segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Volante



Estou sempre de partida,
que não sei estacionar-me.
Vaga, a ti não parece
a vida sem charme?


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Lírica



Sexo se faz com tão pouco:
corpo,
intenção,
movimento.

Amor é bem mais complexo:
alma,
atenção,
alimento.

Fato a que não se atravessa:
sexo sem amor é ato,
amor com sexo é peça.


Imagem: Romeu e Julieta.

sábado, 21 de agosto de 2010

O cúmulo do egoísmo



Ao trocar de lugar contigo,
eu ponho em ti o meu umbigo.
E se te faço algum bem é por mim:
eu, distinto do que vim.


Já dizia Raul Seixas,
falecido há exatos 21 anos:
O meu egoísmo é tão egoísta que o auge do meu egoísmo é querer ajudar.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

O mágico emblema



Não admito
que me ditem
as letras.

Não há rito
pra que se editem
os versos.

Vale o escrito:
livre, por conseguinte.

Tão mais bonito,
quanto menor o requinte.


Escrito a partir de O trágico dilema, de Mário Quintana:
Quando alguém pergunta a um autor o que este quis dizer,
é porque um dos dois é burro.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O Belo e a Fera



você me chama
de gata
e eu lhe digo
quem me dera

eu teria
sete vidas:
uma pra cada
quimera

desde que
garantidas
suas mãos
à minha espera


Presente de aniversário.

sábado, 14 de agosto de 2010

Em alto e bom som



tantos os porquês
que optou pela mudez:
disse-lhes bem mais


domingo, 8 de agosto de 2010

Amazona



Jamais adia
sim ou não.
Repudia
a dúvida.
Prefere
precipitação
a inércia.
Ainda que tropece.

Até quem a conhece
lhe diz insana.
Mas se a julga
infeliz
se engana.
A vida, curto intervalo.
Alguns vão a pé.
Ela segue a cavalo.


Fotografia minha: Cedro.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A [ciden] tal felicidade



poeira fina
talvez purpurina
que se tem à mão

de que só se apercebe
aquele que a vê
pender ao chão


segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Inalante



meu sonho de menina
parece de éter agora:
me alucina
e se evapora