quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Conversa a-fiada



Céus! Como estou farta
dessa sua prosa parca
que só me traz farpa...


33 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Diálogo é algo raro.

Marcelo Mayer disse...

como falta comunicação entre pessoas, nem que seja numa mesa de bar!

Marcos Satoru Kawanami disse...

aprecio muito rimas toantes, não tenho é o dom. não me vêm imediatas como as soantes.

ao povo sem diálogo, segue a frase do Paulo Leminski: "Distraídos venceremos".

Eduardo Medeiros disse...

Oi Renata, tudo bem? Obrigado pela vista e comentário no olhar o tempo. Gostei muito dos seus poemas e já estou te seguindo. Sem poesia, o mundo fica muito cinzento, nublado, feio. A poesia é a linguagem da alma, parabéns,

Abraços calorosos

Luciane Slomka disse...

E como é raro, Re. Quanta gente fala, fala mas não diz nada... Nessas horas é fazer bem como a mocinha da tua figura...tentar ficar zen! :)
Beijão e força nesse restinho de semana!

Mai disse...

Quem afia a faca em um verso, se fia na palavra que domina. palavra afiada. Beijos.

Tiago F. Moralles disse...

Fala, fala, fala. E nunca diz nada.

Débora Camargos disse...

Prosas com farpas machucam!

Em relacionamentos isso acontece muito.

Um grande abraço!

Marcelo Novaes disse...

Renata,




Pouca e ainda espinhosa?!


Lamentábile.



Poema-síntese.






Beijos,











Marcelo.

Lara Amaral disse...

A imagem com seus versos ficou show! Só meditando mesmo para aguentar certas coisas.

Beijos, fofinha!

Mário Liz disse...

ácido e delicado ...

é como um haicai com lâmina e morfina ...


"vazio agudo
ando meio
cheio de tudo"

(leminsk)

e o melhor, Renata, é que seu poema se aplica a qualquer esfera da vida: amor, amizade, política, trabalho, relações ...

se jogarmos seus três versos no alto e eles voltarem ao chão sob a forma de carapuça ... haja Sacis!


"amores se vão ao mar
quando amargos ou aquém
há mares
que vem pra bem"


sua poesia é um alento ...

Natacia Araújo disse...

E esse tipo de farpa é um mal geral...
Adorei.

Felipe Marques disse...

"a poesia vence a prosa"

ótema, rê

bjs e abs

Luna disse...

tenho os dedos e o corpo cheio de farpas.

Victor Gil disse...

Olá Renata.
Pois é amiga. Conversa fiada em língua afiada. Ou conversa da treta, como por aqui lhe chamamos.
Uma pergunta: Os desenho são teus? Se são teus, um dia vou roubar-te um para fazer um poema.
Beijos amiga.
Victor Gil

f@ disse...

Mtas vezes é assim...

a penas farpas...ou as palavras no fio da navalha...

!menso beijinho

nina rizzi disse...

e eu aqui, esperando qualquer dedinho de prosa...

...aquela que voa disse...

Então, muda de assunto!! - ou de ouvinte-conversador... hehe. Bjs :*

renata disse...

é que ninguém quer conversa fiada. bom mesmo é conversa bem regrada!

beijos...

Vinicius disse...

Renata,

- Há farpas, contudo, acredito que há tantos versos a serem ditos; e você o faz tão bem!

Abraço.

Anônimo disse...

re, você ta demais heim?

bjão

tesoura

Lira Santos disse...

SILÊNCIO




O silêncio é um momento vivificante de graça,

em que a criatura se cala, mais o espírito fala.

Calar sobre sua própria pessoa, é humildade

Calar sobre os defeitos dos outros, é caridade

Calar quando agente está sofrendo, é heroísmo

Calar diante do sofrimento alheio, é covardia

Calar diante da injustiça, é fraqueza

Calar quando o outro está falando, é delicadeza

Calar quando o outro espera uma palavra, é omissão

Calar quando não há necessidade de falar, é prudência

Calar quando Deus nos fala no coração, é silêncio

Calar diante do mistério que não entendemos, ainda é sabedoria!




( desconheço o autor)

Adriana Godoy disse...

Você tá mandando ver!meu abraço solidário!

Leandro Jardim disse...

hmmm de quem será?

Renata de Aragão Lopes disse...

Marcelo Mayer, Tiago Moralles e Renata, as pessoas falam e se agridem, mas raramente se comunicam.

Marcos Satoru e Mário Liz, muito obrigada a ambos pelo elogio e pela citação a Leminski!

Eduardo Medeiros, seja bem-vindo ao doce de lira! Volte sempre!

Queridas Luciane e Lara, como é difícil meditar em meio a esse caos...

Mai, gostei muito do que você disse: "quem afia a faca em um verso". : )

Débora Camargos, Natácia Araújo, Luna e F@, essas farpas, tão usuais, são intoleráveis...

Marcelo Novaes, concordo com você: "lamentábile"!

Felipe Marques e Vinicius, que bom que "a poesia vence a prosa"! : )

Victor Gil, adorei "conversa da treta"! Fique à vontade para usar as imagens. São todas retiradas da internet.

Nina Rizzi carente? Não, não acredito! (risos) Eu é que senti sua falta por aqui!

Aquela que voa, tenho escolhido os interlocutores a dedo! : )

Tesoura e Adriana Godoy, muito obrigada pelo reconhecimento e estímulo!

Lira Santos, você nos trouxe sábias palavras...

Leandro Jardim, são tantos os destinatários! (risos)

Um beijo especial a todos vocês!

Sour Girl disse...

prosa porca
de frases tortas
que fecham as portas
do meu diálogo!

**obrigada por comentar no blog, que bom que gostou =)
Sour girl

Rafaela Figueiredo disse...

muitoooo boas as paronomásias!!!

obrigada pelos recadinhos; vindos de vc, fico honrada! :)

besos

A Moni. disse...

Às vezes essa opção pelos versos poucos dizem muito mais do que os grandes tratados, né?

Estar farta, dar um basta, remete a pouca palavra. E muito conteúdo...

Adoro!

Nydia Bonetti disse...

Céus! Ninguém aguenta... :) Beijos.

BAR DO BARDO disse...

Três versos travessos!!!

Renata de Aragão Lopes disse...

Kamila, gostei do seu comentário: "prosa porca
de frases tortas"! (risos)

Rafaela, é com muita honra que também a recebo no doce de lira! : )

Sim, Moni: um enorme desabafo em uma breve síntese!

Nydia, como se diz por aí, "ninguém merece"! (risos)

Bardo, leitura quase travada! : )

Um beijo pra vocês!

Luana Gabriela disse...

Ai.. não tem mais o que falar!
Disse tudo em poucas palavras!

Obrigada pelo seu comentario em meu blog, amei!

Sinta-se à vontade para voltar quando quiser!

Bjo

julio rodrigues correia disse...

Belos Renatinha, belos.Abraços.