segunda-feira, 20 de abril de 2009

Sell


era dela
o melhor cafuné
as unhas compridas
em meus cabelos compridos
percorridos
pelo vermelho do esmalte

era dela
o mais lindo pé
pequeno e macio
tão macio e pequeno
calçado
em calçado de dama antiga

eram dela
o braço esquerdo que eu segurava
os trejeitos que imitava
a casa da visita mais rotineira
a companhia pra Mozart
o beliscão de brincadeira
eram dela
a árvore da natal mais alta
o presente de natal surpresa
o salpicão da ceia à mesa
a oração feita à meia-noite
a meninice a disfarçar a idade
os meus sonhos
eram dela
- arandelas de saudade

18 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Aniversário da vozinha.
Eu me lembro dela todos os dias...

Wania disse...

Oi, Renata...
Avós nos trazem lembranças açucaradas da infância.
Tb tenho boas recordações da minha...

Te encontrei no blog da Luciane.
Muito lindo o teu cantinho, tuas palavras...
Parabéns!
Voltarei mais vezes.
Bjs.

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bom que gostou, Wânia!
Visitarei, também, o seu Encantaventos.
Beijo.

Tião Martins disse...

uma avó não conheci
a outra cedo perdi
assim talvez me falte
um bom bocado de mulher
algo feito um faqueiro
onde sumiu uma colher.

.......................

Estamos produtivos mesmo... assim vamos recuperar a economia mundial! rsrsrsr

Renata de Aragão Lopes disse...

Comentário em versos.
Adorei!

E bom bocado é um doce.
Foi intencional?

Tião Martins disse...

Foi sim senhora... tenho minhas facetas culinárias de duplo-sentido... kkkkkkkkk

Luciane disse...

Lindo o poema e os comentários... São realmente um doce!
Beijos e bom feriado!

Joe_Brazuca disse...

linda sua arandela...

( eu conheci e conviví com minhas duas...e como é bom, né não ?)

voce poetiza muito bem, Poetisa !

um abraço cordial

Joe

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada, Joe!
Volte sempre.

Anônimo disse...

Saudade

de vez em quando
bate na porta
pra mostrar que vive.

TecaMiranda

Renata de Aragão Lopes disse...

Que lindo, Teca!
Obrigada por trazer versos seus!
Um beijo.

Adriana Godoy disse...

Lindo e sensível poema. Doce e mimoso. beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada, Adriana!
Que bom que trocamos visitas a cada novo poema!
Admiro o que escreve.
É um prazer recebê-la aqui.

Anônimo disse...

Oi Rê!

Amei "Sell"... não preciso nem dizer o por que, não é?

Seu Blog está repleto de guloseimas! Parabéns!

Beijão!

Thiago Aragão

Renata de Aragão Lopes disse...

Ei, Thi!
Que bom que veio e gostou!
Sell é um poema nosso...
Beijão.

Lai Paiva disse...

Que bela homenagem Rê! Bj

Renata de Aragão Lopes disse...

Lai,

homenagem antiga
(escrita há anos
e publicada em 2009).

Mas sempre atual...

Beijo,

Walerie Gondim disse...

tanta saudade nas palavras que até corta!
lindo!
beijos