terça-feira, 8 de junho de 2010

Brasil



Chamem-me de patriota
à vontade.
Eu amo
onde nasci.
É daqui
minha naturalidade.
Distante,
estou fora d'água,
com a mágoa
de minha fala
não ser boa
o bastante.
Meu chão é este,
em que piso
e me pronuncio,
em que não preciso
do desvio
da língua e origem:
palavra,
paladar,
papel moeda,
lugar
e bandeira.
Meus olhos,
alhures,
a tudo corrigem.
Sou de alma
brasileira.


43 comentários:

disse...

Bravo Renata!!!!

Caio Lima disse...

Faço de suas palavras as minhas!

bjos

Lunna Guedes disse...

Um país cheio de cores. Confesso que não gosto muito de toda esse imensidão colorida, mas parte de mim se achou aqui em São Paulo, mas as vezes me esqueço que ele é parte desse mundão brasileiro. rs
Bacio

Allyne Araújo disse...

demais!!!!!!! ser brasileira é bom!!!!!! penseeee!!!!! bjo!!!!!!!

Lara Amaral disse...

Assino embaixo, Rê! Que lindo poema!

Beijos.

Kenia Cris disse...

Salve, Renata! Belíssimo! E essa imagem, que coisa mais incrível!! Eu gosto demais daqui, principalmente de Minas, claro, rsrsrrrs não trocaria o meu país por nada se pudesse mesmo escolher.

Lindo! Beijo querida! =*

Nydia Bonetti disse...

Precisamos resgatar o amor à Pátria - palavra que soa tão desgastada. Precisamos urgente. beijo, Renata.

Mahria disse...

Salve, Salve!
Esses dias, parece que a alma está mais brasileira.


Beijos
Mah

Mirze Souza disse...

Bravíssimo, Renata!

Eu vou embarcar na sua onda. Amo o Brasil e do jeito que ele é e está. É nossa pátria.

Apoio sua poesia, linda!

Beijos

Mirze

Talita Prates disse...

Bonito, amiga!

Um bjo,

Talita.

Crista disse...

BRASIL...sill...silll...silllllll...
Não existe igual!

eduarda cazé. disse...

me orgulho de ter nascido no Brasil, mas queria muito ter esse amor todo pela minha pátria =/ não consigo.

Solange disse...

pátria amada Brasil!!
bjs..

RICARDO disse...

Assino embaixo Renata

Renata de Aragão Lopes disse...

E nem é pela Copa.
Pela Pátria, de fato.

Obrigada a todos
pelo carinho de sempre!

Marcelo Novaes disse...

Renata,




Indiscutivelmente, tu és!



A imagem é perfeita para o texto.


:)





Um beijo.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Renata!

Agradeço a visita lá no Literatura Independentchê!

Se precisar de alguma coisa é só avisar.


Sobre o poema: muito bom! E nem é pela Copa, hehehehe.

Beijos,

CC

Luciana P. disse...

Olá, Renata, muito lindo o seu texto sobre patriotismo. Desperta sensações e energias boas.
Parabéns pela sua página e pelos posts.

Beijos pra ti!

Jéssyca Carvalho disse...

Pois somos duas então! Também sou apaixonada por essa terra, embora tenham feito tanto mal dela...
Tenho pena daqueles que não a valorizam: não sabem o que perdem...

Patriotas, nós, que gostamos de Golçalves Dias, quando diz: "Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá..." Tão feliz, esse poema!

Amei teu escrito, muito mesmo. Identifiquei-me nele e isso é tããão bom...

BEijos, querida!

Ivan Bueno disse...

Renata, sua patriota!
É difícil não ter este vínculo com a terra de onde surgimos. Temos raízes como árvores e, se transplantados, ficamos com a sensação da saudade.
Esse patriotismo de amor é bom, o da guerra é que não deveria existir, mas não é disso que trata seu poema: ele trata de amor.
Beijo grande.

Ivan Bueno
blog: Empirismo Vernacular
www.eng-ivanbueno.blogspot.com

Renata de Aragão Lopes disse...

"Temos raízes como árvores
e, se transplantados,
ficamos com a sensação
da saudade."

Obrigada, Ivan Bueno,
pela leitura tão escorreita
deste poema!

Beijos a todos!

meus instantes e momentos disse...

que bom teu blog...
Maurizio

*** Cris *** disse...

Olá,td bem?
Li seus ultimos textos aqui no seu blog e tenho a dizer que você escreve muito bem!
Bjs!

Caio Rudá de Oliveira disse...

me dá um pouco desse patriotismo? :D

renata, fico feliz que você queria um exemplar do livro. me lembro inclusive que você já havia manifestado o interesse. se for ok para você, poderia me contatar por email.

beijos.

Adriana Godoy disse...

É isso, Renata...nós somos o chão que pisamos e a língua que falamos. Amei. Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Maurizio e Cris,
sejam muito bem-vindos ao doce de lira!
Espero revê-los por aqui!

Caio Rudá,
como ceder patriotismo? (risos)
Pode reservar meu exemplar!

Dri Godoy,
somos, sobretudo, "a língua que falamos".

Um beijo a cada um de vocês!

André HP disse...

Brasil que nos deu Tom Zé, Zé Ramalho, Marisa Monte, Moraes Moreira, Rita Lee; fora a literatura e cenários líricos pelos cantos de nossas terras.

Lindo e apoteótico poema. Comungo da sua visão.

Beijos.

Fátima disse...

Certíssima Renata nossa Pátria nossa idendidade, nosso idioma nosso passaporte, nossas raízes nosso alicerce, nossa bandeira nosso estandarte.

Bravo menina linda.
Beijinho.

Marcantonio disse...

Se não é pela copa do mundo, tudo bem. Porque naquele patriotismo de conveniência que eles proclamam, tem cifrão no meio, assim: patrioti$mo. Se fosse um sacrifício pela pátria, muitos descalçariam as chuteiras. Trata-se de um jogo, apenas.
Mas sinto que não é propriamente de patriotismo que você está falando, mas da cultura sobre a qual a alma pousa. Cá para mim, penso que a Pátria é pouco mais que o bairro. Pois quando os olhos se encontram verdadeiramente, é a alma do mundo que se reconhece.

Abraço. Ah, e obrigado!

Ricardo Kersting disse...

Oi Renata

Obrigado pela visita em meu humilde espaço..

Sobre o teu poema, também penso que o nosso país é maravilhoso, no entanto percebe-se a carência de melhor educação, segurança, saúde, distribuição de renda, desenvolvimento social, pesquisas científicas patrocinadas, melhor gerência nas prioridades, seriedade na área política, etc....etc...etc..
Abraços..

A.S. disse...

Renata... Um belo Hino à terra onde a natureza deixou um pedaço do Paraiso!!!

Beijos
AL

Paulo Rogério disse...

Bela imagem!
Pátria é tudo isto que a gente traz no coração e você consegue aperfeiçoar com a sua escrita.
Beijo!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Agradecido pela visita ao Rembrandt

abraço

Rosa Carioca disse...

"Gigante pela própria natureza, és belo, és forte, impávido, colosso..."
Precisava ser mais bem tratado.

D'angelo disse...

E a copa do mundo está aí.
Aposto que, como eu, você já comprou a blusa e a bandeira do Brasil né? rss...

Bjão moça.

Solange Maia disse...

Renata...

gosto dessa terra... dos nossos cheiros, da gente, do verde, dos afagos...

e gosto de poder vir aqui e ver o seu gostar fazer aumentar o meu !

você é rara...


beijo grande

Jéssica V. Amâncio disse...

hoje em dia patriotas são raros! que ótimo ler isso

Livinha disse...

Haveria algo melhor do que isto, quando no peito carregamos o emblema por sermos brasileiros, ao nascermos na patria do evangelho, no coração do mundo.

Não poderia ser mais precisa as tuas letras com esse sangue tão forte de brasileira, correndo nas tuas veias.

bravo!

Bjs

Livinha

Anônimo disse...

Re linda linda linda.
eu tambem sou brasileira com muito orgulho com muito amor
(essa terra é o proprio paraizo)
bjs tesoura

Renata de Aragão Lopes disse...

Marcantonio, que bonito comentário!

Ricardo Kersting, não ignoro que estamos bem distantes do chamado Primeiro Mundo... É lamentável.

Solange Maia, guardarei seu elogio como um presente igualmente raro...

Tesoura, essa terra é um de nossos grandes tesouros! : )

Um beijo a todos vocês e muito obrigada por cada palavra!

Le Vautour disse...

Faço minhas as suas palavras. E é bom fazê-las minhas, pois eu não teria palavras tão lindas, tão cadenciadas, tão cheias de musicalidade, para dizer o que sinto e como sinto.
Abração de duas asas!

Marcia Carneiro disse...

Tuas palavras foram doadas na terra ! Salve, linda.

Juliana M. Mesquita disse...

Sabe aquelas vezes em que dá pra imaginar que a gente poderia ter escrito aquilo? Mas não.. eram sentimentos, sensações.. mas o poeta te traduziu!
Muito bom mesmo, adorei!