quinta-feira, 15 de julho de 2010

Disparates



o mais triste
é o despiste
o faz-de-conta
da não afronta
o descaso
a longo prazo
a inverdade
da intimidade

o mais feio
é pôr-se alheio
a hipocrisia
do bom dia
a aspereza
da gentileza
o improviso
do sorriso

[como se não se amassem]


64 comentários:

Albuq disse...

Oi Renata, fazer de tudo como se não amasse, como se estivesse distante ou como se não sentisse, é muito doloroso.

bjs, lindo seu post!

Maria Tereza disse...

Ai! Como me identifiquei com o poema! =\

Batom e poesias disse...

Isso é o casamento...rss

Você como sempre, fantástica, Renata.

Vim e me atualizei. Sempre me lambuzo de delícias por aqui.
bjs

Rossana

Myrela disse...

Mas se se amam, há que se dá um belo desconto...afinal é comum um certo desdenhar do próprio amor... não achas?
Tens o dom da rima e da não rima também...é de pasmar!

Brunno Lopez disse...

Ótima refeição as suas letras.
A sintonia parece um tanto cristalina.

Raven disse...

Uau.

pablorochapoesias.com disse...

Simplesmente lindo e verdadeiro. Uma poesia de pura aprendizagem.

Aplauso, Renata.

Beijos!

RICARDO disse...

"O desamor é hipocrisia,
é improviso:
é um sorriso
sem alegria."

Belíssimo Renata!

Brihante, inspirador, convidativo à reflexões...

Beijo,

Ricardo

Lara Amaral disse...

Por detrás da apatia, da indiferença, sempre há muito mais do que os gestos não dizem.

Ótimo poema!

Beijinho.

Luiza Maciel Nogueira disse...

o pior de tudo é a indiferença...:)
mas aqui mesmo a hipocrisia, tu poetiza

:)

bjs

Ribeiro Pedreira disse...

não olhar nos olhos é quando tudo começa a terminar.

Wanderley Elian Lima disse...

Simples e linda. Amei
Bjs

Léo Santos disse...

Simétrico e poético! Profissional! Concordo contigo, tem gente que vive assim todos os segundos da vida... E ainda acha que vive!

Um abraço!

Sabrina Davanzo disse...

Sei bem como é isso. Lindo, Rê!

Beijos

Marcantonio disse...

Sempre achei estranho o pedido de licença a quem amamos, o bom dia formal, um seco por favor. Formalidades são distanciamentos. A linguagem do amor é corporal.

Clara disse...

Olá Renata,
primeiro obrigado pela visita ao "janelas" seja sempre bem vinda. E é verdade o amor é tudo, é dele que vem toda e qualquer inspiração.
beijo grande !

marjoriebier disse...

E lá vai Martha Medeiros dizer que todo faz-de-conta faz de conta que não sabe...

Beijo, amorinha!

líria porto disse...

em cheio!
besos

contagotas disse...

E se amam?

Muito bonita a forma como abordou o tema. Parabéns!

[Ananda] disse...

Legal esse seu dom,tem poemas bem bonitos,eu não sei escrever poemas tenho certa inveja de quem consegue,acho uma coisa de outro mundo.
Adorei sua visita moça,quanto ao poema acho meio normal fazer isso,fingir um pouco,tentar se enganar,descobri que as pessoas fazem isso.
Será sempre bem vinda lá no meu humilde blog.Sou meio novata nisso,escrevo mal mas tento algo né?
Fica bem.bjs

Andrea de Godoy Neto disse...

bela descrição da solidão a dois, Renata.
triste estar ao lado e ser alheio...


beijos

Mirze Souza disse...

Uma dádiva!

Lavei minha alma!

Como sempre, Renata sua poesia se veste de gala e diz o fundamental.

Beijos

Mirze

A. Reiffer disse...

Ótimo, gostei muito! Parabens!

Maurélio disse...

Renata, adorei, sua poesia é fantástica. Grato pelo comentário e visita ao meu blog.
Abraços

Nini C . disse...

oi, brigada pela visita ao blog e comentário, gostei muito daquí, beijos...

Rafael Santiago disse...

Rimas bem elaboradas com um conceito um tanto polêmico.
muito bom!

"a hipocrisia
do bom dia"

Amei! Quase todos dizem bom dia mesmo em um péssimo dia...

Eduardo Tava disse...

Quando são ágeis as palavras na mente dos poetas, a escrita aparece toda subtileza, ironia e graça.

Solange disse...

foi feito pra mim..
obrigada..rs

bjs.Sol

Dri Andrade disse...

oi Linda, so agora pude vir agradecer seu comentario na minha postagem no blog do Olavo. .(TRAÇOS DE UM HOMEM) não vim antes por que estava mudando de blog, e vc sabe que é igual a uma mudança de casa!
Que delicia de blog vc tem hem, adorei tudo aqui e já estou te seguindo, como mudei de blog agora estou no blogger tbm, no outro não dava pra seguir ou ser seguido por que era outra plataforma. te convido a me seguir tbm, vamos manter contato...
Uma beijoca e fique com Deus
Dri

Talita Prates disse...

gosto tanto dos teus poemas de tom "DR"... rs.

ah, como te admiro, minha amiga querida.

pelo que escreves e pelo que és.

obrigada pelo carinho de sempre,

Tatá.

Cristiano Guerra disse...

Hey, Renata ;]

O tema de sua construção é bastante universal, gostei muito de ler. Por isso que uma galera se identifica! Quem já teve um relacionamento a dois sabe exatamente como interpretar.

Blog fantástico.


Abraço

VALVESTA disse...

Olá querida, obrigada pelo convite, vim com prazer, hum que tentação ... engorda, adoçam o paladar de amor e poesia.
Estou ficando, beijos.

manuel marques disse...

O espírito serve-nos, por vezes, para fazermos valentes disparates .


Desculpe Não sei que disparate fiz, só sei que o seu endereço do blog desapareceu do meu e só hoje dei por isso.

Beijinho e as minhas sinceras desculpas.

Déia disse...

Pra que fingir que não ama?

bj

Rafael Cotrim disse...

Que poema lindo, intenso.

Adoro ler coisas assim.
:)

beijos querida.

Moska de Bar disse...

Tem sido assim em quem eu vejo. Triste cotidiano que se intensifica nas tardes cinzas e nas noites frias. Te beijo!

Pena disse...

Estimada e Simpática Amiga:
Não! não lhe vou sorrir, vou dizer que é maravilhosa e extraordinária.
Tem uma sensibilidade poética de ouro puro.
A sua sensibilidade faz fascinar e maravilhar.
É linda, percebe?
As suas palavras constróiem uma poesia de sonho.
Não! Não estou a exagerar.
Com todo o respeito, estima e consideração pelo seu talento.
Vou fumar mais um cigarro.
Abraço de pura amizade sincera perante a sua pureza e encanto.

pena

MUITO OBRIGADO pela ternura que expressou no meu blogue.
Bem-Haja, amiga poetiza enorme.
Parabéns.
Adorei.
MUITO OBRIGADO!

Georgio Rios disse...

Um lindo poema de um lindo blog-lugar, senti cheiro de casa, conforto de casa.Um abraço

Isa disse...

E quanta hipocrisia e fingimento há em tantos relacionamentos...
Beijo.
isa

Capitolina disse...

Por que não podemos agir como manda nosso coração e temos de encenar cada ato?
Lindo post!

Obrigada pela visita!
Volte sempre!

J.F. de Souza disse...

como se o Amor
perdesse a força
e então definhasse
até, por fim,
morrer

Excelente! =)

=*

Leticia Duns disse...

Indiferença que destrói...

Adorei aqui Renata, Parabéns pelo teu lindo Dom com as Palavras !!!

Beijos
Leticia Duns.

Cris de Souza disse...

Gostamo-nos !

Sigo... beijos*

MAILSON FURTADO disse...

Excelente texto...

PARAbéns pelo belo blog...

MUITO BOM!!!

Acesse...

http://mailsonfurtado.blogspot.com

Tania regina Contreiras disse...

Feio é o amor encenado, fazer-se de acordado enquanto dorme-se para a vida...
Beijos,

Bárbara Cabral disse...

Belo blog!
Fingiam e acreditavam no fingimento ou acreditavam que estavam fingindo?

Folhas de Andreza disse...

Visitando e agradecendo as palavras desfolhadas no meu cantinho...Obrigada!!!
As coisas são da forma que a gente vê...lí a tua receita...ótima,mas o gosto senti diferente da minha receita...rsrsrs...palavras!!!
Bjks doce em teu ♥,Andreza.
Ps: vou ficando aqui,mesmo sem pedir...

oquemeinferniza disse...

Essa displicência do como se não amasse machuca...às vezes se age assim como se não percebesse. Adorei o poema. Virei fã.

Obrigada por ter passado no meu blog, adorei a visita. Sinta-se à vontade para passar lá sempre que quiser.

Beijocas e ótimo fim de semana.
Líria

Marcelo Mayer disse...

eu, em nome de Julia & Pedro, agradecemos sua visita e muito obrigado pelo carinho e reconhecimento. é um trabalho em que eu, quem escreve, e glauco, quem desenha, apostamos muito!

:D

Steph disse...

Obrigado pela visita,
adorei o poema e o blog tb!

Beijos

Lai Paiva disse...

Re, bem minha cara este poema. Lindo. Adorei. Bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Um belo dia se conscientizarão de que o amor é mais poderoso.

Beijos e ótimo final de semana.

Furtado.

Karine Melo disse...

Vim conhecer seu blog, achei lindoo!

vc escreve muito bem!

bjuu :*

Thiara Ribeiro disse...

Perfeito! *-*

Carol Timm disse...

Renata,

Muito bonito!!

.
.
.

[Como se não se amassem]

Bom rever a sua casa!

Beijos,
Carol

Homem Hediondo n° 05 disse...

E a insistência. E a insitência na indiferença!

Bom retornar aqui, Renata.
Sigamos...

Sylvio de Alencar. disse...

Muito bem sentido, visto, relatado.
Saõ sentimentos e atitudes como essas que exterminam qualquer coisa, e nós junto...

Abrçs.

Kelli Pedroso disse...

Lindo poema, Renata! Parabéns!

Solange Maia disse...

ah... a indiferença...
princesa glacial dos sentimentos...

não posso com isso...

beijo muito carinhoso

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ºººº
A poesia do disparate ... é linda.

Renata de Aragão Lopes disse...

O assunto é, no mínimo, polêmico.

Muito obrigada a todos vocês
por comentarem "Disparates"!

Beijos!

Mari disse...

Adorei! "a hipocrisia do bom dia"...
Como é hipócrita não podermos falar "mau dia".

Ótimo. Como um bom texto e a vida: da para ser lido de várias formas.

Adorei seus comentários! Obriagada pelos vôos até meu blog.

Beijos

Kenia Cris disse...

Às vezes me pergunto se todo amor está fadado a esse tipo de fim, sabe. Belíssimo como sempre o seu poema.

Beijos!

Renata de Aragão Lopes disse...

Mari, a hipocrisia é intolerável!

Kenia Cris, prefiro crer que todo amor passa por fases. E que há aqueles que sobrevivem a todas elas...

Um beijo, queridas!