domingo, 10 de outubro de 2010

Tristeza



é melodia baixa
que se repete
a mesma faixa
a mesma faixa
a mesma faixa

é poesia em tom
de ladainha
o mesmo som
o mesmo som
o mesmo som

é elegia remota
e sem fim
a mesma nota
a mesma nota
a mesma nota


Imagem: Tristeza, tela de Nilza Silva.

30 comentários:

Moni. disse...

De todos as características da tristeza,
é essa a que mais me incomoda:
a insistência.

Minha sorte, talvez
é que desistir
é palavra rasa
quase rara
no meu dicionário...

Teu poemar é encanto, Rê!

Beijo enorme...um feriado feliz!

Moni

Renata de Aragão Lopes disse...

O que é triste insiste.

Também pra você, Moni,
um feriado especialmente FELIZ!

Beijo.

AC disse...

É repetitiva
a sensação
gostei
gostei
gostei

Beijo :)

Eraldo Paulino disse...

Se a alegria é relativa, a tristeza é relatiiiiiiiiiiiiiiivamente maior, mesmo.

Bjs, querida!

Domingos Barroso disse...

esse vazio indizível
às vezes torna os olhos
tão monótonos... então
os versos vêm com seus
instintos de fábula...

e até se parecem
(também os versos)
tão tristes
tão enfadonhos
tão insignificantes

(o que não são,
acredite) .

Sua alma se expressou
de forma decisiva
ao instante.

Como apenas quem é poeta
traduz. (você,intensa poetisa,
o fez).

Parabéns,
beijo carinhoso.

Í.ta** disse...

uma perfeição sonora teu poema, renata. encantei-me!

venha ao um-sentir. tem chico por lá, o buarque. e outras inutilidades :)

grande beijo!

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, sonoro e cadenciado poema que expressa a tristeza em criativos versos. Bj.

Marcantonio disse...

É cantochão, então, essa tristeza-mantra em mundo polifônico.

Abraço.

Márcio Ahimsa disse...

tristeza não tem fim,
existe assim:
sei eira nem beira
nessa infinita
maneira de mim...

Beijo Renata.

Eder Asa disse...

A Maravilha que é sua poesia, também sempre insiste.

Pérola Anjos disse...

A tristeza, como um disco arranhado, insiste em fazer notar as suas notas.

Beijos!

Rosemildo Sales Furtado disse...

O remédio para a tristeza é a reação. É refletir, o motivo descobrir, e reagir. Buscar a alegria, e a tristeza banir.

Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

Furtado.

PS= Perdoe-me pela visita.

Isa disse...

Há momentos assim,como você tão bem diz nos seus versos!
Insistentemente tristes.Tão tristes.
Beijo.
isa.

Jessy Rodrigues disse...

Ainda bem que tristeza vem em melodia baixa
Então a alegria tem melodia alta, posso pensar assim...!
Então, ainda que repetitivas, ainda que possamos ouvi-la
Também podemos ouvir a alegria que canta alto.
Não digo em tom de repetição como a tristeza,
mais em tom de surpreender, de fazer sorrir um sorriso diferente a cada dia...

penso assim..

Um beijooo

Ju Fuzetto disse...

E de tristeza tudo se cala.


Lindo adorei flor!!


boa semana beijo

Adriana Godoy disse...

Renata, me surpreendi com sua tristeza em ambos os sentidos. Dá pra fazer música. Bj

Lara Amaral disse...

É bem isso que enche
e entorna
e entorna
e entorna


Tão bonito seu poema, Rê!

Beijo, bom feriado!

Ava disse...

É dor que
dói
dói
dói
dói...


Tão pungente!


Beijos

Batom e poesias disse...

Quando vira poema
dignifica
e fica
e fica
e fica...

Até sua tristeza é bonita.
bjs

Rossana

Sentimental ♥ disse...

e tudo sempre fica na mesma...

* Felicidade Clandestina disse...

a mesma rota.

Luiza Maciel Nogueira disse...

a nota se repete, mas a música é sempre diferente, sempre novidade :)

beijo

Lucão disse...

que bela descrição de tristeza, Rê.
:)

ótimo.
beijo!

Mirze Souza disse...

Belíssimo, Renata!

A tristeza mais linda que já vi.

Como sou uma pessoa triste, embora de bom humor, identifiquei-me com essas teclas que teimam em repetir.

Fabuloso!

Beijos

Mirze

Albuq disse...

detesto tristeza... adorei a forma como você descreveu.

Daniela Delias disse...

Poema que insiste em ser lido, insiste em ser lido, insiste em ser lido...lindíssimo, Renata! Um beijão!

Talita Prates disse...

depois de ler abaixo sobre o Tiririca,
só me veio à cabeça:

pior que tá não fica
não fica
não fica

(desculpe, Re... não me contive! rs)

tristeza? sei cantar essa canção!
e já sei até colocá-la pra ninar!

um beijo,

Tatá.

Marcello disse...

Oi De novo...rs

A tristeza é ruim, mas não para os poetas que transformam seus males em arte.

Sensacional.

Um dia quero ter esse poder de síntese que você tem.

Beijos de um paulista perdido em BH...rs

Sabrina Davanzo disse...

E até a tristeza você, como sempre, adoça! Amo!

Beijos

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Bem reiterado, como uma [melancólica] cantilena.





um beijo, amiga.