segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Volante



Estou sempre de partida,
que não sei estacionar-me.
Vaga, a ti não parece
a vida sem charme?


31 comentários:

André Luís disse...

Também estou sempre de partida, pra não perder o movimento da vida. Mas guardo sempre minha vaga, pra não perder também as raízes.
Boa semana, Renata!

Lara Amaral disse...

Têm sempre de esperar alguém ir até elas...

Beijinho, querida.

Marcelo Novaes disse...

Renata,



O eterno movimento parece mais "glamouroso". Mesmo nas corridas há o pit stop, para reabastecimento, ainda que breve.




Um beijo.

Mirze Souza disse...

Que beleza, Talita!

A vida sem charme é vaga, sim!

Estar sempre de partida é estar viva!

Brilhante!

Beijos

Mirze

Dalva Maria Ferreira disse...

Uma graça! Redondo como uma gota.

Wanderley Elian Lima disse...

Estacionar, acaba com o charme da vida.
Bjux

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Di.vagar por aí... ;)

Albuq disse...

Perfeito Renatina, quando a gente pára, a vida deixa de correr, de renascer, de ser intensa... muito massa teu verso! bjs

Batom e poesias disse...

Você sempre consegue, Renata.
Diz tudo de um jeito que eu queria tanto dizer...
Lindinho!!!!

Adorei.
Bj

Rossana

AGNALDO NO ESPELHO disse...

Renata,

Seu blog é um deleite. Um doce deleite. Li até me embriagar e, confesso, fiquei até um tantinho constrangido de ver que tanta beleza cabe em tão poucas palavras; receita que eu luto para aprender.

Super beijo.

Fernanda Amábile disse...

Todos estão de partida, para esta e outra vida.
Valeu pela visita!

Domingos Barroso disse...

e quantos mundos
descobertos
(tão transparentes)
a cada volta
e giros em torno
dos outros
dentro de si mesmo.

carinhoso beijo.

Moni. disse...

Partida, procura, chegada...

O grande charme é o movimento
- pra frente -
a sentir melhor o vento!


te imaginei uma "Penélope Charmosa" nesse carrinho, Rê! rsrsrsrs

Beijo, beijo, querida!

Raquel de Carvalho disse...

Oiieee...adorei seus versinhos!
Poucas palavras que dizem muito! Gosto demais!
ehehehe
Obrigada pela visitinha lá no blog, adoreiii!
Tb vou te adicionar aos que "contam e pensam" ehehehe
Beijosssss

Daniela Delias disse...

Hummm, que delícia essa paradinha, breve estacionada por aqui...sim, a vida ficou com mais charme...bjos!

Daniel disse...

Não se pode mesmo vagar a vida. Bjus.

http://submundosemmim.blogspot.com

Anônimo disse...

re você tem razão. não podemos ficar estacionados.
E em se tratando de Renata Aragão, a vida jamais estacionará. bjs tesoura

Ana SS disse...

Estacionar, quando trata de si mesmo, é péssimo. Mas podemos parar um pouquinho para trocar de carro, ou para pôr mais gasolina...rs

Márcio Ahimsa disse...

Renata, querida, que coincidência, sou mineiro também, de um pequeno município ao norte de minas, também de 1976, janeiro e aquariano como vc, além de ser mais de poesia que de prosa, rs.

Bom, adorei sua poesia, e virei mais vezes.

Ah, meu blog de poemas é:

www.tecerpalavras.blogspot.com

Valéria Sorohan disse...

Você tem um estilo natural e conciso de escrever que é irresistível. Cheio de charme.

BeijooO*

Pétala_Rosadinha disse...

Incrível como você consegue dizer tanto, com tão poucas palavras... É lindo!

Quanto à vida sem charme, às vezes estacionamos sem perceber... E nem sempre é fácil recomeçar a viagem. Mas é preciso partir sempre, tens razão.

Beijos, moça.

Felipe Carriço disse...

Mulher no volante, perigo constante.

Lucão disse...

e o melhor é vir retribuir o carinho e ser surpreendido com verso tão bem trabalhado.
O bom é perceber a lapidação dos seus versos, Renata. É isso que dá mais gosto de ler por aqui.

;)
beijão!

marjoriebier disse...

Tava morta de saudade desse teu cantinho lindo!!!

Vou dar uma passeada com calma.

Beijo, amorinha

RICARDO disse...

Renata

Aqui desacelero e estaciono, e em ponto morto deliro , entre as vagas do seu acelerado talento.

Beijos

(Muito feliz com suas aparições e comentários no meu blog.)

contagotas disse...

Renata
Seus poemas minimalistas sempre me espantam. Tão poucas palavras, tanto conteúdo!
Quanto à questão que nos coloca, como pode não parecer? O charme é aquela pitadinha de sal que acerta o paladar.

Beijos, com charme
MariaIvone

PS: A imagem que colocou me fez lembrar «Isadora» que, tendo vivido uma vida glamourosa, acabou abrupta e tragicamente em andamento.
Cuidado com as écharpes! :))

Pérola Anjos disse...

E a minha chegada
é uma nova partida
e a vida vai seguindo...

Obrigada pela ilustre visita!


Me encantei com os ares poéticos daqui!
Beijos!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Estive aqui e gostei.
Voltarei.
Um abraço

Renata de Aragão Lopes disse...

Muito obrigada a todos
pela visita e comentário!

Beijos!

Pablo Rocha disse...

A vida é o momento... Sua poesia é intrigante e adoro isso.

Aplauso!

Sabrina Davanzo disse...

A gente nunca que chega!
Adorei, Renata!

Beijos

Sabrina