sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dia do idoso



nenhuma ruga sua é sem motivo
o rosto é o retrato de sua história
a prova inconteste de que está vivo
guardada em cada vinco uma memória

talvez seu caminhar seja mais lento
natural fazer-lhe o tempo um agrado
sem pressa pode admirar o vento
mover cada cabelo cacheado

é possível que se sinta sozinho
sem alguns amigos pelo caminho
e chore então um silêncio saudoso

toda essa sua emoção desmedida
é porção que lhe sobeja de vida
- somente a certidão lhe diz idoso


Cem anos é uma bobagem.
Depois dos setenta, a gente começa a se despedir dos amigos.
O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.
Oscar Niemeyer, nascido no Rio de Janeiro, em 15 de dezembro de 1907.

32 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Quem me dera
ser centenário
e menos
temporário.

fouad talal disse...

renata,

esse ficou lindíssimo e merecido!

bjo.

Domingos Barroso disse...

Decrépito é aquele
jovial embrutecido
sem portas
e janelas
(abertas
ou pra serem)
...

Terno poema
para ser lido
como se desejar
ou com vento no rosto
ou bebendo uma xícara
de chá preto.

Os ossos não reclamam do tempo
quando se leem e se ouvem
poemas belos.

Doce de Lira,
abraço carinhoso.

tonhOliveira disse...



A 'velharada' tá se superando!

Outro dia li o seguinte...
Curiosidade: o primeiro país a ganhar um Oscar foi... o Brasil! E já faz um século... Dito pelo cartunista Edgar Vasques (sobre o centenário do poeta do traço)


Ele viveuTUDO e bem, mas é um homem muito triste pelo nosso BRASIL.

IDOSO → idos, só!

:)

Ives disse...

olá, adorei sua poesia, adoro os "idosos", abraços

Letícia Palmeira disse...

O importante é viver.

Lívea Colares disse...

Que lindo! Adorei!

Mirze Souza disse...

Linda Homenagem. Renata!

Importa viver. BEM!

à alguns a vida é boa, o que não generaliza.

A idade está na mente. As rugas, marcas que ficaram, são enfeites e lisonjas.

Beijos

Mirze

BAR DO BARDO disse...

boa lira tocada aos velhos.

alvíssaras!

namastê!

Rob Novak disse...

Bonito soneto. Traduz a idade avançada como o acúmulo da vida.

Abraço.

Eder Asa disse...

Esse vídeo traduz esse poema: http://www.youtube.com/watch?v=80_O2gYNhrU

A mesma doçura, a inocência que a experiência (e o tempo) não conseguiu apagar.

Lido, Lindo.
Beijo Renata!

Cleber disse...

Lindo poema...
Construção perfeita, palavras muito bem escolhidas e o tema de pertinência ímpar.
Sou um protetor dos idosos de carteirinha.
Parabéns pela iniciativa e criatividade Renata.
Você sempre mandando bem.

Talita Prates disse...

emocionou-me.

um beijo, querida.

Tatá.

Anônimo disse...

Que linda homenagem, mais que merecida!
Bejos,
Dani.

Sentimental ♥ disse...

eu quero muito chegar nos 'enta'... melhor idade, viveu tudo.
bj

Lara Amaral disse...

Lindo soneto, tratou tão bonito sobre o tema!

Beijinho.

Tereza disse...

Ei Renata,

Lindo poema!
Saudade de você.

Beijão,

Tereza Stancioli

Anônimo disse...

Olá Lindinha!

Amei o poema e seu tema! saudades...
Débora Piacesi

Luiza Maciel Nogueira disse...

belíssimo
como dizia uma tese que li a uns tempos atrás: "Cada ruga, cada marca tem seu significado" e sim é preciso valorizar esse tempo de vida

beijos

Márcio Ahimsa disse...

creio na brutal inconsistência
do tempo...
é quando vejo
que o tempo não mudou,
quem mudou fui eu.

Beijo, Renata.

Belo soneto.

Úrsula Avner disse...

Oi Renata,

bela e comovente postagem... Bj.

Lucão disse...

Belíssima, Rê.
é assim que se fala
da idade
sem ser passado.
tua poesia é
um presente, sempre.

:P

Luria Corrêa . disse...

decrépitos e embelezados por sabedoria, foram o passado, fecham o futuro e vivem lentamente o presente. Lindo .

bom fim de semana, bejs :*

Lua Nova disse...

Um poema emocionate e belo o que não é surpresa já que vc o fez e conheço sua arte.

O Niemaiyer disse:
"O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela."

Perfeito!

Parabéns pela homenagem.
Beijokas.

Aline Patrícia disse...

Uma homenagem mais que merecida, o que a vida acrescenta de cabelos brancos também costuma trazer em sabedoria e experiência. O mundo é o mesmo, mas certamente a ótica é totalmente diferente da que nós, jovens, temos.

Beijo :)

Caio Rudá de Oliveira disse...

Excelente, querida.

Solange disse...

Renata,

que linda homenagem...

gosto desses vincos, dessas marcas, gosto da história que vai escrita nesses senhores do tempo !!!

beijo grande

Olívia Comparato disse...

Uma linda forma de tratar um tema tão importante.
Beijo grande

Jéssica V. Amâncio disse...

envelhecer não é sinônimo de fazer anos, e sim de viver vários anos. são coisas diferentes. quero ser uma velhinha muito bem vivida.

Moni. disse...

Lindo, Rê...

O poema,
o respeito
o cuidado
é como sua vida:
urgente!

Beijos, flor!

Moni

meetmarcos disse...

...e relativo ao tempo, "somente a certidão...".
lindo soneto... sonetasso.
é bom passar aqui, sempre tem algo bom.
saudações
beijo
Marc

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Bonito soneto para calejados caminhantes.








Um beijo.