domingo, 12 de abril de 2009

Renda-se!



Antes de me reputar tão insana,
procure render-se, uma só vez,
ao universo, sobre o qual se engana
aquele que nele busca porquês

para não crer no que está tão oculto
e, a um só tempo, tão revelado.
O mundo, em meio a esse tumulto,
pede ao homem que o sinta, calado.

Assim as vozes dos anjos nos vêm.
Enfim capazes de crermos além
do que nos dizem os olhos ser lenda.

E a tudo vendo como energia,
ódio é feitiço; paixão, magia.
Encontre-se nisso... então se renda!

Menção honrosa no VIII Concurso Nacional de Poesias Menotti Del Picchia.

10 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Feliz Páscoa!

Felipe Vasconcelos disse...

Bravo, Renata!

Eu estava mesmo para perguntar sobre seu blog quando vi os comentários no Poemadia; vejo que você acaba de inaugurar esse aqui. Geralmente a gente diz "parabéns" nessas ocasiões, mas eu acho "obrigado" mais apropriado: obrigado por compartilhar esses poemas com a gente!

E se eu gostava das suas rimas, você me ganhou de vez com esse soneto!

Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Também eu tenho a agradecer.

A ideia de um blog particular era antiga, mas o diálogo que travamos recentemente no Poema Dia (eu, você e Tião) me incentivou a criá-lo o quanto antes.

Agora, temos mais um ponto de encontro! rs

Sinta-se sempre bem-vindo!

FERNANDOCSL disse...

Parabéns Garotinha. Sinto em suas linhas que tem grande talento e prazer. Vai alcançar mais que o sonhado. Seja feliz no caminho novo.
Carinhos!!!

Adriana Godoy disse...

Vim te visistar e agradecer seu comentário. Parabéns pelo blog, sei que vai ser uma ótima pedida. Sucesso. Bj.

"Encontre-se nisso... então se renda!"

Renata de Aragão Lopes disse...

Fernando, identifiquei você pelo "garotinha"! rs
Que suas palavras sejam uma profecia.
Grande abraço!

Adriana,
muito obrigada pela vinda!
Espero que se repita.
Beijo.

Alain disse...

Se isso aqui continuar doce assim, vamos precisar aumentar a distribuição de insulina por aí...

Um beijo, doçura.

Luciana disse...

Lindaaaaaaaaaa!! Amei amei amei!!! Doce como você!!!! Saudades!! Você é um sucesso!! Parabéns pela idéia do blog! Vou espalhar por aí!!! Beijos da amiga saudosa!!!!!! Lu

Renata de Aragão Lopes disse...

RJ e DF me visitando!
Prometam voltar!

Como vão os pimpolhos, Lu?
Saudades também!

Geraldo de Barros disse...

Como vc pode ver eu fui bem mais além, gostaria ter comentado todos os poemas pelos quais passei até chegar aqui (felizmente são muitos), são lindos, repletos de cores, sabores, temperaturas, tem cheiro, sua palavra é vida, é livre, pulsa, da pra sentir nas mãos, da língua quando se lê e gosto de ler em voz alta então sinto uma cosquinha no ouvido, rs, mas ainda comentarei muitos, aos poucos conforme eu for os relendo, por enquanto eu quis conhecer um pouco a extensão de sua produção na próxima viagem a profundidade, e cada vez vou inventando uma desculpa para os reler :)
quando te mandei o meu e-mail, foi bem por causa disso, fiquei muito ancioso em saber mais daquela da outra ponta da caneta, a que planeja, prepara e servi esses deliciosos sabores, é uma poesia que me agrada como poeta e a poesia para mim sempre a vi como uma ponte que leva ao outro, desde de muito cedo quis ela assim, trabalho a palavra para tocar o outro para que esse outro tocado possa me tocar, é um abraço forte que não fecha um no outro, pelo contrário, é um abraço que abre: novos sentidos, novas expectativas, novos caminhos. Espero um dia conhecer mais a pessoa dona dessas lindas palavras. Sou um poeta muito intuitivo, embora pesquise e estude muito, pois como dizia Drummond lidar com a palavra é uma luta, por vezes vã, então procuro me preparar o máximo possível, estudo a língua e línguas, leio de tudo compulsivamente, mas sou intuitivo, portanto acredito no sentido das coisas, nada acontece por acontecer, cada palavra tem seu sentido de estar ali assim como cada gesto de um poeta tem seu sentido/objetivo de ser. Bom, mas acho que me alonguei muito, vou indo agora,

Beijos e uma ótima noite,
Geraldo.