domingo, 29 de novembro de 2009

Dia-agnóstico



só duas palavras
duas palavras somente
tornou-se descrente


38 comentários:

Mai disse...

Este foi o diagnóstico mais rápido, preciso e sagaz que já li. Humor em dia, Renata.
Então resta-me desejar dias felizes aos agnósticos. Mas duvido que creiam.

Abraços e boa semana.

Lathife Cordeiro {..aquela} disse...

É um diagnóstico cruel.

bjs crescentes :*

Daiana Costa disse...

Parece até que fui eu quem consultou o psiquiatra. HAHA!

Abração!

Juliana Lira disse...



Pobrezinho

Desalentador, sem fé não há nada...Mas quem sabe se ele ouvir o silêncio, volte a crer naquilo que palavras jamais explicarão?

Muito bom!Cada dia você fica mais precisa...

Milhões de beijos

Mateus Luciano disse...

estou assim embasbacado de ver que estas poucas palavras deixaram um impacto de um épico.

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Credulidade fundamentada em boa sorte (ou ilusões) dá nisso mesmo.


O agnóstico dá margem à não-pergunta. Então, ele não responde com um sonoro "não". Ele adia a questão.



Bom prognóstico.





Beijos,









Marcelo.

Gerana Damulakis disse...

Definitivo! Gostei.

Lara Amaral disse...

Adorei!

E o título é genial.

O que a Renatinha não faz com "duas palavras somente".

Beijos!

Lara Amaral disse...

Obrigada, linda! Como gosto dos seus comentários.

Poderia me passar seu e-mail? Procurei aqui no blog e não achei. É que gosto de ter meus amigos "virtuais" na minha lista de contatos. =)

Beijos.

Geraldo de Barros disse...

Renata, que lindo!

Adorei, sua poesia, parabéns!

Que bom que encontrou o meu "cantinho", pois assim pude encontrar o seu também,

Beijos,
Geraldo.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Cara amiga.
Vim retribuir a sua visita e agradecer as palavras tão ternas.
Como é bonito o teu espaço.
Penso que escrever um blog, é deixar transparecer muito do nosso coração.
Vejo aqui sentimentos brotarem por todos os lados. Essa é a justificativa maior do que se escreve e que faz a vida ter sentido.

Parabéns.

Voltarei infinitas vezes.

A Moni. disse...

Fantástica a sintonia entre o texto e o título... Perfeito, Rê!

Eu tenho uma dificuldadade gigante em dar títulos... Já tu, és uma competente "batizadora" de versos.

Beijos e ótima semana!

Marcelo Mayer disse...

ou na pior das hipóteses: um ser sem opinião

sidnei olívio disse...

Perfeita sintonia. Beijo.

Ariane Rodrigues disse...

Conheço duas palavras que são desacreditadas. Frequentemente, de tão ditas, tornam-se vazias de significado. Abraço!

Adriana Godoy disse...

Genial. Beijo.

Aline Calamara disse...

Bacana seu blog.Parabéns.
Aline Calamara
http://prosadejanela.blogspot.com

Sofia,Pedro e Joana disse...

Nunca tinha reparado...sagaz, sem dúvida!
Beijinhos, Sofia,Pedro e Joana

Tiago Moralles disse...

O minimalismo dos céticos.

Léo Metallica disse...

Conheço uma amiga que faz um excelente trabalho de Etimologia.

Mais tem certas coisas que o ser-humano é capaz de perceber e nem sabe. rsrs...

Vai que a separação dessa palavra em duas acaba por ser a etimologia verdadeira da palavra.

Se não for... parabéns por no mínimo ter a percepção.

Direto do Rio. Agradecendo o comentário no meu blog.
Beijos linda.

Beth Cerquinho disse...

Renata...a Náah era tão alegre, tão pra cima que a festança deve estar muito boa...
Bjka e é muito bom ter vc aqui.

Kiara Guedes disse...

me atualizando de vc! ;) Bjin

Rafaela Figueiredo disse...

esses seus títulos já são tudo!
quando vem o poema... pronto: desaba o mundo [do outro mundo]!

besos
boa semana

Renata de Aragão Lopes disse...

Queridos leitores
(veteranos e novatos),

muito obrigada
por se manifestarem
aqui no doce de lira!

É com imenso prazer
que leio e releio
cada um dos comentários...

Recebam meu sincero carinho!

Devir disse...

Dói
desfaz todas as bregas
da roupa
da carne

revela
acesa
poesia
amor

docê

Sr do Vale disse...

Sou assim, meio agnóstico, graças a deus.

Doce Renata, já é minha convidada a viajar nas pinturas e retirar delas a essencia poética.

abraços.

Mário Liz disse...

diagnóstico ...mas com jeito de NOITEgnóstica ...

abençoada seja a tristeza poética!

Nydia Bonetti disse...

"Andá com fé eu vou. Que a fé não costuma faiá"...

Gostei muito, Renata! bjs.

Talita Prates disse...

Concordo com a Larinha:
o que a Renata não faz com "duas palavras somente"!

Não optar nem pelo sim nem pelo não
não significa ausência de sofrimento,
nem adiamento.

Bjo, amiga! :)

Batom e poesias disse...

Adoro "hai-kais", "triplex" ou seja lá como chama esses poeminhas de três versos.

Eles reduzem com eficácia tantas palavras...

O seu é genial!
Disse tudo em tres versinhos: o medo, o desalento, a descrença de quem acabou de receber a notícia de uma terrível doença.

Você é danada em vários estilos e de muitas maneiras.

Bravo, docinho.

Rossana

Caio Rudá disse...

Três versos apenas e um ótimo poema, daqueles secos, tipo murro na cara, inesperado.

E acrescentaria, tornou-se descrente e viveu a vida melhor...

J.F. de Souza disse...

A fé
mantém ilusoes,
mentiras
e muita gente
em pé

Wesley Aragão disse...

Bem, se todos pudessem transmutar o trágico da vida em poético trágico seria mais fácil viver...beijos do primo Wesley Aragão

manuel marques disse...

Grato pela sua visitinha,volte sempre.

Abraço.

Renata de Aragão Lopes disse...

Agradeço, mais uma vez,
a todos vocês
por cada visita
e comentário!

Um abraço especial
ao meu primo
Wesley Aragão,
também artista:

http://picasaweb.google.com.br/wama933/PinturasEImagensDeWesleyAragO#

Tiago Medina disse...

Eu, dias atrás?

Leandro Jardim disse...

perfeita fusão de título e poemeto, muito rica!

e que bom que gostou da minha publicação nova no blog =]

beiJardins queridos

guru martins disse...

...também,
depois te tanto
existir ele
pode se permitir...

bj