sábado, 8 de agosto de 2009

Autodidata



O meu pai
já teceu tapete,
redes de peixe,
fios de corda.

O meu pai
já pintou telas,
biscuit e janelas,
paredes e portas.

O meu pai,
com um simples motor,
moldou os mais lindos
times de botão.

O meu pai,
sem saber que fez isso,
ensinou ser possível,
sem sacrifício,
aprender por si
qualquer lição.


Escrito há mais de 15 anos.
Presente de dia dos pais!


43 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Se o meu pai fosse um doce,
ele seria um TALENTO!
E o seu?

Marinho disse...

O meu seria um bombom:
"Alau" Doçura! (risos)

Beijo.

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, acho que o meu seria um sonho de valsa porque ela amava dançar...Rsrsrs Singelo e adorável poema em homenagem aos pais. Bj.

Sabrina Davanzo disse...

Pena que o meu não estava presente para me dar essas lições! :( Mas minha mãe fez isso por ele.. então amanhã, pra mim, é dia dela! :)

Beijos!

marcia szajnbok disse...

lindinho, renata!

meu pai, acho que não seria um doce... seria talvez um pão doce, sem muito açucar, mas com muita "sustância"... a melhor lição que reaprendo todos os dias como ele é essa: força pra levar a vida em frente! e, de preferencia, sorrindo...

beijo pra vc e pra todos os pais que passarem por aqui!

Malvada disse...

adorei a quantia de palavras tudo tão diferente de poeminhas normais =D

to te seguindo

Márcio disse...

Minha filha
penso que este é o melhor presente que recebi em toda a minha vida, fiquei até emocionado com a maneira como você colocou meus brinquedos preferidos.
Muito obrigado mesmo, que Deus tome conta de você.
Amanhã falarei pessoalmente, até lá.
Beijos.
Márcio

Renata de Aragão Lopes disse...

Apareceram até agora:

um Alô Doçura,
um Sonho de Valsa,
um Pão doce,
uma mãe que é pai (doçura extrema)
e o meu Talento!

Obrigada, papai, pela visita e pelas palavras!
O abraço ficará para amanhã! : )

Malvada, grata pelo elogio!
Siga-me à vontade!
Beijo.

Marjorie Bier disse...

O meu pai seria um Suflair... me oxigena todos os dias!!!

Obrigada, Renata, pela tua visita surpresa. Pessoas-ar são mais que bem vindas!

bj

Hammelinn disse...

muy lindo

gracias por compartir

un abrazo

Hammelinn

sidnei olívio disse...

Bela homenagem, talento puro. Um beijo doce!

Mahria disse...

Renata
Meu pai na minha infância foi um chocolate um pouco amargo. Hoje ele está mais doce. Ainda assim se eu voltasse no tempo, apesar do amargor eu pediria Biz...

PS
Q fofo o comentário de seu pai, amei!

Bjinhos

nina rizzi disse...

tem algum chocolate chamado "sumiço"? rrsrs...

é bom ter uma estrela a que se guiar.

e vejo, sempre, que, sempre, foste poetinha :)

beijo.

Georgio Rios disse...

Cara REnata, por intermédio de Caio acehi vc por estes cantos das Minas, teu poema para o pai está muito bem elaborado, lindo como homenagem.Parabéns pelo poema e pelo pai!!!!

Batom e poesias disse...

Um bom pai que merece ser homenageado, é mesmo presente para os filhos.
Lindo poema, Renata.
Lindo presente...

Bjs
Rossana

Adriana Godoy disse...

Que lindo, Renata....seu pai deve ter ficado nas nuvens. Bela homenagem. Beijo.

Anônimo disse...

omeu pai seria um baton
redondinho,gostoso e simples.
ass. tesoura.

Renata de Aragão Lopes disse...

Apareceram também:

um Suflair,
um Bis
e um Baton!
Estou adorando a enquete! : )

Nina querida,
tenho certeza de que,
apesar do sumiço,
não lhe faltou doçura
ao longo da vida.
Carinho, felizmente,
é algo substituível!
Se você brilha tanto,
certamente se inspira
em alguma estrela...

Marjorie e Georgio, bem-vindos ao doce de lira! Espero que retornem!

Hammelinn, Sidnei, Rossana e Dri, obrigada pelo Prestígio de sempre! : )

Um beijo, queridos!

[ rod ] disse...

Pai é amparo... sempre.

Bjs moça e obrigado pela visita.





Novo dogMa:
reveR...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

A Moni. disse...

...Vontade de ter dado um abraço no meu pai hoje...

Ele, um chocolate ao leite com amêndoas, daqueles lá de Gramado... tem que ir longe pra buscar...

Beijos!

Cadinho RoCo disse...

Quando o poema é bom sua data de nascimento é mera referência.
Cadinho RoCo

Clarinhaaa disse...

PAIIIII..

simplesmemnte uma delicia!!!

a qto tempo escrito?!!?
PARABENS!!!

rs

bjs

Éder Souza disse...

Queria ter um pai...
Iria aprender tanta coisa que só um pai poderia ensiar.
Enfim... tenho um pai no Céu, Ele incumbiu-se de cuidade de mim, de nós.

Nydia Bonetti disse...

Uma beleza de poema, Renata. Uma beleza.
Boa semana, beijoooo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Apareceu mais um chocolate:
ao leite, com amêndoas,
desses artesanais lá de Gramado.
Que pai especial, Moni! : )

Poema engavetado há mais de 15 anos.
Tenho muita poesia guardada...
De vez em quando,
publico algo bem antigo
aqui no doce de lira.
Este nem foi o primeiro.
Loucura, né, Clarinha?
E obrigada, Cadinho,
por dizer que a data não comprometeu
a qualidade do texto.

Sim, Éder, estou certa de que está protegido. E de que, em vida, encontrou outras pessoas de quem ganhou lições e afeto...

Bem-vindo, Rod! Volte sempre!

Nydia, muito grata pelo elogio!

Abração, gente!

RaSena disse...

olá, Renata!
vim agradecer sua visita e seus comentários.
e, adorei sua forma simples de se expressar.
tenha uma linda semana!
abraços.

mariab disse...

uma homenagem linda. quem não se comoveria?
beijos

: A Letreira disse...

Meu pai seria um OPERETA! Branco e cheio de talento...

p.s. adorei teu blog! visite sempre o Letreira, bye, Sônia

Luciane disse...

Se meu pai fosse um doce seria um leite condensado, porque adoça tudo o que toca.
Um beijo "tri" feliz por nossas felicidades concomitantes! :)

AC Rangel disse...

Nossa, Renata, quanta ternura, quanto carinho escrito de maneira tão bonita. Doce poesia e parabéns pelas duas coisas: pela poesia e pelo pai.
Beijo.

Candoca disse...

Vim conferir seu blog. Gostei muito. Sucesso!!!
candoca

Eloisa disse...

Que linda declaração para o teu pai.
beijo, beijo.

TanyLe disse...

Olá Renata!

Primeiro Lugar agradeço seu comentário no meu blog antigo. Tive uns probleminhas com ele mas já está resolvido e de volta.

Preciso dizer q seu blog é realmente um doce. Apreciei seu modo pragmático d se expressar com as palavras.

É um prazer conhecê-la.
E se não se importa, ficarei por aqui... ;)

{BeejO!}

Lou Vilela disse...

Belo doce - ops, homenagem! rsrs

Bjs

Ricardo Valente disse...

Imagino a alegria de um pai ao receber um poema desses.
Se o meu fosse vivo seria PRESTÍGIO.
Beijo!

Renata de Aragão Lopes disse...

Outros pais:

um Opereta,
um Leite condensado
e um Prestígio! : )

RaSena, Sônia, Rangel, Candoca, Tany e Ricardo, sejam bem-vindos ao doce de lira! Muito obrigada pelos comentários: todos gentis e importantes pra mim!

Mariab, Eloisa e Lou, grata por retornarem a este espaço! De fato, uma homenagem. Registrada! : )

Um beijo pra vocês!

BAR DO BARDO disse...

sou pai
é isso
eu li

Maria Paula Alvim disse...

adorei! A veia poética vem de priscas eras, hein?!

Marcelo Novaes disse...

Renata,



Bom poder homenagear o pai com suaves lembranças artesanais...






Beijos,








Marcelo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Parabéns com atraso, Bardo!

Sim, Maria Paula! Escrevo há tempos...

Verdade, Marcelo! "Suaves lembranças artesanais." Minhas recordações de infância sempre têm meu pai em alguma atividade manual e artística.

Um beijo a cada.

tania não desista disse...

oie,renata! não poderia deixar de de dizer ,o quanto me encantou seu poema para seu pai.
engraçado, minha mãe que era assim!
meu pai músico..tocava sonhos e sonhos.
renata ,convide seu pai, a ler o que escrevi para o dia dos pais.acho que vão gostar!
o título do post,é"tudo de bom!"!
estou sem comentários no blog,pois estou viajando. dps.volto aqui.
bjos
taniamariza

fragmenturas disse...

Oi amore!
Fofo, fofo!
Saudade, saudade!
O meu pai seria aquele saquinho de doces do Harry Potter impossível de prever, excêntrico, surpreendente, arroz de festa, querendo sempre ensinar lições, rs...
Então hoje é dia dos pais aí, né? Acho que vou postar um que fiz pra ele também...
beijos imensos

Tania disse...

Oi, Renata!

Pai é mesmo doce...

O meu seria: AMBROSIA!

Bjs, uma gracinha de post. Linda homenagem!