quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Carta em alto-falante



Ela já quase esqueceu
- mas eu não!
Você merecia
uma surra
antes do perdão.
Posou de bom moço
e era o vilão.
Enganou a todos:
a ela,
à família,
a mim.
Como pôde
ser tão ardiloso
assim?
Namorá-la
por mais de ano.
Cada fala
a lhe calar
a verdade.
Estava pra se casar
noutra cidade.
A data marcada
na igreja
e no papel.

Onde quer que esteja,
Rafael,
eu grito
pra que me escute!
Bendito foi o dia
em que ela
lhe deu um chute.
Pena que leve,
quase sem peso.
Merecia
uma surra
antes do desprezo...


Para um cafajeste
com nome de anjo.

40 comentários:

Natacia Araújo disse...

E quantos "Rafaeis" assim não fazem da poesia fonte de chutes e pontapés...rs
Adorei!

Natalya Nunes disse...

Hahahaha

Adorei esse teu realismo poético, Renata.

E que aconteça isso com todos os cafajestes do mundo!

Rafaela Figueiredo disse...

nossa, adorei!!
atualmente, passei por algo parecido, mas nem tão sério.
só q não sou vingativa... rs eu desapego! u_u
*acho q nem vale mesmo a pena [ou a Pena].

=*

Tiago Moralles disse...

Maldito de ti Rafael que não nasceu bendito.

Marcelo Novaes disse...

Renata,




Poema muito bom. Rafaela está certa: deixar ir acaba sendo ganho dobrado.





Beijos,








Marcelo.

Marcelo Mayer disse...

tenho uma pessoa a quem se encaixaria facilmente neste poema

A Moni. disse...

Que fantástico!

Parece teatro... Tem cheirinho de roteiro do Ariano Suassuna! Bora filmar???
rsrsrs

Eu garanto que Rafaéis com currículo bom pra protagonizar, não vão faltar...

Beijos, Rê!!!

[ rod ] ® disse...

e não há sexo para a cafajestice do dia-a-dia... se há "rafaéis" há também "rafaelas"...

estou de volta moça... estás no twitter tb?

Victor Gil disse...

Pois é amiga. Cafajestes com nomes de anjos.... Acontece, mas também levou um chute. E há chutos que são muito bem aplicados.
Beijos querida amiga.
Victor Gil

Elcio disse...

N sobrou mta coisa p eu falar sobre o dito cujo, assim, aproveito e pergunto:
existe mesmo doce de lira?

É isso aí.

Bjks

Lai Paiva disse...

Nossa Renata, adorei! Ele pode não ter levado a surra merecida, mas essas palavras devem ferí-lo mais. Acredito! Bjs querida.

Lara Amaral disse...

Puxa, o meu tbm se chama Rafael, hehe... Que coincidência, espero que continue anjo.

E que bom que ela resolveu lhe dar um chute.

Beijos!

Renata de Aragão Lopes disse...

Natacia Araújo, o caso é mais odioso que inspirador...

Natalya Nunes, "realismo poético" em alto-falante! : )

Rafaela Figueiredo, também não me considero vingativa. Apenas faço questão de diálogos francos: os chamados "pingos nos is".

Tiago Moralles, eu não o diria maldito... Rafael é apenas um sujeito, por ora, imensamente desprezível e infeliz.

Marcelo Novaes, a "Rafaela" tem muito bom coração. Na última conversa, foi ela quem o fez parar de chorar...

Marcelo Mayer, cafajeste a este ponto, felizmente, eu só conheci um!

Moni, adorei! "Bora filmar"! (risos)

Rod, sei que há, também, muitas cretinices femininas. Eu as censuro com idêntica veemência! E não, não estou no twitter... Falta-me tempo até para o doce de lira! : (

Victor Gil, o chute no Rafael foi tão leve, que resolvi lhe gritar à distância!

Elcio, existem doces que são meio amargos. (risos)

Lai Paiva, como eu gostaria de saber que meu grito chegou aos ouvidos dele...

Larinha, que seu Rafael permaneça um anjo! : )

Obrigada a todos pela leitura!

Beijos.

Carol Mioni disse...

Eu adoreiiii

como eu nunca tinha visto seus blogs antes? rs O poema é leve, com um quê de comédia e uma sinceridade linda!

Muito bom!!

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Referia-me à Rafaela Figueiredo. A do desapego.

;)




Ela tem bom coração, claro.






Beijos,







Marcelo.

Anônimo disse...

re, que chingamento hein?
gostei,merecido.
só que ele não podia chamar rafael concorda?
ainda bem que eu escreví com letra minúscula né? tesoura
bjs

Vital disse...

talvez o que eu tenha mais gostado foi da dedicação...
hehehe
muito bom.

Anônimo disse...

Coração quebrado não leva energia para os músculos...não havia força para a merecida surra:(

Mas a ele joguei uma maldição, enquanto cafajeste,vida sem paixão.

Ah Rê, lindo poema!!Muito obrigada pelo grito!! Beijos.

Daniele Cezar disse...

e a gente por vezes vê anjos onde não deve.

adorei!

miadinhos para ti.

Marjorie Bier disse...

rsrsrs... o famoso musical Blue Jeans, baby...

Um beijo

Felipe A. Carriço disse...

Merecida surra antes do desprezo.

Assim terminam muitas das relações.

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Renata,

Vim retribui-lhe a sua visita tão agradável.

Minha nossa..., não gosto nem de lembrar que já passei por algo semelhante...!!

Beijos e até breve,
Ana Lúcia.

Nydia Bonetti disse...

Merecia, não. Merece. :)
Há gritos que libertam. Gostei muiiito, Renata! Beijos

Gerana Damulakis disse...

Excelente! Vc é ótima.

Renata de Aragão Lopes disse...

Carol Mioni, seja muito bem-vinda ao doce de lira! Aguardarei seu retorno! : )

Marcelo Novaes, que confusão, hein? Mas ambas têm bom coração... (risos)

Tesoura, este Rafael é um anjo sem asas...

Vital, e quanta dedicação!

Querida "anônima", você é, realmente, uma pessoa extremamente generosa. Foi até poética pra "amaldiçoar" o moço... (risos) Saiba que eu me orgulho muitíssimo de ter a sua amizade e o seu exemplo! : )

Daniele Cezar, aplica-se ao caso aquele ditado: infelizmente, "ninguém traz estrela na testa".

Marjorie, você sempre me traz um complemento! Obrigada! : )

Felipe Carriço, há muitos relacionamentos cujo término exige uma surra verbal...

Ana Lúcia Porto, então nem se recorde! Passe, logo, à leitura de um outro poema! (risos)

Nydia Bonetti, é exatamente isso: "há gritos que libertam"...

Gerana Damulakis, obrigada pela visita e pelo elogio!

Um abração a todos!

Talita Prates disse...

amiga,
aceitas encomendas
para outras surras poéticas?

hahaha, muito legal!

se precisar,
te falo, ok?
rs

Bjo grande, querida.

Erica Vittorazzi disse...

Renata, a vida se encarrega de dar a surra nestes caras.


Amei o poema!!

Graça Pires disse...

Sim, Renata, há coisas que se devem gritar bem alto. Adorei.
Beijos.

Devir disse...

Este poema
assumiu sua potência
se fez maior que texto
que mensagem
que sequer gosta do nome: POEMA!!!

Grande força, Renata

Mário Liz disse...

este poema tem a leveza de um dois mamutes fazendo um cooper matinal ...rs

sensacional! é um texto agastado em revolta, mas, senti um tom meio malandro no modo como foi escrito.

algo meio "lapa" ...

lindo e divertidíssimo

entremares disse...

A cantar, a cantar.... pode sempre dizer-se a verdade.
Coisa séria, brincar com as palavras, rindo de nós mesmos.

Como somos todos bichos estranhos, tão especiais, tão únicos.

Um óptimo domingo para ti.
Rolando

J.F. de Souza disse...

Diz sempre um amigo meu:

Cada um tem o que merece!

Eu completo:

Lembre-se sempre que não somos nós os que define o merecido de cada um.

Filipe disse...

E eis que surge um quê de repentista-cordelista na poetisa do doce de lira!
Adorei!
=)
Beijos!!!

Renata de Aragão Lopes disse...

Cara Talita, quando a surra é solicitada por uma amiga, escrevo na hora! (risos)

Erica Vittorazzi, quanta sabedoria em suas palavras: "a vida se encarrega de dar a surra nestes caras"...

Então, Graça Pires: gritei em alto-falante! : )

Devir, obrigada pela grandeza que deu à minha carta: "maior que texto, que mensagem", bem mais que um mero poema!

Mário Liz, acertou em cheio: Rafael é do Rio de Janeiro! (risos) Talvez, por isso, o poema tenha saído com a malemolência da Lapa! : )

Rolando, seja bem-vindo à confeitaria! Gostei demais do que você disse: "coisa séria, brincar com as palavras, rindo de nós mesmos." Volte sempre!

J.F. de Souza, acabei de concluir que não aprecio esta expressão "cada um tem o que merece". Ninguém, nem mesmo este tal de Rafael, merece um relacionamento em que reste enganado.

"Um quê de repentista-cordelista". Adorei, Filipe! : )

Um abraço de domingo a todos vocês!

Geraldo de Barros disse...

Renata fiquei muito feliz com sua visita lá no meu "cantinho", também gostei do seu, estarei sempre por aqui, parabéns!

Beijos e quando quiser voltar, fique à vontade, será sempre bem vinda,
Geraldo.

Kanauã Kaluanã disse...

Originalíssimo a partir de um tema tão comum!!!
Diverti-me e apreciei...
O alto-falante é para que os anjos na de cima escuteeemmmmmm!!!

;D

Beijos, Renata.

Katyuscia.

Renata de Aragão Lopes disse...

Geraldo de Barros, será sempre muitíssimo bem-vindo ao doce de lira! : )

Kanauã Kaluanã, obrigada pelo elogio! O alto-falante é pra que este moço carioca me escute de qualquer jeito! (risos)

Um beijo pra cada um!

Sr do Vale disse...

Nem tão doce assim...

Mas como estou abelhando um doce, ou uma doce menina, e nem sei do ensejo...

Vai se fu d Rafael, que agora eu tô pousando.

Leandro Jardim disse...

Curioso, é um poema, assim, digamos, de raiva, mas que desperta sorrisos! Talvez por uma comunhão redentora que desperta no leitor =]

Ribeiro Pedreira disse...

não há surra pior do que o desprezo.