segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O espelho



No reflexo em que me vejo
- olhos nos olhos -
às vezes encontro virtude,
às vezes encontro pecado,
às vezes, bem amiúde,
sequer me encontro deste lado
à frente.
E, desta dúvida, em que procuro
- bem ou mal -
saber se existo,
ao final, o que restará somente?
Uma alma em Cristo
ainda dormente.


Escrito a partir da conjugação da leitura
de O auto-retrato e Espantos,
ambos de Mário Quintana.

Hoje, inclusive, o doce de lira está recomendado pelo wwwpesquisa,
que traz o meu e os dois poemas do Quintana acima citados.
Obrigada, Tereza Stancioli, por haver me indicado ao lado de um mestre!

41 comentários:

Felipe da Costa Marques disse...

Belíssimo

BAR DO BARDO disse...

Alma de Cristo, desperta!

Tiago F. Moralles disse...

Ah, o espelho, às vezes revela quem a gente não tá muito a fim de ver.

marjoriebier disse...

"...é minha criação isso que vejo... perceber é conceber águas de pensamento... sou a criatura do que vejo..."

Lembrei disso... que bonito, Re!

Mai disse...

Perfeito, Renata.
E somos tudo isto e nada disto e somos e vamos sendo...

Tua doce lira, encanta.
Abraços e boa semana.

Adriana Godoy disse...

Lindíssimo, Renata. bj

Paulo Rogério disse...

Renata, perfeita a conjugação dos poemas, sem faltar o seu toque especial.Bjos!

Clarinhaaa disse...

Ahhhh...
as vezes tbm me olho no espelho e vejo essas coisas... ou talves até, me arrisco em dizer que talvez não vejo nada!

Tem dias que nosso reflexo reflete tanta luz que ficamos cegas...

Há dias e dias né?!

bjos doces lindonaaa!!!

Marcos Satoru Kawanami disse...

bom.

marinaCavalcante disse...

Bonito poema.

Já tive de passar por isso...
de, ao me olhar no espelho, tentar me encontrar... "olhos nos olhos" pra enxergar os segredos da alma.

Por vezes consegui, por vezes não. =]

Um beijo!

Juliano disse...

Mario Quintana nos inspira mesmo neh.! Muito belo poema.

Beijoooos e ótima semana pra você.!

Adriana Karnal disse...

lindo mesmo Renata, e parabéms por estar ao lado do poeta maior...

débora piacesi disse...

Sempre delicioso seu espaço, amiga. Parabéns!

NiNah disse...

Que bacana moça.
Obrigada pela visita.
Então, eu uso o vdowloader. Peguei no baixaki. É só você procurar no youtube a música que ele transforma para mp3. rsss
Beijocas

Palavras Rabiscadas disse...

Belíssimo poema inspirado em “Autoretrato” de Mário Quintana. Parabéns! A poesia é o espelho que reflete a nossa alma. Parabenizo também pela bela confeitaria!!
Abraços. Marli.

Marcelo Novaes disse...

Renata,

Alma plantada em boa Vide.


Poeta devidamente colocada ao lado de outro. Pertinentemente.



O poema é muito bom. E a maneira de articulá-lo com os dois de Mário é como usar bem uma alavanca.






Beijos,








Marcelo.

Lara Amaral disse...

O poema ficou show! E parabéns pela homenagem. Beijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Agradeço a todos vocês
pela visita e comentário!

Estou muitíssimo feliz
por haver sido apresentada
ao lado de um dos poetas
que mais admiro...

É da simplicidade dele,
ao falar tão profundamente de tudo,
que mais gosto em sua poesia!

Um beijo doce de lira
em cada um! : )

Nydia Bonetti disse...

Ficou linda esta trilogia. Quem disse que o leve não pode ser intenso? Três poemas intensos.

Obs: Também me espantam os ateus.

beijos.

@philipsouza disse...

Quem nao expira por Mario Quintana ne???

parabens Renatinha....
gostei...
bjosss

Fatima Cristina disse...

Lindo!
Parabéns Renata!
Beijos.

Erika Freitas disse...

Quem nunca fez uma auto análise quando se deparou com o espelho que atire a primeira pedra!

cirandeira disse...

Oi Renata,muito interessante teu poema. Todas as vezes que leio algo relativo a espelhos, lembro-me
de Guimarães Rosa:..."O espelho,
são muitos, captando-lhe as feições, todos refletem-lhe o rosto,..."
Parabéns pela postagem!
Bj

Nilson Barcelli disse...

Renata, não conhecia este seu blogue.
Gosto do layout (minimalista) e do conteúdo nem seria preciso dizer que é de grande qualidade poética.
Deste poema, em particular, acho-o muitíssimo bom.
Um beijo, querida amiga.

Rafaela Figueiredo disse...

eu acho essa temática de espelhos/imagens/objetos muito massa! metafísica deliciosa e pura!
o poema tb! :)

besos

Cristiano Contreiras disse...

Sinto poesia, sensibilidade, capacidade alta de literatura e inteligencia por aqui, gosto muito! te linkei e sigo!

Sabrina Davanzo disse...

Que gracinha,Renata! Parabéns! Seu trabalho é ótimo!

Um beijo :)

Renata de Aragão Lopes disse...

Àqueles que já conhecia, muito obrigada por sempre retornarem ao doce de lira!

Aos novos leitores, que se sintam bem-vindos em minha confeitaria!

Um prazer recebê-los aqui! : )

Talita Prates disse...

Salve, Mário!
Salve, Renata!

Belo e profundo diálogo, Re!

Bjo grande, amiga.

Lisa Alves disse...

Meu reflexo

te encaro com reciprocidade
os meus gestos
a mesma idade
de um lado toco o chão
Do outro teus pés tocam o Nada
Qual seria a sombra da ilusão?

Lisa alves

@philipsouza disse...

hahaha agora to aki direto ne...aiiiii

bjaooo

Camila H.K. disse...

Lindo ... o espelho ... que revela nossa alma e aponta nossas virtudes e nossos defeitos ...
Beijos e obrigada pela visita!!!

Lai Paiva disse...

Aprecio muito, ler Mário Quintana e Renata de Aragão... Grandes poetas!!! Parabéns.

daufen bach. disse...

nossa! boquiaberto aqui!
Aplaudo em pé!
Plac, Plac, Plac, Plac...

muitissímos Parabéns. Divino Isso!

Abraço a ti.


daufen bach.

Renata de Aragão Lopes disse...

Talita e Lai, obrigada por também me colocarem ao lado do Quintana! Quanta honra! : )

Lisa, muito grata pelo registro do seu reflexo!

Philip, confeitaria sempre aberta! Volte sempre que puder! : )

Camila, seja bem-vinda! Espero que retorne ao doce de lira!

Boquiaberto, Daufen? Que bom... Obrigada pelos aplausos! : )

Um beijo especial pra vocês!

wcastanheira disse...

Belo texto, instigante, me fez pensar e quando penso, logo, existo, e existir é uma delícia, parabéns, bjos, bjos, bjosss

Renata de Aragão Lopes disse...

Wanderlen,
muito gratificante
saber que um poema meu
fez tanto por um leitor! : )
Um abração!

Jester disse...

Legal conhecer o teu blog! Tudo muito bonito!

Renata de Aragão Lopes disse...

Que bom, Jester!
Aguardarei, assim, o seu retorno.
Um beijo.

Wilson Torres Nanini disse...

Me atraem os poemas que trazem a procura. É a única filosofia que casa bem com poesia. Uma escavação do ser em si.

Renata de Aragão Lopes disse...

"Uma escavação do ser em si."
Gostei do comentário, Wilson!
Obrigada!