segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Sobras



Eu tenho ficado
com o cansaço,
o sumo
que sobrou no bagaço,
o resumo
riscado,
o trocado,
o farelo.
Por que
se mereço
tanto?
Quer sol quem dá amarelo.
Quer som quem oferece o canto.
Quer colo quem divide a cama.
Quer amor quem ama.


Classificado no Concurso Literário Internacional Mulheres Escritoras.
Integra a obra Mulheres em prosa e verso,
publicada pela editora Hoje Edições Ltda.

48 comentários:

Marcelo Mayer disse...

me explique como consegue escrever assim!
devo imaginar que é vivência!

Lara Amaral disse...

Que bonito, Renata! Parabéns pela publicação.

Beijos.

tossan® disse...

Magistral a tua escolha. Sorria sempre que lhe cai divinamente bem! Beijo

Cris Teles disse...

Não me canso de dizer que acho MARAVILHOSO tudo que escreve!!
Beijos!!

Luciane Slomka disse...

Muito lindo, Re! Ele transmite muito bem esse esgotamento. A imagem do bagaço é forte e linda. Parabéns! Beijos!
Lu

Maria Andrade Vieira disse...

além das poesias, belas ilustrações.

Nydia Bonetti disse...

Amor não pode mesmo ter só uma via.
Tem sempre que ir e vir... Também gosto muito das tuas ilustrações, Renata. Beijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Marcelo Mayer, vivência e observação! : )

Lara Amaral, que bom que gostou de "Sobras"!

Tossan, trata-se, realmente, de uma escolha pela felicidade!

Cris Teles, eu é que jamais me cansarei de ouvir... : )

Querida Lu, você disse bem: esgotamento!

Maria Andrade Vieira, adoro quando a ilustração introduz o que direi, em seguida, em versos...

Nydia, minha amiga! O amor, de fato, "tem sempre que ir e vir". E que ninguém se contente com as sobras...

Um beijo pra cada um!

Adriana Godoy disse...

Um ritmo e tanto, os versos curtos e precisos, a mensagem percorre todo o poema. Gostei muito.Parabéns pela classificação. Beijo.

marjoriebier disse...

Demorei, mas voltei!!!

(e adoreeeeiii)

Luna disse...

ai ai, não dou conta de dizer que você tem uma facilidade com o joguinho de palavras, e de pouco, consegue sempre tão muito.

lindo, mereceu a classificação.


beijos doces.

Marcelo Novaes disse...

Renata,



"Quer sol quem dá amarelo" é simplesmente genial.


:)




Beijos, amiga.










Marcelo.

Ariane Rodrigues disse...

Tbm gostei! Bem singelo, bem direto, bem expresso...

Nirton Venancio disse...

Renata, fico numa alegria enorme quando conheço um novo e bom poeta. Uma poeta! Seus escritos têm o sabor do título do seu blog. Vou colocar o link na minha página, vou segui-la, vou ficando perto de você.
Beijos.

Mai disse...

Bem mais que um poema.
Valor do amor, de quem ama e quem versa o amor.Há que se pensar porque o amor veio 'agarrado' no poema.
A mensagem é clara. É o valor do amor, do que ama e do teu poema.
Mas aqui o que 'sobra' é o amor dos poemas que poetisas, Renata.

Obrigada pela visita.
Abraços e boa semana.

J.F. de Souza disse...

Sabe? Esse escrito me despertou umas idéias... Mas preciso dar uma forma mais concisa a elas. =)

=*

BAR DO BARDO disse...

manejo racional das emoções
e não

parabéns, rê

Dany Ziroldo disse...

Oi Renata,

Merecida classificação deste poema...

Adorei!

Tenha um ótimo fim de terça...

Bjs!

Dany

Marcos Satoru Kawanami disse...

Que bonito, Renata! Parabéns pela publicação.


paz e bem
Marcos

...aquela que voa disse...

Lindo! Parabéns :) E eu? Quero muito sol, cores, colo, e todo o amor que há nessa vida. Bjs e obrigada pela visita e pelos elogios {layout nova e eu toda boba com os carinhos!! hehe}. Bjs :*

Talita Prates disse...

Adorei esse canto.
Faço-o meu, assim como fiz ao teu lindo "Ao aguardo do amor".

Acabei de descobrir hoje mais uma das leis de Murphy que funciona comigo: "A disponibilidade é uma questão de tempo: no momento em que você se interessa por ele, é a hora exata em que ele encontra outra pessoa."

Um bjo enorme, querida.
Paz.

Adair Carvalhais Júnior disse...

muito bom poema.

beijo mineiro.

Mário Liz disse...

"amar é um elo
entre o azul
e o amarelo"

LEMINSK


o problema é que antes "Das pontas do elo" se fundirem ... tanto acontece e tanto se desfaz ...


lindo o poema.

Mônica disse...

Parabéns pelo concurso e pelo lindo poema.
Bjs

Filipe disse...

Olha que esse poema me leu, sabia?
=)

Juℓi Ribeiro disse...

Renata:

Adorei a sua visita
e seu comentário.
Também tenho o sobrenome
Aragão e gosto de escrever.

E das sobras alimentaste
teus versos com criatividade
e sensibilidade.
Lindo de viver...
Beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Adriana Godoy, que bom que aprovou o ritmo de "Sobras"!

Marjorie, sua presença é sempre aguardada!

Luna, obrigada por dizer que "de pouco", consigo "sempre tão muito"! : )

Amigo Marcelo, guardarei esse "genial" com carinho...

Ariane, que bom que também gostou do poema!

Nirton Venâncio, muito grata por suas palavras! Será sempre um prazer recebê-lo! : )

Mai, muito gratificante saber que, pra você, "Sobras" é "bem mais que um poema"...

J.F. de Souza, mãos à obra! (risos)

Verdade, Bardo: existe, sim, neste poema, um certo "manejo racional das emoções". Ao menos, uma tentativa! : )

Dany Ziroldo e Marcos Satoru, obrigada pela visita e pelo comentário!

Aquela que voa, voe por aqui à vontade...

Talita querida, em situações como essa, prefiro sempre pensar que simplesmente não era pra ser... Deixarei que "Sobras" lhe seja um canto tão apenas momentâneo. Você merece e receberá da vida bem mais! : )

Adair Carvalhais Júnior, seja bem-vindo ao doce de lira! Espero que retorne!

Mário Liz, é a segunda vez que associa minha poesia à de Leminski! Que honra! : )

Mônica, obrigada por mais uma visita!

Caro Filipe, recomendo-lhe, então, que se cuide! : )

Juli Aragão, gostei do que você disse: fiz, praticamente, uma reciclagem! (risos)

Um abração a todos vocês!

Tiago Medina disse...

"Quer amor quem ama"
Tenho impressão que esse verso vai ficar ressoando na minha cabeça por horas. Aliás, já está!

beijo

Desengavetados disse...

Estou encantada com suas escrita!
Vc merece todo esse confete! rrsrs muita getne pra responder...
Como é forte, profundo e conciso seus poema! Parabéns!

Faça um contato comigo, gostaria de trocar umas ideias.

andreahzinha@hotmail.com

blog http://www.desengavetados.blogspot.com/

Bjos!!

Nirton Venancio disse...

Volto pra te reler.

Stella Tavares disse...

Belíssimo post, Renata. Gostaria de publicar um texto do seu blog no aniversário do manual do inseguro. Você poderia me enviar algum que você considera que representa a alma do seu blog. No mês de novembro publicarei textos de outros autores, outros blogs, pessoas queridas e seus lindos textos. Posso contar com você. Vou aguardar.
Bjs

PERPLEXIDADE disse...

perfeito!! 'quer amor quem ama' ... me coube tão bem essa veste... porque tenho amado... sem receber minha porção!!

um doce beijo

ps: simplesmente amo sua admirável maestria!

Beatriz disse...

bonito poema. cheio de ritmo e franqueza.
bjs

Alessandra disse...

Noite chuvosa em Petrópolis...lendo este poema...Perfeito!!

Beijos, Lê.

Renata de Aragão Lopes disse...

Tiago Medina, adoro quando isso acontece comigo...

Andréa, merecedora ou não, eu gosto muito desse "confete". (risos) É muito bom conhecer a opinião dos leitores e interagir com cada um deles! Já visitei "Desengavetados" e anotei o seu e-mail!

Nirton Venâncio, que surpresa boa! : )

Stella Tavares, convite aceito! Obrigada pela oportunidade de divulgar, ainda mais, a minha poesia!

Perplexidade, exija imediatamente a sua porção! Não há relacionamento sem essa reciprocidade... Obrigada pelo elogio contido no "ps"! : )

Beatriz, seja bem-vinda ao doce de lira! Espero revê-la!

Lê, minha irmã do coração! Que felicidade, ao ler seu comentário! : )

Um beijão a todos vocês!

Gian Fabra disse...

me identifiquei com seu comentário em outro blog onde vc falava do prazer de se manter um blog, onde vc expõe sua arte e ainda conhece a de tantos outros...

... e quando chego aqui ainda me deparo com seus belos poemas

duplamente identificado agora.
=)
parabéns

Felinea disse...

oi Renata!

que lindo o teu espaço. adorei entrar aqui :)

e como a vida nos proporciona agradáveis surpresas, não? também sou formada em Direito e servidora pública federal em Porto Alegre.

um grande prazer te conhecer em poesia.

podes anotar meu msn, caso queiras: daniccezar@hotmail.com

miados cá do Sul para ti.

Everson Russo disse...

Eu tambem ando me contentando com as sobras, não sei até que ponto isso é bom, penso até que não, mas o pior é se conformar....beijos e um lindo dia pra ti.

Hneto disse...

Os ingredientes do seu poema não são as sobras,há muita matéria prima intacta,viva, limpa, nestes versos. Saudações!

Sofia,Pedro e Joana disse...

Fantástico!
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Lisa Alves disse...

"quer colo quem divide a cama" adorei a sutileza dos versos. :)

beijos da Lisa

Lai Paiva disse...

Renata, gostei muito deste, especialmente da última frase: Quer amor quem ama.
É isso, em suma. Bjs

Amélia Losada disse...

Renata, primeiro gostaria de dizer que andei lendo seus poemas, e eles são maravilhosos! Amei seu jeito de escrever, delicado, sutil... lindo demais!

Agradeço o carinho que você colocou nos comentários que fez no meu blog. Muito obrigada, do fundo do coração.

Vou aparecer mais por aqui! :)

Tiago F. Moralles disse...

As divisões amorosas são sempre as melhores.

Renata de Aragão Lopes disse...

Gian Fabra, seja bem-vindo ao doce de lira! "Duplamente identificado", espero revê-lo por aqui! : )

Felínea, quantas coincidências! Muito prazer em conhecê-la também!

Everson Russo, não se contente com as sobras. A vida pode e deve ser mais!

Verdade, Hneto: há ingredientes "vivos" nestes versos...

Sofia, Pedro, Joana, Lisa e Lai, que bom que gostaram do poema!

Amélia Losada, obrigada pelas leituras que fez! Aguardarei sua próxima visita! : )

Tiago Moralles, existe relacionamento sem um mínimo de cobrança?

Um abraço especial a todos!

f@ disse...

O sol amarelo… alaranjado…
O ©anto…
No ©olo
E o amo® trocado


!nfinito beijinho

Ariadna Garibaldi disse...

Bravo! Bravíssimo! Eu já te disse uma vez e digo-te de novo: Sou tua fã, poetisa!

Lindo demais, demais da conta!

Beijos

Ariadna Garibaldi

Ianê Mello disse...

Estou aqui novamente e encantada.

Que belo e sensível poema.

" Quer colo quem divide a cama."

É...com certeza. Pena que alguns homens só queiram dividir a cama e nos momentos puramente sexualizados.

Nós queremos afago, aconchego, colo... e nem sempre somos atendidas, não?

Lindo!

Beijos

PS: Torno-me sua seguidora a partir de agora.