna Guedes disse...

Que delícia esse seu "caso" com a poesia. O romance chegou aqui em mim, mas sei que não foi apenas em mim. rs
Bacio

Le Vautour disse...

Nossa... que lindo!

BOMBA H disse...

A poesia é feita de silêncios.
E adorei tuas considerações num dialogo poético.

Geraldo de Barros disse...

que bacana, Renata.
tão envolvente.

beijos
Geraldo.

Claire disse...

que poema mais sublime!
amei

Flá Perez (BláBlá) disse...

adorei! um romance com a poesia!
esse eu queria ter pensado!
bjbjbjbj

Sylvia Araujo disse...

É tão bonita a maneira com que você pega pela mão algumas poucas palavras sem vida e faz com que dancem e rodopiem felizes no meio do salão...

Tudo lindo aqui, como sempre.

Beijoca, flor.

Renata de Aragão Lopes disse...

Meus agradecimentos tardios
a cada visita e comentário!

Registro, por oportuno,
que este poema foi publicado
em 31 de julho de 2010
no espaço Vidráguas:

http://vidraguas.com.br/wordpress/2010/07/31/doce-de-lira-em-vidraguas/comment-page-1/#comment-6192

Beijos!