quarta-feira, 16 de junho de 2010

Outono



cortina cerrada
a pálpebra encerada
as lágrimas secas


37 comentários:

Ana Lucia Franco disse...

Renata, que delicadeza dizer tanto com tão poucas palavras. Os haikais têm essa magia. O poema transpira a secura do outono. Muito bonito.

bjs.

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Chorar pra dentro deixa o nariz entupido.




Um beijo, amiga.

Lara Amaral disse...

Impecável, Renatinha, vc tem o dom com as palavras mínimas e engrandecedoras.

Beijos.

Sil.. disse...

Em poucas letras, disse tantas coisas!

Lindooooo Renata!

Um abraço grande!

Solange disse...

eu estou assim..
preciso abrir meus olhos..
bjsss..

Nydia Bonetti disse...

cores e tons do outono por aqui... são ciclos. beijos, querida.

Ribeiro Pedreira disse...

as folhas que caem fecham a janela do triste outono. Uma pausa até as lágrimas do inverno.

RICARDO disse...

Renata

Seu outono é um sopro, um arrepio,calafrio...
(como um vento nordeste próprio de outonos)
Aplausos.Bjo!

Marcantonio disse...

Anuncia a nova estação.

Daniele Cezar disse...

é preciso resguardo para que, mais tarde, tudo floresça.

teu blog é um doce :)

um beijo!

Valéria Sorohan disse...

Também estou entupida, orgãnica e mentalmente!! rs.

BeijooO'

J.F. de Souza disse...

só folhas caem
o ar é
seco

Lunna Guedes disse...

A folha amassada
o vento que passa
a nuvem que passa
a estação que passa
E a gente que...
Fica?

Adorei seu versar, tenha um lindo dia... Bacio

Bia Maia disse...

Gosto mais do choro para fora....aquele que extravasa...
beijos com carinho!

Bia

Daniel disse...

Gosto muito de Haikai. Tem Euclides no Sub Mundos. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Mirze Souza disse...

Imagino um outono assim tão lindo e delicado.

Renata!!!!! Belíssimo!

Beijos

Mirze

Maria Luíza disse...

Parabéns pelos poemas,nunca consegui escrever bem esse tipo de escrita, mas, admiro muito que domina essa área. Parabéns mais uma vez!

beeijo.
Luíza.

Claire disse...

palpebras cerradas quando as lágrimas cessam....prontas para abrir de novo...
lindo

Marcelo Zaniolo disse...

Você tem razão. A rotina é realmente algo presente em todos os universos, e mais comum do que imaginamos.

E quanto ao seu poema, lindo. Poucas palavras que denotam coração e sentimento.

Parabéns.
Começarei a acompanhar.

[ rod ] ® disse...

Outono em mim o que em ti adormece. Bjs moça!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Nossa! Nunca vi tanta profundidade em tão poucas palavras. Parabéns!

Beijos,

Furtado.

Gisa disse...

Hummm outono com lágrimas secas, como ficariamos no inverno ? :)

Dalva Maria Ferreira disse...

Bonito.

Pâmela Grassi disse...

Renata,

de pálpebras encantadass pelos cantos que aqui encontrei, grata pela sua visita

os olhos úmidos da beleza que aqui encontrei,

Fernando Segredo disse...

Frio...
Seco...
Sutil.

Juliêta Barbosa disse...

Renata,

Gosto do outono. As folhas que caem formam uma passarela por onde desfilam as minhas saudades esquecidas. E, elas me são tão necessárias nesses tempos de emoções e sentimentos descartáveis... Gostei do tudo o que li, especialmente de: Soberba. Parabéns!

Renata de Aragão Lopes disse...

Muito obrigada a todos
pela leitura e comentário!

Outono tristonho
pela partida de Saramago...

Mari disse...

Adorei o haikai

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Lágrimas, outono e poemas como estes , são os dias para bom amar

Silvia C. Barbosa disse...

Menina suas palavras encantam. Transforma a tristeza numa coisa linda.


Beijos, bom fim de semana.

Talita Prates disse...

Re,

adivinhou-me

(por esses dias.
o bom é que passa!)

Um bjo grande,
saudades,

Tatá.

Solange Maia disse...

que outono fantástico esse seu...

mestra com as palavras...

repito mais uma vez : amo suas sínteses !!!!

beijinho carinhoso

Valdeir Almeida disse...

Olá, Renata, gosto de poemas assim, como os seus: curtos, objetivos e que transmitem uma mensagem.

Parabéns.

Beijos e um excelente final de semana.

Moni. disse...

A sensação de ler é líquida...
Perfeito e sensível, Rê!

Beijos...

Mario disse...

mesa iluminada
em rubi minha amada
tintos e secos

Te amo, minha Linda!

Marinho

marcelo ortolani disse...

Como tão poucas palavras podem gerar tantas sensações diferentes?!?
Maravilhoso!

Paulo D'Auria disse...

Renata, confesso-me um leitor um tanto preguiçoso, quando entro em um blog, leio a primeira postagem, comento e me vou. Mas o seu trabalho é tão bom, que devorei a primeira página inteira deste doce de lira. Parabéns, poetisa de mão cheia!

E obrigado pela visita ao meu blog e pelos comentários a respeito de meu trablho Lixo/Poesia.

Prazer em conhecer-te!