quinta-feira, 22 de outubro de 2009

M' água



Ele falou sem pensar. E a magoou.
Ela pensou sem querer. E se trancou.
A moça
tranca mágoas
no fundo de si.

Eles quis se desculpar. E a abraçou.
Ela desculpou. E não sorriu.
A moça magoada
nem mesmo abraçada
sorri.

Moça
tem coração-poço.
Moço
tem coração-poça.
O poço é profundo,
a poça é rasa.
A moça represa,
o moço vaza.
Ele seca,
ela alaga.


Escrito em 2008.

44 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Renata,





Contraponto bastante elucidativo do par. E mantendo a boa poesia.









Beijos,









Marcelo.

- Lara Alves disse...

Liindo ~*
e obrigadaa pelo coment. no meu blog.
Beijos =*

Marcelo Mayer disse...

incrível como seus poemas são musicais e gostoso de ler! "um abraço sem sorriso" é fantástico!

Lara Amaral disse...

Nossa, que profundo! Quem dirá o contrário de que coração de moça sente mais?

Belas metáforas, parece com o meu penúltimo. Bem diferente no estilo, claro, cada um tem o seu, mas a ideia é bem parecida.

O desfecho é de arrasar corações. Lindo!

Beijos, moça do coração doce.

Juliano disse...

Putzz Muito Lindo.

O poço é profundo,
a poça é rasa.

Acho que eu sou um moço com coração de moça.

Beijoooooos

BAR DO BARDO disse...

Puxa! É não que tens razão!

marcia szajnbok disse...

uma bela captação da diferença!
bjo

Tiago F. Moralles disse...

Todos somos água.
Mas em vários estados diferentes.

Adriana Godoy disse...

Deliciosa e poética diferença. Adorei. Bj

Úrsula Avner disse...

Oi Renata, bela construção poética em versos bem moldados com criativo e expressivo jogo de palavras. Bj.

Tiago Medina disse...

Mais um excelente texto, captando bem cada nuance que diferem os dois...

beijos

Talita Prates disse...

Sou moça com coração mesmo de moça.
E a m´água às vezes afunda meu coração.

> dias tristes nesse meu coração aguado... :(

Eu gostei demais, Re. Imensamente.

Mais um doce inesquecível.

Bjo, amiga.

Mônica disse...

É bem assim mesmo...
Perfeito.
Bjs

ParadoXos disse...

profundidade em forma de palavras


como... se fosse mar...


:-)

beijos

Jester disse...

Puro talento!

A Moni. disse...

Água, sempre água. Mas a forma, o estado e a clareza fazem tanta diferença...

Bom é saber, que ao final de tudo, ela também lava...

Beijos, Rê!

Renata Luciana disse...

O ímpar que há nos pares. A multiplicação das culpas.Dicotomia real.

Liene disse...

Renata,
As palavras ditas ferem e não têm como serem esquecidas. Sei bem o que é isso. A ferida não se cicariza...
Versos refletidos em verdades...

Grande abraço!

JaqueFonseca; disse...

o pior é que é assim mesmo.

Graça Pires disse...

Expressivo dizer dos contrastes que existem no amor. Adorei.
Um beijo.

Marcos Satoru Kawanami disse...

prato do dia: 2 metáforas e um copo de lágrima.

Rafael Lopes disse...

Demais, muito bem escrito.

Grande poeta você heim.

bjos
bom fds

Ariadna Garibaldi disse...

Clap, Clap, Clap... Aplaudir você já virou mesmo rotina! Eita moça pra escrever bonito! Lindo e verdadeiro, Renata! Preciso dizer que ame? AMEI!

Beijos mil

Ariadna Garibaldi

Lúcia Soares disse...

Lindo, lindo!
Sou meio a moça...

marinaCavalcante disse...

Simplesmente belo!

Conseguistes englobar tantas coisas!!!
E este texto se adequa a tantas
situações pelas quais nós,
seres humanos, passamos...

eu lembrei de uma. =]

Muito bom mesmo! Parabéns!

Um grande abraço!

Nydia Bonetti disse...

Acho que somos todos meio poço, meio poça... Como sempre, lindo.

Obs: Nydianas, é uma série inspirada no "formato" da minha poesia. Eu acho... :) Beijos.

- maria elis disse...

eu queria ter o coração feito poça, bem raso pra certos sentimentos.

beeijas re ;*

Luna disse...

sou toda moça.

e sua poesia é sempre toda linda.

um beijo flor.

:*

PERPLEXIDADE disse...

isso aí querida...

o meu secou...

e eu outra vez... alaguei!!

lindo domingo pra você!
;D

Mahria disse...

Eu magoada
Quando abraçada
Logo esqueci.

Eu amo isso aqui, me inspira até a sorri, quando ha choro em mim.

P.S
Linda tive problemas com meu blog
e a perdi de vista.

Bjs
Mahria

Renata de Aragão Lopes disse...

Obrigada,
moços e moças,
por cada comentário! : )

Como disse a Nydia,
"somos todos
meio poço,
meio poça..."
O ideal
é que encontremos
este equilíbrio.

Abraço bem GRANDE
a todos vocês!

Felipe A. Carriço disse...

Muito bom!

Existem amores que escorrem nos M(d)edos, e dores que represam as m'águas.

Sofia,Pedro e Joana disse...

Lindo demais!
Beijinhos, Sofia,Pedro e Joana

Caio Rudá disse...

Eu sou contra essa coisa de homem isso, mulher aquilo. As diferenças pessoais superam quaisquer atribuições prévias de gênero...

Esquece isso aí de cima. É que às vezes o eu psicólogo quer se manifestar, mas aqui ele não cabe muito. Só vale o eu que fica encantado com o que lê aqui: um dos melhores poemas que já li, sem dúvidas.

adri antunes disse...

ahhh, coisa mais linda isso! ameii, poço/poça, moço/moça...lindo!
bjuuu enoooormeee!

Camila disse...

é oq qe tdo mundo tenta dizer da diferença principal do homem e da muljher :|)
ameeeei

Mário Liz disse...

querida Renata, satisfação imensa tê-la em minha janela de visitantes.

gostei muito deste seu último poema, e, gostei mais ainda da postagem anterior, o poema "flor da pele".

tanta leveza e força, lembrou-me leminsk.

deixa aqui uns fragmentos meus, também líricos, de gancho ao tema.

"Então amar tem aquela coisa de moleque: eu tenho porque recebo. Amar é bumerangue...
Parece sangue, mas é sangue só em cor. Parece cor, mas brilha sem o sol. Parece sol... e com ele se confunde. Talvez seja o Sol que esteja Dele mais perto. Ou quem sabe seja Ele que quando se faz a voar... vai pra perto do sol. Eu fico aqui com meu rol hipóteses e só consigo decifrar que... o amor é dois. Dois pra lá, dois pra cá, que nem valsa..."



abraço forte

Thiara SJ disse...

Éu me encaixo perfeitamente neste poema, mas na situação inversa... :(

Maravilhoso seu trabalho Doce lira!

Maria Andrade Vieira disse...

todos bonitos, líricos. poesia que não se duvida ser poesia. eu transbordo. bjos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Felipe, Sofia, Pedro, Joana, Adri Antunes, Camila e Thiara, que bom que apreciaram o poema!

Caio-psicólogo, concordo com você: "As diferenças pessoais superam quaisquer atribuições prévias de gênero." Caio-escritor, fiquei muito feliz por haver considerado "M'água" um dos melhores poemas que já leu! Obrigada! : )

Mário Liz, seja muito bem-vindo ao doce de lira! Grata pelos elogios e pelos lindos fragmentos! Espero revê-lo por aqui!

Maria Andrade Vieira, obrigada pelo comentário: "poesia que não se duvida ser poesia". Adorei! : )

Um abraço especial a todos vocês!

J.F. de Souza disse...

Simples. Triste.
Mas lindo! Gostei demais desse!

----------------------------------
"Ele falou sem pensar. E a magoou.
Ela pensou sem querer. E se trancou."

Excelente! =)


=*

Dalva M. Ferreira disse...

Maravilhoso! Obrigada por sua visitinha rapidinha ao meu blog, pelas palavras gentis e elogiosas, e sim, linquemo-nos!

Desengavetados disse...

Nossa Renata, quanta verdade pra dizer...as palavras lhe correm com certa abundância em um fio que tens aqui.
Ando mesmo apaixonada por sua escrita!

Abraços!!!

E ainda aguardo suas visitas no desengavetados!
Apareça!

Renata de Aragão Lopes disse...

J.F. de Souza, que bom que gostou!

Dalva, obrigada pelo "maravilhoso"! : )

Andréa, muito bom saber que aprecia tanto minha produção literária! Visitarei, agora mesmo, o seu espaço!

Beijos!